economia

Prefeito de SP diz que sancionará cobranças de taxas para apps como Uber e iFood

Publicados

em


source
Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes deve sancionar texto nesta semana
Agência Brasil

Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes deve sancionar texto nesta semana

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) , afirmou que irá sancionar o projeto de lei que prevê cobranças de taxas para aplicativos como Uber e iFood . Segundo Nunes, a medida visa proteger a cidade de empresas que pagam Imposto sobre Serviços (ISS) em outras cidades. 

Aprovado pela Câmara Municipal, o texto prevê cobrança de taxa fixa por viagem ou quilômetro rodado. O preço ainda deve ser definido pela prefeitura, mas vereadores sugeriram a cobrança de R$ 2. 

“O que irá acontecer é uma defesa da cidade, na eventualidade da empresa estar usando o nosso viário, estar usando a cidade de São Paulo e querer, para fazer uma guerra fiscal, recolher os seus impostos em outro município, nós vamos fazer uma compensação entre o pagamento do ISS e a caixa. Não haverá aumento, só que a cidade de São Paulo não vai admitir que algumas empresas usem desse artifício de burlar a legislação para prejudicar a cidade de São Paulo”, disse Nunes. 

O projeto prevê recuperação de valores perdidos no pagamento de impostos de empresas que operam na capital paulista, mas possuem sede em cidades na Grande São Paulo. Esse é um método usado para evitar pagar imposto mais caro. 

Associações, empresas e representantes de motoristas de aplicativos se posicionaram contra a medida. A expectativa é que, se sancionado, as entregas por aplicativo fiquem mais caras e o lucro de motoristas parceiros caia.

“A medida – em tempos de crise sanitária e econômica – pode onerar mais os consumidores, reduzir a renda de parceiros e impactar negativamente toda a economia local”, afirmou, em nota, a Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia (Amobitec).

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Gasolina fica mais cara em 18 estados após atualização do governo federal

Publicados

em

 

 

source
Gasolina fica mais cara em 18 estados após atualização do governo
Fernanda Capelli

Gasolina fica mais cara em 18 estados após atualização do governo

Os combustíveis ficarão mais caros a partir desta sexta-feira (14.09). Isso porque o Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) lançou uma nova tabela de preços no Diário Oficial da União.

A gasolina fica mais cara em 18 estados, o diesel em 17 e no Distrito Federal e o GLP (gás liquefeito de petróleo), em 14 Estados e no DF.

As maiores altas da gasolina serão no Rio Grande do Sul e no Piauí: 4,6% e no Mato Grosso: 6%. Já o diesel sobe mais no Acre: 5,55%, assim como o GLP que varia 8,75% no estado.

Os valores da tabela são usados de base pelos governos estaduais para a cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) que incide nos combustíveis.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana