TECNOLOGIA

Popular entre crianças, aplicativo se torna alvo de pedófilos

Publicado


source
Likee aplicativo
Divulgação

Famoso entre crianças, Likee acumula também pedófilos

A rede social Likee , que faz muito sucesso entre crianças e adolescentes, tem se tornado alvo de pedófilos . Bastante parecido com o TikTok , o aplicativo permite a edição e compartilhamento de vídeos curtos e, por enquanto, possui poucos adultos cadastrados.

De acordo com reportagem da BBC News Brasil, muitos perfis com fotos de homens adultos ou idosos têm entrado em contato com meninas na faixa dos 12 ou 13 anos com comentários maliciosos e até nudes. 

Familiares das crianças já têm usado as redes sociais e as lojas de aplicativos para denunciar a situação. “Tomem cuidado com as crianças. Está cheio de pedófilos fazendo comentários nojentos. É aterrorizante”, disse uma usuária, segundo a BBC.

No próprio Likee é possível encontrar comentários de meninas pedindo para que os pedófilos parem de comentar suas postagens. “Parem pedófilos de me chamar de gostosa, que quer me namorar, me sinto mal”, escreveu uma adolescente. 

De acordo com as regras do aplicativo, todos os vídeos são públicos e podem aparecer para pessoas que não se seguem, obedecendo um algoritmo . É possível apenas bloquear os comentários das publicações.

Pedofilia no aplicativo

Uma mãe ouvida pela BBC conta que encontrou comentários suspeitos nas mensagens diretas da conta de sua filha no Likee dois dias após a garota começar a usar o aplicativo. 

Um homem pedia para que a menina enviasse fotos. Fingindo ser a filha, a mulher continuou a conversa e o homem enviou uma foto do seu pênis. “Eu disse que não queria mandar fotos, que tinha vergonha. Foi quando ele mandou uma foto do pênis e perguntou se eu, no caso a minha filha, tinha gostado de ver”, disse à BBC.

O aplicativo

Apesar de ser permitido apenas para maiores de 16 anos, o Likee é muito popular entre crianças – e não é difícil criar uma conta sendo mais novo que a idade permitida.

A plataforma possui uma ferramenta de controle parental . Com ela, os pais podem acessar as contas dos filhos, bloquear mensagens de desconhecidos e tornar conteúdos privados.

Em nota à BBC, o Likee esclareceu que “usuários são bem-vindos para entrar em contato e relatar conteúdos problemáticos nos canais oficiais, para que possamos manter um ambiente online seguro junto. Encorajamos pais e responsáveis de usuários jovens a ter um papel ativo na educação sobre o uso de redes sociais e, em geral, da internet”. O email para contato é [email protected]

Comentários Facebook
publicidade

TECNOLOGIA

Site de campanha de Trump é hackeado e substituído por golpe de criptomoeda

Publicado


source

Olhar Digital

undefined
Redação Olhar Digital

Site de campanha de Trump é hackeado e substituído por página mineradora de criptomoeda

Nesta terça-feira (27), o site da campanha do presidente Donald Trump foi hackeado e substituído por uma página para coletar criptomoedas. Além disso, uma mensagem dizia que “o mundo está farto das notícias falsas espalhadas diariamente pelo presidente Donald J. Trump. É hora de permitir que o mundo saiba a verdade”.

Os invasores afirmaram ter informações sobre “a origem do coronavírus” e outros dados que desacreditavam o presidente dos Estados Unidos. Para divulgar as descobertas, os hackers forneceram dois endereços do Monero, uma criptomoeda fácil de enviar e difícil de rastrear. Por conta disso, ela foi muito associada a casos parecidos.

Cada endereço tinha uma função. O primeiro era para que as “informações estritamente sigilosas” fossem divulgadas ao público, enquanto o outro, era para quem preferisse mantê-las em segredo. Após um período não especificado, o total seria comparado e o que recebesse o valor mais alto determinaria o que seria feito.

site de campanha de trump hackeado
Reprodução

Site de campanha do presidente dos EUA, Donald Trump, foi hackeado e substituído por golpe de criptomoedas

O site foi revertido para seu conteúdo original poucos minutos depois. Tim Murtaugh, diretor de comunicações da campanha de Donald Trump , confirmou o hack, mas destacou que não houve exposição de dados confidenciais. Ao contrário do que os criminosos alegaram, não há indicações de que conversas internas e secretas foram expostas.

Apesar da proximidade das eleições, não há indícios de que o ataque tenha sido patrocinado por algum rival político. Os sites de campanhas e relacionados costumam ser alvos de alto valor para golpes como este. Isso porque eles não são tão seguros quanto domínios oficiais. Esses golpes costumam durar pouco tempo online e geralmente têm como alvo plataformas com alta visibilidade, como contas de celebridades. Pouco tempo depois, são retirados do ar.Esta não foi a primeira vez que o presidente dos EUA foi hackeado. Recentemente, sua conta do Twitter foi brevemente sequestrada por alguém que descobriu sua senha (“maga2020!”). Via: TechCrunch.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana