TECNOLOGIA

Prime Video cai e HBO Max cresce em ranking de streaming no Brasil

Publicados

em


source
HBO Max cresce no Brasil
Reprodução

HBO Max cresce no Brasil

A Netflix ainda é líder disparada no mercado de streaming do Brasil, mas outras empresas começaram a se destacar no campo, como a HBO Max, lançada há pouco tempo. De acordo com um levantamento feito pelo JustWatch, a plataforma já supera outros concorrentes, como Globoplay, e pode ser um dos destaques ou alcançar posições maiores no ranking ao longo dos próximos meses.

O levantamento feito pelo JustWatch mede o interesse percebido por cada serviço, com base no que seus usuários listam, procuram ou adicionam em seus perfis como conteúdo assistido. Para isso, o site conta com mais de 20 milhões de usuários, em 46 mercados, o que representa um filtro bem abrangente.

Vale lembrar que o JustWatch é um espécie de rede social onde é possível pesquisar onde determinado filme ou série está disponível, entre todos os streamings e plataformas de aluguel e compra de vídeos sob demanda. É possível criar uma conta, adicionar listas do que foi visto, de streamings que o espectador tem com assinatura ativa, entre outros detalhes que podem ser compartilhados entre amigos.

Leia Também

Com base nisso, o site divulgou o gráfico abaixo, que mostra o que tem acontecido no mercado brasileiro. Além da já citada liderança da Netflix, temos uma queda considerável do Amazon Prime Video. Disney+ e AppleTV+ podem ser consideradas estáveis, enquanto o tímido Star+ também demonstrou um crescimento, ainda que pequeno.

Gráfico mostra crescimento da HBO Max após seu lançamento
Divulgação/JustWatch

Gráfico mostra crescimento da HBO Max após seu lançamento

O destaque fica mesmo com o HBO Max, que alcança 10% do mercado hoje e teve um crescimento vertiginoso desde seu lançamento – por isso o gráfico tem uma subida “do nada” ali pela metade do ano, que é quando foi lançado no Brasil. Isso pode ter acontecido por uma série de fatores, como oferta do conteúdo exclusivo, entre séries da HBO e a estreia de filmes recentes que estavam no cinema em meio a pandemia, além de preço mais competitivo.

Seu plano mais barato, o mobile, começa a partir de R$ 20, enquanto o mais caro não passa de R$ 30, que permite ver em mais telas. Vale lembrar também que a HBO Max foi lançada com uma promoção agressiva, que te permitia assinar com 50% de desconto “eterno”, enquanto a assinatura permanecer ativa.

HBO Max também cresce no mundo

Não é apenas no Brasil que a plataforma tem demonstrado crescimento. Lançada em 2020 nos EUA, a HBO Max também se destaca. O serviço soma mais de 73,8 milhões de assinantes, com um incremento de 13,1 milhões em relação ao ano anterior. De acordo com relatório da AT&T, a receita também aumentou: 15,4% de incremento no último trimestre de 2021, com lucro total de US$ 9,9 bilhões.

O crescimento também é resultado da junção de preços mais em conta com o conteúdo de qualidade. Sem falar que, em 2021, nos EUA, a HBO Max não teve atraso em relação a filmes que estreavam nos cinemas – era no mesmo dia. Marcas fortes, entre elas DC Comics, Warner e a própria HBO, formam a força junto ao público para isso.

Ainda sobre o preço, o streaming segue como um forte concorrente mesmo nos EUA, onde a precificação é um pouco diferente do Brasil. Lá o usuário pode pagar US$ 10 por um plano com propagandas e US$ 15 por outro sem anúncios. A principal concorrente, também a Netflix, subiu seu preço mais barato para US$ 20, o que pode ser um fator decisivo para quem decide assinar mais um streaming por lá.

Resta aguardar para saber como a HBO Max vai se comportar ao longo de 2022, depois que completar seu primeiro ano e agora sem a força das estreias para o cinema – a Warner já confirmou que o planejamento de estreias simultâneas seria apenas para 2021.

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Android 13 vai limitar alarmes para aumentar vida útil da bateria

Publicados

em

source
Android 13 vai limitar API de alarmes para aumentar vida útil da bateria
Murilo Tunholi

Android 13 vai limitar API de alarmes para aumentar vida útil da bateria

O Android 13 terá algumas modificações que não foram apresentadas durante a Google I/O deste ano. Uma dessas mudanças será a restrição da API de alarmes para economizar bateria no dia a dia. Apesar de positiva para usuários, a limitação poderá prejudicar o funcionamento de aplicativos que não forem adaptados para o novo sistema operacional.

A API de alarmes do Android é usada não só pelo aplicativo Relógio para acordar pessoas pela manhã, como também para executar certas tarefas em horários específicos . O conjunto de instruções pode ser encontrado, na maioria das vezes, em softwares que funcionam em segundo plano no celular e precisam ser ativados ao longo do dia.

Há, porém, um problema: quando um aplicativo entra em atividade por meio da API de alarmes, o celular sai do modo Soneca — um dos principais recursos de economia de energia do Android. Durante o modo Soneca, “o acesso de apps a certos recursos que consomem muita bateria é adiado até as janelas de manutenção”, segundo o Google.

Para aumentar a vida útil da bateria dos celulares, o Android 13 vai restringir o uso da API de alarmes por aplicativos. De acordo com Mishaal Rahman , editor técnico do blog Esper.io , o novo sistema operacional terá barreiras adicionais na hora de programar horários exatos para execução de tarefas.

Só apps específicos poderão usar API de alarmes

Hoje, no Android 12 , qualquer software é capaz de utilizar a API de alarmes de forma nativa. Os usuários, por sua vez, podem revogar essa permissão para economizar bateria no dia a dia. Basta acessar as configurações do celular, entrar no menu de apps, encontrar a seção de “acesso especial” e proibir o acesso de apps aos alarmes e lembretes.

Quando o Android 13 chegar, os aplicativos serão proibidos desde a instalação de usar a API de alarmes. Os desenvolvedores que quiserem burlar isso terão que remover funções de seus programas ou solicitar aos usuários que criem exceções nas restrições de bateria do sistema. Essa última abordagem, entretanto, é proibida pelas diretrizes da Google Play.

Ainda será possível utilizar a API de alarmes, porém somente em aplicativos específicos que tenham funções de relógio ou calendário. Além disso, até mesmo apps de relógio ou calendário ainda deverão atualizar seus códigos com os novos comandos do Android 13 para não serem removidos da loja do Google.

Com informações: Esper.io .

Android 13 vai limitar API de alarmes para aumentar vida útil da bateria

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana