AGRO & NEGÓCIO

Problemas de logística e infraestrutura nas rodovias são tratados com DNIT

Publicados

em


Política Agrícola e Logística

Problemas de logística e infraestrutura nas rodovias são tratados com DNIT

Entre as demandas estão a regularização dos acessos na BR-163, e o andamento das obras nas BR´s 242 e 158

29/04/2021

A logística é uma pauta que está no radar da atual gestão da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), especialmente quando se trata do escoamento dos grãos. Diante deste cenário, o presidente da Aprosoja-MT, Fernando Cadore, se reuniu nesta quarta-feira (28.04), por videoconferência, com o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Antônio Santos Filho e o deputado federal, Neri Geller.

As demandas do produtor rural em relação às obras nas rodovias foram repassadas ao general Santos Filho. Entra elas, foi solicitada a regularização do acesso entre a BR-163 e as fazendas, onde o fluxo é intenso, sobretudo durante a safra. Na BR-242, foi questionado o andamento das obras do primeiro trecho que liga Santiago do Norte a Gaúcha do Norte, e o segundo, entre Gaúcha e Querência. Além das adequações na rodovia 158, que faz divisa com o município de Redenção no Pará.

“As dificuldades que nós, produtores rurais, encontramos em relação a logística e infraestrutura são inúmeras. Precisamos de soluções para conseguirmos garantir uma boa produtividade”, enfatizou Cadore, ao explicar que todas as deliberações oriundas da reunião serão repassadas à base.

O deputado Neri Geller, que participou da reunião se colocou à disposição para estas demandas. “Precisamos quebrar paradigmas e avançar. A agricultura fomenta a economia do nosso País. As obras vão ajudar o desenvolvimento do setor, sem gerar impactos ambientais”, ressaltou.

Por sua vez, o DNIT esclareceu como estão o andamento das obras nas rodovias. Na BR-158 têm dois contratos em andamento para restauração da pista, construção de pontes de concreto e acostamentos. A situação na BR-242 está em análise, aguardando estudos ambientais para dar o direcionamento. E sobre os locais onde tem acesso às propriedades no eixo da BR-163, o DNIT faz a autorização das obras, mediante apresentação de projeto pelos proprietários, para que estes façam a pavimentação, isto nos casos onde o trecho é de responsabilidade do órgão. “Os produtores rurais podem contar com o DNIT, vamos trabalhar em conjunto para atender todas as demandas da classe produtiva”, afirmou o general Santos Filho.

Além do presidente da Aprosoja-MT, participaram da reunião, o diretor Financeiro, Antonio Cavalaro, o diretor-executivo, Wellington Andrade, o diretor-executivo do Movimento Pro Logística, Edeon Vaz, e o consultor de Política Agrícola e Logística, Thiago Rocha.

Fonte: Marcella Lírio

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Custos de produção de frangos aumentam quase 20% entre janeiro e maio

Publicados

em


Os custos de produção de frangos de corte já subiram 19,63% entre janeiro e maio deste ano, segundo os estudos mensais publicado pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, que disponibiliza as informações no site embrapa.br/suinos-e-ave/cias. É o maior acumulado em cinco meses desde que o ICPFrango foi criado em 2010. Aumentos semelhantes ocorreram nos anos de 2017 (17,61%), 2016 (16,56%) e 2012 (16,23%).

Somente no mês de maio o ICPFrango subiu 5,55% em relação a abril. A alimentação impactou em 76,23% dos custos totais de produção, sendo que em maio a variação foi de 5,17%. Com isso, o índice de custo de produção calculado pela Embrapa chegou aos 407,72 pontos, novo recorde desde que o ICPFrango foi criado. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, passou dos R$ 4,99 em abril para R$ 5,27 em maio.

Já o ICPSuíno subiu 3,21% em maio na comparação com abril. No ano de 2021, este índice acumula alta de 10,82% nos custos totais de produção de suínos. Nos últimos 12 meses, a variação é de 47,25%. Com isso, o custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina subiu R$ 0,27 entre abril e maio, chegando a R$ 7,30.

Os estados de Santa Catarina e Paraná são usados como referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Aplicativo Custo Fácil – A Embrapa lançou recentemente a nova versão do Custo Fácil. O aplicativo traz novidades para os produtores de frangos de corte e de suínos que têm o aplicativo instalado em seus celulares e tablets. Agora é possível editar e apagar granjas e dados de lotes, além de gerar relatórios dinâmicos das granjas, do usuário e das estatísticas da base de dados no servidor da Embrapa. Além disso, os relatórios permitem separar as despesas dos custos com mão de obra familiar. O aplicativo está disponível de forma gratuita para instalação em dispositivos Android, na Google Play. A nova versão também mostra ao produtor sua posição no ranking e as médias regionais dos principais indicadores econômicos (receita bruta, custo total, lucro líquido e geração de caixa) das granjas que declararam informações por meio do aplicativo ou no portal Custo Fácil na internet.

Planilha de custos do produtor – Produtores de suínos e de frango de corte integrados podem usar na gestão da granja uma planilha eletrônica feita pela Embrapa. Ela compara a receita obtida com os custos de produção, acompanhando a geração de caixa da granja e o impacto da prestação do financiamento. A planilha ainda analisa o resultado e apresenta uma estimativa da Taxa Interna de Retorno (TIR) do investimento. Ela pode ser baixada no site da CIAS.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana