artigos

Por que adotar uma dieta rica em frutas, vegetais, peixes e grãos integrais?

Publicados

em

Por Max Lima

Sua dieta claramente desempenha um papel na determinação de seus níveis de colesterol, mas se você for como a maioria das pessoas, o fator mais importante não é a quantidade de alimentos ricos em colesterol que você come.

Em vez disso, é o que mais você come. Descobrir isso foi um processo de aprendizado.

Inicialmente, a notícia de que o colesterol na corrente sanguínea estava ligado a doenças cardíacas provocou uma guerra total contra o colesterol nos alimentos.

A partir da década de 1960, as pessoas foram aconselhadas a ficar longe de alimentos ricos em colesterol, como ovos, laticínios e alguns tipos de frutos do mar. Mas hoje, a ciência sugere que, para a maioria das pessoas, o colesterol da dieta (o colesterol dos alimentos) tem apenas um efeito modesto na quantidade de colesterol na corrente sanguínea.

De fato, as Diretrizes Dietéticas para Americanos de 2015–2020 eliminaram uma recomendação anterior de limitar o colesterol dietético a 300 miligramas (mg) por dia – embora ainda sugiram cautela na ingestão geral.

Notavelmente, as diretrizes não alteraram a recomendação sobre gordura saturada, que é encontrada principalmente em alimentos de origem animal, como carne e laticínios – e é frequentemente encontrada em alimentos com alto teor de colesterol.

A gordura saturada na dieta claramente aumenta o LDL em uma quantidade significativa e ainda deve ser consumida em quantidades limitadas.

E embora algumas pesquisas tenham colocado em dúvida a sabedoria convencional de que a gordura saturada está ligada a doenças cardíacas, outras pesquisas confirmam a ligação.

Embora a gordura saturada e o colesterol dietético desempenhem um papel no nível de colesterol, os especialistas enfatizam que a mudança dietética mais importante que você pode fazer para diminuir os níveis de colesterol é ajustar o padrão geral de sua dieta.

O melhor é uma dieta rica em frutas, vegetais, peixes e grãos integrais. Isso ajuda de duas maneiras. Primeiro, quanto mais desses alimentos saudáveis você come, menos você geralmente consome alimentos ricos em gordura saturada e carboidratos altamente refinados, que danificam o sistema cardiovascular.

Em segundo lugar, os alimentos ricos em fibras ajudam a reduzir o nível de colesterol, dificultando a absorção das gorduras alimentares não saudáveis.

Isso não funciona para todos, no entanto. Para pessoas com alto risco de doença cardíaca, os esforços dietéticos não chegam nem perto de reduzir o colesterol o suficiente.

Outras pessoas são geneticamente predispostas a ter colesterol alto no sangue, independentemente.

Max Lima é médico especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, médico do corpo clínico do hospital israelita Albert Einstein, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso(SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida, Saúde e Diagnóstico. CRMT 6194
Email: [email protected]

 

Comentários Facebook
Propaganda

artigos

Conheça o seu limite

Publicados

em

Por Francisney Liberato

Para evitar respostas negativas de seus comportamentos, é necessário passar pelo autoconhecimento.

Todos nós, seres humanos, temos um limite sob o ponto de vista da emoção, que devemos observar atentamente a fim de termos uma vida mais equilibrada.

Sabe aquela situação em que você está no ambiente de trabalho e um colega profere palavras inverídicas contra a sua reputação? Por mais pacientes que sejamos, é difícil passar por uma situação dessas sem rebatê-la com um comportamento exaltado.

Por isso, é fundamental que tenhamos conhecimento prévio sobre os nossos limites emocionais. Precisamos conhecer os gatilhos emocionais que nos fazem perder o controle e a paciência diante de uma situação desagradável.

É indispensável que haja um conhecimento profundo sobre os nossos limites, pois, como diz a expressão popular, “ninguém é de ferro”.

Pode ser que você seja uma pessoa tranquila, mas posso lhe afirmar algo: respeite os seus limites, não pense que em todas as situações tensas e estressantes você conseguirá administrar e controlar as suas emoções. Há dias em que não amanhecemos tão bem, consequentemente, as nossas emoções estarão afloradas e basta acionar um gatilho que toda a calmaria se transforme em caos.

Nem sempre temos total controle sobre tudo o que nos acomete, por isso o excesso de confiança, nesse caso, é um risco ao autocontrole.

É importante que você saiba reconhecer quando os seus níveis de autocontrole estão baixos. Evite qualquer tipo de impulso emocional que possa acionar uma desproteção e um descontrole das suas emoções.

Em situações adversas, evite o confronto, não confie demais no seu controle e domínio sobre as emoções. Creio que é melhor desviar o foco e fugir de uma situação estressante.

Conhecer nossos limites é saber até onde poderemos controlar as nossas emoções. Não deixe chegar ao limite para tomar uma atitude comportamental. Evite o caos, seja sábio e faça o que puder para não perder o controle.

Francisney Liberato é Auditor do Tribunal de Contas. Escritor, Palestrante, Professor, Coach e Mentor. Mestre em Educação pela University of Florida. Doutor em Filosofia Universal Ph.I. Honoris Causa. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Vice-presidente da Associação Brasileira dos Profissionais da Contabilidade – ABRAPCON. Membro da Academia Mundial de Letras. Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz”, “Singularidade”, “Autocontrole”, “Fenomenal”, “Reinvente sua vida” e “Como passar em concursos – Vol. 1 e 2”, “Como falar em público com excelência”, “Legado” e “Liderança”. 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana