Várzea Grande

Prefeitura capacita moradores na fabricação caseira de melado, açúcar mascavo e rapadura

Publicados

em

Aos 72 anos, a aposentada Célia Maria Frutuoso, conta que a vontade de aprender e de se manter ativa foi a motivação para fazer o curso

Por Celly Silva

Uma turma de 15 pessoas completou, nesta sexta-feira (10), o curso de fabricação caseira de melado, açúcar mascavo e rapadura, oferecido por meio de uma parceria da Prefeitura de Várzea Grande com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-MT) e com o Sindicato Rural de Nossa Senhora do Livramento.

A capacitação ocorreu na sede da Associação Várzea-grandense de Aposentados e Pensionistas (AVAP), no bairro São Mateus, onde os alunos aprenderam a fazer rapadura simples, mista e batida; melado de cana, doces – Furrundu, Sangria Cuiabana, Boipá – e açúcar mascavo.

Leonardo Serafim, instrutor do SENAR-MT, explicou que o curso tem duração de 40 horas e abrange todo o processo de aproveitamento da cana-de-açúcar para produção dos alimentos. “Nós abordamos desde a obtenção da matéria-prima, no caso a cana-de-açúcar, desde o ponto de maturação, seleção da parte mais adequada para cada produto, saúde e segurança no trabalho, beneficiamento da produção, legislação e questões ligadas ao meio ambiente”, explicou.

De acordo com a coordenadora da Associação Várzea-grandense de Aposentados e Pensionistas (AVAP), Maria da Penha Ribeiro de Souza, que também fez o curso, a gestão Kalil Baracat tem levado diversos cursos à comunidade, com procura principalmente dos idosos, bem como seus familiares e moradores da comunidade. “A maioria são pessoas desempregadas que estão procurando alguma atividade que traga renda. Inclusive temos pessoas que já têm renda com o que aprenderam aqui”, relata a coordenadora.

 Penha destaca que, além de viabilizar a oferta de cursos do SENAR-MT, a Prefeitura também contribui com os custos de alimentação dos participantes no local, já que os cursos duram o dia inteiro, durante uma semana, e muitos alunos são moradores de outros bairros e de baixa renda.

A dona de casa Maria Lúcia Campos, conta que tem um filho autista de 18 anos, a quem se dedica exclusivamente, e que já está pensando em se mudar para o sítio no próximo ano e começar a produzir os produtos que aprendeu a fazer no curso. “Meu filho está terminando o ensino médio e estou pensando em me mudar para o sítio, onde é mais fácil cuidar dele, que é autista. No sítio vou poder começar do zero, plantar e reinventar, fazer o melado com frutas, usar a criatividade”, relatou.

Aos 72 anos, a aposentada e secretária da AVAP, Célia Maria Frutuoso, conta que a vontade de aprender e de se manter ativa foi a motivação para fazer o curso. “Já faz tempo que faço cursos aqui na associação. Sempre trabalhei e continuo trabalhando. Eu me sinto ótima!”, disse.

Presença da SEMMADRS junto aos que mais precisam

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Célio Santos, por meio de parcerias, a Pasta já promoveu cerca de 50 capacitações neste ano. “Seguindo a orientação do prefeito Kalil Baracat, estamos desenvolvendo cursos nas comunidades para que as pessoas possam agregar valor nos seus produtos. Isso tem trazido muitos resultados positivos”, comenta.

Conforme o coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável, Jhonattan Luydd Fernandes Ferreira, a SEMMADRS faz o acompanhamento do seu público-alvo antes e após os cursos. “Sempre surgem demandas de apoio por parte dos produtores, seja com conhecimento técnico, logística, viabilização de insumos por meio de parcerias, doação de mudas, entre outros, e a Secretaria está sempre oferecendo esse suporte”, explica.

Comentários Facebook
Propaganda

Várzea Grande

Campanha Agosto Lilás reforça o fim da violência contra às mulheres

Publicados

em

Primeira-dama de Várzea Grande, Kika Dorilêo Baracat

Visando reforçar o fim da violência contra às mulheres, Várzea Grande, vai realizar diversos eventos, durante o Agosto Lilás, nas unidades sociais, para esclarecer e tornar a informação uma grande aliada das mulheres para combater à violência e buscar meios e maneiras de reduzir drasticamente a incidência de qualquer tipo de violência contra quem quer que seja. 

“Nenhum tipo de violência é aceitável. Seja ela contra quem for, desde seres humanos até animais, até contra o meio ambiente”, reafirma o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat nos seus posicionamentos públicos, que foram reafirmados pela primeira-dama, a promotora de Justiça, Kika Dorilêo Baracat que participou da abertura da Campanha Agosto Lilás, no Centro de Referência em Assistência Social – CRAS do Bairro Santa Maria.

Segundo Kalil Baracat, infelizmente o Brasil está entre os 10 maiores países em número de violência contra as mulheres, principalmente no feminicídio.

Neste ano, para abranger um número maior de mulheres, as ações serão realizadas em todas as unidades sociais, onde ocorrem atividades com as usuárias que participam dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), a exemplo de rodas de conversas e palestras enfocando diversos temas.

Primeira-dama de Várzea Grande, Kika Dorilêo Baracat

“É preciso cada vez mais discutir, se inteirar dos índices e números que abordam o tema e trazer para debate o direito da mulher para que finalmente as pessoas compreendam a importância de não se admitir nenhum tipo de violência, pois somente assim passaremos da abordagem e discussão para medidas e ações concretas, como já acontece em Várzea Grande, mas que ainda necessita ser ampliada e difundida”, destacou a primeira-dama Kika Dorilêo.

Ela pediu para que todas as mulheres possam participar desses eventos e que tirem proveito e absorvam conhecimento e posições da Delegada da Mulher, Criança e Idoso, Mariel Antonine Dias. “Ela tem muita experiência em casos concretos que são informações úteis para todas as mulheres. Eu desejo que cada uma de vocês seja replicadora do conhecimento que irão receber, e que levem esse conhecimento para as vizinhas, para as filhas, para as amigas, enfim para todas as mulheres independente de idade e até mesmo de sexo, porque violência não deve ser permitida e deve ser combatida com rigor. Ao longo de todo esse mês de agosto o que nós queremos é levar conhecimento e formar replicadores para que possamos fortalecer a mulher, na busca por seus direitos e na conscientização do quanto é importante falar da violência contra a mulher, para a mulher, porque nós responsáveis por criar futuros homens, então quem tem conhecimento vai criar um cidadão melhor”.

A vereadora Rosy Prado elogiou o trabalho que vem sendo realizado em Várzea Grande no setor social e na condução da pasta de Assistência Social pela secretária Ana Cristina, com o apoio da gestão Kalil Baracat e José Hazama e com a participação da primeira-dama Kika Dorilêo, que tem uma atuação com resultados na condução do Gabinete de Apoio às Ações Transformadoras (GAAT). ”O olhar, o carinho e a sensibilidade são importantes para o fortalecimento do social e de seu alcance.”  

 A vereadora disse ainda que a Câmara Municipal é parceira da ação e que como Presidente da Comissão das Mulheres, juntamente com as vereadoras Gisa Barros e Professora Eucaris somos representantes das mulheres várzea-grandenses e trabalhamos juntas com o Executivo e com o Judiciário, no fortalecimento da Rede de Proteção.  “Essa união de esforços é importante para obter resultados positivos. É importante também falarmos sobre o tema violência contra a mulher e não podemos lembrar desse tema só no mês de agosto, mas em todos os meses do ano. Não podemos aceitar nenhum tipo de violência, por isso a necessidade de combatermos qualquer que seja o tipo de violência praticada contra a mulher”.

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Alexandrina Rodrigues Esquiável disse que a luta é combater a violência, e que para se manter em pé é preciso ter um psicológico atualizado para poder manter o equilíbrio diante de tantos fatos que toma conhecimento ou que vivência. “É muito triste saber que nesta época em que vivemos ainda acontecem tanta violência, não só contra a mulher, mas para a criança e o idoso, e o mais triste ainda é saber que muitos dos agressores são pessoas conhecidas. É importante que todas as pessoas saibam que em Várzea Grande temos uma Rede de Proteção atuante e que está à disposição para atender a todos que de alguma forma tem os seus direitos violados. 

A secretária de Assistência Social, Ana Cristina Vieira agradeceu a participação de todas as mulheres na abertura da campanha Agosto Lilás e destacou o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo prefeito Kalil Baracat na condução do desenvolvimento implementado através de políticas públicas em Várzea Grande, pois é reconhecido que ações sociais, obras, geração de emprego e renda, educação e saúde quando disponíveis reduzem o número de ações violentas contras as mulheres e as pessoas.

“O prefeito e a primeira-dama são apoiadores incansáveis na luta pelo avanço social”. 

A gestora lembrou ainda que a campanha Agosto Lilás segue no decorrer do mês de agosto. ”No dia 24 será realizado o evento acontece no CRAS Jardim Glória, no dia 30 no CRAS Cristo Rei e no dia 31 será realizado no CRAS São Mateus. É importante que todas as mulheres compareçam e que tenham conhecimento das formas de violência e da Rede de Proteção existente em nosso município e que pode ser acionada assim que haja manifestações de violência de qualquer natureza”.  

O evento, que contou com a participação de representantes do Ministério Público, Câmara Municipal e entidades não governamentais, tem apoio e parceria da Prefeitura Municipal de Várzea Grande, Gabinete de Apoio às Ações Transformadoras (GAAT), Delegacia da Mulher, Criança e Idoso, Lírios, Ordens dos Advogados do Brasil (OAB), Polícia Civil, Defensoria Pública, BPW/VG, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Bealt Help.  

FORMAS DE VIOLÊNCIA: A chefe da Delegacia da Mulher, Criança e Idoso, Mariel Antonine Dias foi a palestrante do dia e durante a sua explanação apontou as formas de agressões que muitas das vezes não são percebidas pelas vítimas.  “Além da violência física temos ainda a violência verbal, sexual, patrimonial e psicológica, por isso a necessidade de estarmos atentas a esses sinais que não são reconhecidos e que acabam afetando a vida não só da mulher, mas da família que vivencia essa situação”.  

A delegada destacou a importância de participar de um evento como o Agosto Lilás e ver tantas pessoas comprometidas com a causa no combate a violência a mulher, porque essa é uma forma de também chamar a atenção para essa questão que está presente no dia a dia de centenas de famílias, que vivenciam a violência doméstica e familiar. “É importante que todos conheçam a Lei Maria da Penha e da Rede de Proteção que existe no município para que casos de agressões sejam conhecidos e combatidos”.

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana