AGRO & NEGÓCIO

Procura por curso da Embrapa aumenta 2700% com novo formato virtual e gratuito

Publicados

em


            Três meses após ser disponibilizado gratuitamente, em novo formato virtual, o Curso de Tecnologia Pós-Colheita em Frutas e Hortaliças – organizado pela Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP) – apresenta, em sua 7ª edição, números que indicam o sucesso da mudança em relação à edição anterior, quando 100 pessoas participaram da capacitação, em 2019.

            Já são mais de 2800 inscrições, o que representa 2700% de aumento em relação à 6ª edição (presencial), com participantes de cerca de 800 municípios de todos os estados brasileiros, com destaque para São Paulo (16%), além da Bahia e Minas Gerais (empatados com 11% do total de inscrições). Em relação ao gênero, as mulheres predominam com 54%.

Novas fronteiras

            Mas o curso, em Língua Portuguesa, também tem atraído interesse em outros países como Portugal, Moçambique, Cabo Verde, Argentina, Uruguai, Paraguai, Colômbia, Peru e Honduras. “Existem cursos em outros países como Espanha e Estados Unidos que abordam a temática de tecnologia pós-colheita para frutas e hortaliças, que chegam a custar entre R$ 3 mil e R$ 12 mil”, explica Marcos David Ferreira, organizador do curso da Embrapa.

            “Oferecemos conteúdos completos e diferenciados em módulos sobre Rastreabilidade, Colheita, Beneficiamento, Nanotecnologia na pós-colheita, Análise não destrutiva da qualidade e Produtos Minimamente Processados (PMPs). É uma oportunidade para quem pretende se aprimorar sem precisar pagar, inclusive, a pessoa pode escolher um ou mais módulos de seu interesse, já que são independentes e oferecem certificados individuais, e quem cumprir a carga horária de 68 horas receberá um certificado para o curso completo”, acrescenta Ferreira.

Diversidade de recursos

             O curso contou com a contribuição de 45 conteudistas e instrutores (oito Centros de Pesquisa da Embrapa e instituições públicas e privadas), que ajudaram a produzir seis apostilas, num total de 395 páginas (podem ser salvas em PDF para leitura posterior ou impressão), dez vídeos de práticas em laboratório; duas visitas técnicas virtuais; nove podcasts; dez infográficos; 15 animações gráficas (whiteboards), além de 46 videoaulas.

             “Um grande diferencial desse curso é a diversidade de recursos, a adequação da linguagem, apresentar muitos exemplos, material audiovisual, material complementar, a qualidade dos vídeos. Isso tem sido muito elogiado pelos participantes, fortalecendo a nossa premissa que as capacitações on-line devem utilizar diferentes recursos de aprendizagem”, comenta Aline Branquinho Silva, da Secretaria de Inovação e Negócios da Embrapa (Brasília – DF)

Percepção positiva

              A estrutura do curso com recursos didáticos multimídia têm chamado a atenção também dos instrutores, caso de Luiz Henrique Capparelli Mattoso, do módulo de Nanotecnologia. “Fiquei impressionado com a qualidade do material, a facilidade em explicar temas complexos, tanto é que pretendo utilizar parte desse conteúdo em apresentações e palestras”, afirma o pesquisador da Embrapa Instrumentação.

             A percepção positiva dos participantes pode ser constatada pelas avaliações de satisfação, que são obrigatórias para a emissão do certificado de conclusão. A média global de notas para quem já concluiu o curso está entre 8 e 10, nos seis módulos, chegando a 95,8%, distribuídos em nota 10 – 64%; nota 9 – 24% e nota 8 – 7,8%.

Conhecimento aplicado

              Outro aspecto que tem chamado a atenção nesses três meses é que a maioria – entre 80 a 83% – dos participantes têm colocado no questionário de avaliação que fizeram o curso pois pretendem aprender sobre o assunto e aplicar os conhecimentos. Existe também um certo equilíbrio entre iniciantes e pessoas com nível de conhecimento intermediário, que só varia nos módulos com temas mais específicos, quando há um número maior de iniciantes.

              A escolaridade dos participantes registra 30% com o curso superior incompleto e 20% com o curso superior completo; já entre as diversas formações o predomínio é para o curso de Agronomia, com 44%. Os participantes atuam em cooperativas, prefeituras, empresas de extensão rural, instituições de ciência e tecnologia, empresas privadas, universidades, órgãos estaduais e federais; do total de inscrições, os estudantes representam 57%, a comunidade científica 10%, e profissionais ligados à extensão rural 9%.

             Viabilizado no formato virtual e gratuito com recursos de uma emenda parlamentar do deputado federal Vitor Lippi (PSDB – SP), o Curso de Tecnologia Pós-colheita em Frutas e Hortaliças está disponível na plataforma e-Campo da Embrapa no endereço https://www.embrapa.br/e-campo/tecnologia-pos-colheita-em-frutas-e-hortalicas; não há limite de prazo para a inscrição.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Aviso de Pauta: Webinar sobre ácidos orgânicos renováveis

Publicados

em

Na próxima quarta-feira, dia 6/07, às 10h, a pesquisadora Mônica Damaso e o Chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento Bruno Laviola, ambos da Embrapa Agroenergia, apresentam o webinar “Ácidos orgânicos renováveis: oportunidades para a agroindústria”. O evento é gratuito e será transmitido pelo canal da Embrapa no Youtube.

No webinar, serão debatidas as últimas pesquisas sobre ácidos orgânicos realizadas pela equipe da Embrapa Agroenergia, o panorama e as vantagens das tecnologias e a aplicação destes ácidos na agroindústria. 

Serviço
Data: 6/7/22 – Quarta-feira 
Horário: 10h (horário de Brasília)
Tema: Ácidos Orgânicos renováveis 
Local: Canal da Embrapa no YouTube: clique aqui. 

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana