Covid-19

Procuradora de Justiça de Mato Grosso morre em São Paulo

Publicado

Morreu na manhã desta quinta-feira (03.12), em São Paulo, a procuradora de Justiça, Julieta do Nascimento Souza, aos 71 anos. Ela é mais uma vítima da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo as informações, Julieta estava internada há cerca de 30 dias com a doença. A situação dela se agravou e ela estava entubada. Nesta quinta, acabou não resistindo e veio a óbito.

O Governo de Mato Grosso emitiu nota lamentando o falecimento da procuradora de Justiça

“Ficamos muito tristes com o falecimento desta servidora que se dedicou por tanto tempo à população de Mato Grosso. Eu e minha esposa Virginia estamos em oração para que Deus conforte os familiares e amigos”, afirmou o governador Mauro Mendes.

Ela tornou-se integrante do Ministério Público do Estado em 1990 e procuradora em 2017. Julieta atuou nas comarcas de Guiratinga, Mirassol D´Oeste, Cáceres, Santo Antônio do Leverger e Cuiabá. Também realizou vários plantões em Pontes e Lacerda. Na Capital, foi titular da 21ª Promotoria Criminal com designação para a 9ª Promotoria Criminal de Feitos Gerais. Atualmente, exercia o cargo de Ouvidora-Geral Substituta do MPE.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

mato grosso

Aulas na rede estadual de ensino começam dia 8 de forma não presencial

Publicado


As aulas da rede estadual de ensino irão começar no próximo dia 8 de fevereiro, de forma não presencial (on line ou por meio de apostilas). A decisão foi tomada pelo Governo de Mato Grosso e levou em consideração o aumento no número de casos de Covid-19 no Estado e a crescente demanda por leitos de UTI.

O Estado também avaliou a opinião de pais de alunos e dos profissionais da Educação.

“A decisão foi tomada para preservar a saúde dos profissionais da Educação e as famílias dos alunos, em decorrência do aumento no número de casos da doença no Estado e a ocupação dos leitos de UTI”, destacou o governador Mauro Mendes. 

Outra decisão do governo será avaliar toda segunda-feira a curva epidemiológica da doença. Ou seja, verificar se os casos estão aumentando ou diminuindo, para decidir se as aulas serão mantidas de forma não presencial ou irão para a modalidade híbrida (em que intercala alunos estudando de forma presencial e a outra parte de forma não presencial).

Um boletim epidemiológico será emitido toda segunda-feira, após o retorno das aulas, para informar a comunidade se haverá ou não alteração na modalidade de ensino.

O Estado conta com mais de 700 escolas estaduais, com 380 mil alunos e 40 mil profissionais da Educação. De acordo com o secretário de Estado de Educação, Alan Porto, “a infraestrutura escolar está preparada para atender os alunos e profissionais tanto no ensino não presencial como no híbrido”.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana