economia

Procura por crédito sobe pelo terceiro mês seguido, diz Serasa

Publicado


.

A demanda por crédito pelos consumidores brasileiros cresceu 15,6% em julho, em relação a junho. Essa é a terceira alta seguida na comparação com o mês anterior. Todas as regiões do país apresentaram recuperação da demanda por crédito no sétimo mês do ano, com destaque para o Nordeste (22%), seguido pelo Sudeste (16,2%), Norte (15,9%), Centro-Oeste (11,7%) e Sul (9,6%). Os dados, divulgados hoje (1º), são do Indicador de Demanda do Consumidor por Crédito, da Serasa Experian.

Segundo a Serasa, a procura por crédito, verificada nos últimos meses, deverá se manter. “Esse aumento reflete a busca de crédito para recuperação de consumo, em razão da perda de renda. Outro motivo, é a renegociação de dívidas, ou seja, o consumidor tem buscado crédito mais barato para quitar dívidas mais caras”, destacou o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

O indicador da Serasa mostra ainda que a procura por dinheiro emprestado foi maior entre os brasileiros que ganham até R$ 500. Neste caso, o aumento, em julho comparado a junho, foi de 18,7%. Já para quem ganha mais de R$ 10 mil, o avanço foi o menor, de 14,5%.

Na comparação anual, de julho de 2020 e o mesmo mês do ano anterior, a demanda do consumidor por crédito apresentou queda 3,9%. As regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sul caíram 13,4%, 8,3% e 7,2%, respectivamente. Já a Norte e a Sudeste apresentaram alta, de 1,1% e 0,3%.

Edição: Aline Leal

Comentários Facebook
publicidade

economia

Buscando recolocação? Iniciativa de pai e filho no LinkedIn pode ajudar idosos

Publicado


source

Brasil Econômico

seu pompo guilherme nunes linkedin
Reprodução/Linkedin

Guilherme Nunes, o Seu Pompo, idoso que procura recolocação profissional e viralizou com postagem do filho no LinkedIn

Seja em momentos de contração da economia ou mesmo em fases de boa estabilidade e recuperação, um tema que preocupa é recorrente no Brasil: a dificuldade enfrentada por idosos para recolocação no mercado de trabalho. Excluídos, muitos buscam e sofrem para se recolocar, como é o caso de Guilherme Nunes, o Seu Pompo, filho de Lucas Amaral Nunes, que fez  postagem contando a situação de seu pai e viralizou no LinkedIn.

“Meu pai perdeu o emprego há 6 anos e não conseguiu mais se recolocar. Há alguns meses, ele me pediu para que eu o introduzisse no mercado de redação freelancer. Papai sempre escreveu muito bem. Mas isso não é suficiente. Fez cursos de inbound, SEO, marketing de conteúdo… e me manda mensagens no WhatsApp de 10 em 10 minutos. Para ele, essas coisas são 10 vezes mais complicadas. Mas ele aprendeu. Usa o Drive, insere palavras-chave e links, todo chique. E conseguiu o primeiro cliente rapidinho, que gostou tanto do trabalho que aplicou um contrato de um ano e meio logo de cara. Sexta-feira, 19h, tá lá o véio sentado perto do modem, já que o receptor de Wi-Fi falhou. Pelejando pra entregar o texto no prazo prometido. Seu Pompo, você é o meu orgulho!”, publicou o filho. O relato chegou a cerca de 300 mil curtidas e 10 mil comentários, e a onda de apoios levou pai e filho a criarem uma “corrente do bem” pela recolocação profissional de pessoas acima dos 50 anos.

Lucas e Guilherme Nunes, filho e pai, respectivamente, agradeceram no próprio LinkedIn pela série de comentários positivos e resolveram pedir que mais pessoas na situação de Seu Pompo compartilhassem suas histórias, que estão sendo e continuarão sendo compartilhadas. A ideia é dar espaço e debater a importância da recolocação de pessoas com idade avançada no mercado de trabalho a partir do engajamento e dos relatos.

O filho pede que as pessoas com 50 anos ou mais que estão desempregadas, em busca de recolocação ou querendo abrir novas portas, inclusive no meio digital, mandem e-mails para [email protected]  contando suas histórias, mandando seus perfis no LinkedIn e, claro, citando suas idades.

Pai e filho buscam, a partir da experiência positiva de Seu Pompo, ajudar mais pessoas e repercutir um tema tão importante, especialmente em um momento de tantas incertezas da economia brasileira e mundial. Na pandemia, vem aumentando o desemprego entre os idosos e os mais jovens.

Nos últimos dias, Lucas já começou a compartilhar relatos, como o de Cícero.

“#CorrentedoBemdoLinkedIn n1:
Nome: Diniz Marinho (Cícero)
Idade: 54
Objetivo: recolocação profissional (Guarulhos – SP e região)
O Cícero sempre trabalhou no setor administrativo/operacional em diferentes empresas. Depois de um longo tempo desempregado, recebeu uma oportunidade de trabalho em Portugal. Porém, com a pandemia, foi obrigado a retornar. Agora busca novas oportunidades, já que tem uma família para sustentar.
Ele está desiludido e frustrado por viver em um país que não valoriza os mais velhos. Bora mostrar pra ele que o o Brasil também se preocupa? Quem puder compartilhar o post, marcar empresas ou profissionais que possam ajudar o Cícero, eu agradeço muito!”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana