POLÍCIA

Principal alvo de organização criminosa investigada por roubos de veículos é preso no interior de MS

Publicados

em


Um dos integrantes da quadrilha investigada pela Polícia Civil por roubos de veículos em Mato Grosso foi preso no último fim de semana no interior de Mato Grosso do Sul, dentro da fase Camaleão, da Operação Imperial.

O mandado de prisão expedido pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá foi cumprido pela equipe da Delegacia Regional de Jardim em apoio à Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (Derfva) de Mato Grosso.

O homem de 34 anos é suspeito de integrar uma organização criminosa especializada em roubos e adulteração de veículos investigada na Operação Imperial.

O delegado da Derfva, Gustavo Garcia, explica que o investigado preso na cidade de Jardim era um dos principais alvos da investigação e estava foragido desde a deflagração da operação no ano passado. “Ele era responsável por alugar as casas onde a organização criminosa ocultava os veículos roubados e falsificar os documentos para “esquentar” os veículos”, afirmou o delegado.

Ele foi preso no momento em que saía de sua residência no bairro Jardim Recanto Feliz. O delegado explica ainda que o alvo vinha sendo monitorado pelas equipes policiais e quando foi preso estava com um documento de identidade falso.

Além desse mandado cumprido no sábado (23.04), a Polícia Civil de Mato Grosso continua as buscas para chegar ao paradeiro de mais um investigado, que está foragido.

Operação Imperial

As investigações da Derfva resultaram na deflagração da operação em agosto do ano passado, quando foram cumpridos 13 mandados de prisão e 42 mandados de busca. A organização criminosa atuava também no tráfico de drogas, na modalidade escambo (troca de veículos, objetos de roubo/furto por entorpecentes), receptação, uso de documentos falsos, falsidade ideológica, estelionato, lavagem de capitais, entre outros crimes.

Foi identificado o envolvimento da quadrilha em, pelo menos, 25 ocorrências, sendo 18 roubos majorados no período entre agosto e outubro de 2020. A investigação apontou ainda que neste curto período houve um prejuízo às vítimas de cerca de um milhão e meio de reais.

A organização criminosa possuía três núcleos de atuação, sendo um deles que atuava no nos roubos de veículos, outro destinado para fazer a venda do produto através de estelionato e uma terceiro com o tráfico de drogas.

Nas duas fases da operação realizadas no ano passado, o objetivo do trabalho da Derfva foi atuar na descapitalização e desmantelamento da organização criminosa. Para chegar aos autores e na responsabilização criminal de cada integrante, a delegacia reuniu uma farta documentação durante a investigação e também nas fases da Operação Imperial, quando foram cumpridas 84 ordens judiciais decretadas pela 7ª Vara de Cuiabá, entre mandados de prisões, buscas e apreensões e medidas cautelares diversas contra a organização criminosa, além do sequestro de valores de contas bancárias e investimentos dos investigados. 

Sequestro de bens

Atendendo à representação da autoridade policial, a 7ª Vara Criminal determinou o sequestro dos 23 veículos pertencentes à organização criminosa e a alienação antecipada dos bens sequestrados, estimados em cerca de 2 milhões de reais. Os bens constituem objetos indiretos dos crimes investigados, ou seja, itens adquiridos com os proventos dos crimes.

O delegado Gustavo Garcia disse a medida busca garantir  eventual reparação dos danos causados pela organização criminosa, bem como a necessidade de impedir a deterioração dos bens. 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Força-Tarefa cumpre 61 mandados de prisão e busca e apreensão contra integrantes de facções criminosas em MT

Publicados

em

Força-Tarefa composta pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar, deflagrou a Operação Dissidência para cumprimento de 22 mandados de prisão preventiva, 03 prisão temporária e 36 busca e apreensão nos estados de Mato Grosso e Rio de Janeiro contra envolvidos em crimes como homicídios, tortura e tráfico de drogas.

Durante as investigações da Força-Tarefa foi identificado que na região centro-norte do estado de Mato Grosso estaria ocorrendo uma guerra entre uma facção criminosa e sua dissidência pelo controle na venda de drogas, principalmente, no município de Sorriso, o que provocou um aumento exponencial em homicídios no município.

A Força-Tarefa de Segurança Pública instaurou um inquérito policial para apurar os fatos e, com um complexo trabalho de investigação e de inteligência, as equipes identificaram os líderes das facções na região, inclusive, de dentro do sistema penitenciário, bem como outros integrantes responsáveis por promover homicídios, torturas, tráfico de drogas, entre outros crimes graves. Também foi possível identificar uma mulher de 30 anos como uma das líderes do grupo criminoso, que residiria no estado do Rio de Janeiro e transitava com frequência entre os municípios do Rio de Janeiro e Macaé, locais onde possuía residência.

Foram cumpridos mandados expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Sorriso/MT nos municípios de Cuiabá/MT, Várzea Grande/MT, Sinop/MT, Sorriso/MT, Marcelândia/MT, Peixoto de Azevedo/MT, Terra Nova do Norte/MT, Tangará da Serra/MT, Guarantã do Norte/MT, Rio de Janeiro/RJ e Macaé/RJ. Também foram cumpridos mandados de prisão na Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira, em Sinop; na Penitenciária Central do Estado e na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, ambas em Cuiabá e na Cadeia Pública de Peixoto de Azevedo, em desfavor de criminosos que já se encontravam presos.

Além das equipes da Polícia Civil, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar, que incluíram cães farejadores com o intuito de busca por entorpecentes, também foram utilizados helicópteros do Centro Integrado de Operações Aéreas (Cioaper) e da Polícia Rodoviária Federal. A FTSP/MT tem por objetivo a atuação conjunta e integrada no combate ao crime organizado no estado do Mato Grosso.

Fonte: PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana