economia

Preço e abertura de novos mercados impulsionam a exportação de carne bovina

Publicados

em


source
Os preços da arroba bovina têm alcançado patamares recordes ao redor do mundo, segundo o Imea.
Reprodução

Os preços da arroba bovina têm alcançado patamares recordes ao redor do mundo, segundo o Imea.

O começo de março foi marcado pelo bom desempenho das exportações da carne bovina brasileira in natura . Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) , nos primeiros cinco dias úteis do mês o país exportou 30,5 toneladas, com média de 6,1 toneladas/dia.

Os números mostram um crescimento de 7,7% em relação ao mesmo período de fevereiro de 2020 e 6,8% em comparação com a primeira semana de março de 2019.

Os valores praticados também apresentaram um reajuste significativo , com aumento de 4,3% (no comparativo com o mesmo período de 2020), passando de US$ 4.393 para US$ 4.583 a tonelada.

A escalada dos preços coloca a arroba do boi brasileiro como a terceira mais cara do mundo , em dólar, ficando atrás apenas de Estados Unidos e Austrália, segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária – Imea.

Se por um lado existe uma preocupação com os preços da carne no mercado interno , por outro, a escolada de preços tem ajudado a manter o sistema produtivo em funcionamento, já que os custos internos de produção também apresentaram reajustes expressivos de preço.

Mas este não é um problema exclusivo do Brasil . Segundo os dados do Imea, os preços da arroba bovina têm alcançado patamares recordes ao redor do mundo.

Você viu?

A Austrália ocupa com folga a 1ª posição no preço da arroba , com média de U$ 109,38. A alta dos preços foi de 92,3% no período de janeiro de 2019 a fevereiro de 2020. A justificativa, segundo o Imea, está nos fatores climáticos, que reduziram o rebanho australiano, diminuindo a oferta do produto.

Na segunda posição vem os Estados do Unidos , onde os preços da arroba seguiram o caminho inverso e apresentaram queda de 7.65% no mesmo período. Mesmo assim, o preço da arroba do gado de corte terminado está na média de US$ 67,06.

Entre os países Sul-Americanos o Brasil é que tem conseguido melhor desempenho no mercado internacional . Em São Paulo preço médio da arroba está em US$ 55,79. Já no Mato Grosso os valores praticados no mercado externo estão na média de US$ 52,55.

Na Argentina o preço médio da arroba em fevereiro de 2020 foi de US$ 47,74; no Uruguai ficou em US$ 52,22 e no Paraguai US$ 49,40.

O cenário internacional para as exportações da carne bovina brasileira apresenta uma tendência favorável no futuro próximo. No final de fevereiro os Estados Unidos reabriram o mercado para importação de carne bovina in natura , que estava suspensa desde 2017, em função de abcessos (caroços) provocados no rebanho em função da vacinação contra a febre aftosa.

Também em fevereiro foi anunciado pelo Ministério da Agricultura a abertura de mercado para exportação de carne bovina para o Kwait.

Os dois países já mantinham relações comerciais para outros produtos do agronegócio, com destaque para a exportação de carne de frango in natura. O Brasil também exporta para o Kwait: milho, suco de laranja, café solúvel, farelo de soja, café verde, carne de frango industrializada, carne de pato in natura, castanha de caju e carne de peru in natura. Juntos, estes produtores somaram US$ 209,4 milhões com 215.463 toneladas exportadas no ano passado.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Lucro do Banco do Brasil aumenta 32% no primeiro trimestre

Publicados

em


O Banco do Brasil (BB) teve lucro líquido contábil de R$ 4,226 bilhões no primeiro trimestre, segundo balanço divulgado hoje (6) à noite. O valor representa alta de 31,9% em relação aos R$ 3,199 bilhões registrado no mesmo período de 2020.

O lucro líquido ajustado do banco, que exclui receitas e gastos extraordinários, totalizou R$ 4,913 bilhões nos três primeiros meses de 2021. O montante é 44,7% maior que o observado no primeiro trimestre de 2020.

Indicador que mede a lucratividade dos bancos, o retorno sobre o patrimônio líquido também registrou melhora. A proporção ficou em 15,1%, melhor que os 12,1% registrados no último trimestre de 2020 e que os 12,5% no primeiro trimestre do ano passado.

A receita com prestação de serviços somou R$ 6,9 bilhões, com queda de 3% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Em nota, o Banco do Brasil informou que o recuo decorre “do atual momento macroeconômico e da dinâmica de negócios na rede”.

Carteira de crédito e inadimplência

A carteira de crédito ampliada do BB somou R$ 758,3 bilhões no primeiro trimestre, alta de 4,5% em relação aos três primeiros meses do ano passado. A inadimplência superior a 90 dias atingiu 1,95% no fim de março. Apesar de registrar leve alta em relação ao fim de dezembro, quando estava em 1,9%, o índice está abaixo dos 3,17% registrados em março do ano passado.

Esse é o primeiro balanço divulgado pela gestão do novo presidente do BB, Fausto de Andrade, que assumiu o comando da instituição financeira em março. Andrade substituiu André Brandão, que pediu demissão do cargo após instituir um programa de fechamento de 361 pontos de atendimento e de instituir um programa de demissão incentivada de 5 mil funcionários.

Edição: Fábio Massalli

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana