CIDADES

Procon de Sinop se reúne com mercados para cobrar medidas de segurança mais severas

Publicado


.

O Procon abriu essa semana do dia 22, reunindo com os representantes do maiores supermercados do município a fim de cobrar medidas mais severas em relação ao combate e a disseminação da Covid-19, que tem apresentado um significativo aumento de casos e pessoas contaminadas na cidade.

De acordo com a diretora do Órgão de Defesa do Consumidor, Juliana Baptista, a reunião serviu para que eles [supermercados] entregassem o novo plano de contingenciamento e para chegarem a denominadores comuns de como melhorar e intensificar as medidas de segurança para os colaboradores e para os clientes que buscam os estabelecimentos.

A diretora fez, ainda, alguns pedidos pontuais. “Gostaria que orientassem e restringissem, ao máximo, o acesso de pessoas idosas e crianças. Peço que evitem irem aos mercados com os filhos pequenos e as pessoas idosas. Deixem as crianças em casa e peçam para que os idosos fiquem em casa e deem a listinha para outras pessoas buscarem. Tem sempre alguém querido e de confiança que pode fazer isso para o idoso. A doença é grave! Não podemos brincar e nem facilitar”, pontuou ao lembrar que os supermercados possuem, também, compras on-line e sistema de delivery.

Esta semana, o Procon estará intensificando, ainda mais, a fiscalização quanto a utilização de máscaras faciais e a disposição de álcool em gel nos comércios e, principalmente, nos supermercados. “Nunca paramos de fiscalizar e orientar o comércio local, no entanto, esta semana vamos dedicar maior atenção aos mercados. Queremos olhar de perto e pedir com carinho que dediquem um funcionário para fazer higienização constante dos carrinhos de compra e que impeça qualquer pessoa que queira entra sem máscara ou que esteja utilizando de forma incorreta.

Outro ponto defendido pela diretora, que pediu atenção especial dos gerenciadores dos supermercados, é sobre a possibilidade de lockdown na cidade. “Pedi aos representantes que orientem os clientes que não há necessidade de correr para estocar comida ou medicamentos. Não vai faltar abastecimento de produtos essenciais, a não ser que as pessoas comprem muito além que suas necessidades, que o consumo seja muito além que o normal. Aí os estabelecimentos não darão conta de repor o estoque e faltará mesmo”.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
publicidade

CIDADES

Economia com o Jornal Oficial da AMM supera R$ 3,5 milhões em novembro

Publicado


Durante todo o mês de novembro, o Jornal Oficial da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM gerou uma economia de R$ 3.570.757,90 às prefeituras filiadas. Na plataforma são divulgados, sem custos adicionais para os associados, atos oficiais, como leis, decretos, portarias, balanços, editais, extratos de contrato, resultados de licitação, entre outros documentos. Além das prefeituras, Consórcios de Saúde, de Desenvolvimento Econômico e Câmaras também utilizam o serviço.

Conforme ressalta o presidente da entidade, Neurilan Fraga, a publicação é um dos principais serviços oferecidos “Todos os meses o Jornal garante uma economia significativa para as prefeituras e demais segmentos que utilizam a publicação, que contribui, sobretudo, para a transparência dos atos municipais”, disse.

Neste período, os municípios que mais se beneficiaram da plataforma foram: Confresa, que economizou R$ 146.717,61; Nova Bandeirantes, com uma economia de R$ 140.004,17; e Nortelândia, com R$ 131.218,07.

A inserção de conteúdo no sistema é feita por servidores municipais habilitados que possuem login e senha para acessar o sistema. Essa medida garante maior autonomia aos municípios, além do controle integral sobre o conteúdo divulgado. 

O Jornal pode ser acessado através de um link no site da AMM (https://diariomunicipal.org/mt/amm/) e garante outros benefícios, como eficiência, praticidade e legalidade.

Histórico – Lançada em 2006, a publicação era inicialmente disponibilizada apenas de forma impressa. Para atender a demanda e modernizar o serviço, em 2011 a AMM lançou a versão eletrônica, garantindo agilidade, facilidade de acesso e segurança, pois todas as publicações vêm acompanhadas por certificado digital. As medidas ampliaram, gradativamente, a adesão das prefeituras. Atualmente quase a totalidade dos municípios utiliza o serviço.  Para utilizar o jornal, a prefeitura precisa ser filiada à AMM e aprovar na Câmara uma lei, reconhecendo o Jornal como veículo oficial de publicação dos atos municipais. 

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana