esportes

Ponte goleia o Brusque por 3 a 0 e conquista a quarta vitória seguida no Majestoso

Publicados

em


Estreando a camisa 3, com o hino impresso no lugar da faixa, a Ponte Preta mostrou seu valor na noite deste domingo e goleou o Brusque por 3 a 0. Os gols alvinegros foram marcados por Rodrigão e Fessin, no primeiro tempo, e Moisés – que jogou com a camisa 121 em homenagem ao mês de aniversário da Macaca – deu números finais ao placar com gol de pênalti.

Foi a quarta vitória seguida da Macaca no Majestoso e, com o resultado, a equipe alvinegra terminou a rodada na 15ª posição, três pontos acima do Z4, que começa a ficar para trás.

Um detalhe curioso do jogo desta noite foi que o VAR não funcionou, mas felizmente não houve nenhum lance duvidoso na ótima vitória da Ponte Preta, apesar das reclamações do Brusque em relação ao pênalti em cima do Iago. O próximo desafio da Macaca será fora de casa, às 16 horas do próximo domingo (29) contra o Vasco, pela 21ª rodada da série B.

O jogo

A Ponte teve a primeira chance aos dois minutos, com Niltinho chegando na área, mas a defesa conseguiu desarmar o lance. Aos cinco, Locatelli foi derrubado com falta. Cleylton cobrou um canhão e carimbou a trave, assustando o time adversário e quase abrindo o placar.

Aos oito, boa jogada de Moisés, que deu dois dribles no marcador e foi rumo a área. O atacante foi bloqueado, mas Locatelli mandou para a área e Fessin cabeceou, o goleiro tocou e mandou para escanteio. Aos nove, bom lance com Felipe Albuquerque e Niltinho, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo.

Aos 11, Moisés cobrou escanteio. Na sobra, Rafael Santos mandou pra área e Moisés tentou o gol, mas a zaga cortou para novo escanteio. Aos 14, Rodrigão recebeu na intermediária de ataque, dominou, mas sofreu a falta. André Luiz cobrou, mas ela ganhou muita força e saiu por cima do gol. Aos 21, susto alvinegro, com uma bomba jogada ao gol da Ponte que Ivan defendeu, espalmando para longe do perigo.

Aos 23, Moisés saiu em velocidade, driblou três e chutou forte, mas a bola saiu pela linha de fundo. Na sequência, Rafael Santos cruzou para Rodrigão e a zaga mandou para escanteio.  Na cobrança, mais uma vez a zaga mandou para fora. Niltinho mandou na área e Rodrigão subiu mais do que todo mundo e cabeceou para o fundo da rede: 1 a 0 para a Macaca.

Aos 28, na área, Niltinho ajeitou para André Luiz, mas ela acabou saindo em linha de fundo. Aos 37, saiu o segundo: Moisés recebeu de Fessin pela esquerda, tocou pro meio e a zaga afastou. Porém, o próprio Fessin chegou de frente pro lance, pegou a sobra e bateu de primeira pro gol. 2 a 0. Aos 48, o juiz apitou o final da partida, sem que ninguém mais mexesse no placar.

No segundo tempo, os visitante começaram atacando e conseguiram dois escanteios seguidos, mas a zaga cortou os lances, o último deles com boa defesa de Ivan. Aos sete, Rodrigão ficou com ela e tentou fazer o segundo dele no jogo, mas não conseguiu concluir.  O adversário pressionava bastante, tentando diminuir o placar, e a Macaca buscava explorar os espaços que o Brusque deixava.

Aos nove, Ivan brilhou fazendo uma defesas incrível após a bola bater na trave e ser chutada para o gol alvinegro mais uma vez.  Aos 15, Locatelli recuperou bola e saiu em contra-ataque, mas foi parado com falta.

Aos 18, bom lance com Locatelli passando para Niltinho, que mandou para Rodrigão chutar, mas o camisa 99 foi bloqueado.  Aos 23, Rodrigão saiu para o ataque, mas levou carrinho e a bola saiu para escanteio. Na cobrança, Moisés chutou forte, de voleio, mas ela estourou na defesa. Aos 29, Iago foi derrubado na área, em pênalti claro.  Moisés cobrou sem chance de defesa para o goleiro oponente. 3 a 0.

Aos 36, Iago saiu em velocidade e chutou forte de canhota, mas ea explodiu na zaga do Brusque. Os visitantes queriam descontar e por pouco não conseguiram, aos 38, em um chute à queima-roupa defendido com defesa milagrosa de Ivan, com o pé. Na sequência, quase saiu o quarto gol alvinegro, com João Veras saindo em velocidade e chutando cruzado, mas ela saiu pela linha de fundo.

Aos 47, Richard saiu em velocidade e teve boa chance, mas a bola acabou sendo cortada pela zaga. Aos cinquenta, o juiz apitou o final de jogo com a Ponte, de goleada, vencendo o quarto seguido no Majestoso e iniciando o returno com o pé direito.

Ficha do jogo

Ponte Preta:  Ivan, Felipe Albuquerque, Thiago Lopes, Cleylton e Rafael Santos; André Luiz, Vini Locatelli (Lucas Cândido) e Fessin (Marcos Jr); Niltinho (Iago), Moisés (Richard) e Rodrigão (João Veras). Técnico: Gilson Kleina

Brusque: Zé Carlos; Toty, Ianson, Everton Alemão e Airton; Nonato (Fio), Rodolfo Potiguar (Pepê) e Diego Mathias (Jonatha Alagoano); Bruno Alves, Thiago Alagoano e Maurício Garcez. Técnico: Gerson Testoni.

Gols: No primeiro tempo, Rodrigão, aos 26, e Fessin aos 37 minutos. No segundo tempo, Moisés fez aos 32.

Arbitragem: Diego Pombo Lopez apitou, tendo como assistentes Alessandro Álvaro Rocha de Matos e Jucimar dos Santos Dias. O quarto árbitro foi Matheus Delgado Candançan e o analista de campo, Antonio Rogerio Batista do Prado .

Cartões amarelos: Vini Locatelli (Ponte), Ianson (Brusque)

Jogo realizado no Majestoso, válido pela 20ª rodada do Brasileiro da série B, sem público (nem renda) em virtude da pandemia

fonte: https://pontepreta.com.br/noticias-detalhe/20210822ppgb

Comentários Facebook
Propaganda

esportes

Cruzeiro e Náutico empatam pela serie B

Publicados

em


Fim da disputa na Série B do Brasileiro para Cruzeiro e Náutico. As duas equipes empataram sem gols em jogo válido pela 38ª, e última, rodada da competição. A partida aconteceu no Mineirão, em Belo Horizonte, na noite desta quinta-feira (25).

A Raposa se despede da Série B deste ano com 48 pontos, atualmente em 11º lugar. Já o Timbu somou 53 pontos e termina em oitavo.

O jogo

O Cruzeiro pressionou o Náutico na etapa inicial do Mineirão. Logo aos seis, Marcelo Moreno recuperou a bola no ataque, limpou a marcação e chutou firme, mas a bola foi sobre o gol. Na altura dos 28, Rômulo fez o goleiro Anderson trabalhar em finalização de fora da área. O arqueiro apareceu novamente em chute de Claudinho.

A pressão da Raposa só aumentou. Aos 33, Giovanni chutou colocado e o goleiro do Náutico operou uma grande defesa. No ataque seguinte, Anderson espalmou uma pancada de Eduardo Brock. O Timbu apenas ameaçou aos 45, em desvio de Thássio, que passou próximo à trave. O time celeste terminou a primeira etapa com 16 finalizações, mas o placar foi mantido.

No segundo tempo, o Cruzeiro iniciou com o mesmo ritmo. Na altura dos seis, Wellington Nem cabeceou de dentro da pequena área, mas Anderson defendeu. Já aos dez, foi a vez de Marcelo Moreno arriscar o chute, porém a bola foi para fora.

Com um ritmo intenso na volta do intervalo, a partida ficou mais cadenciada a partir dos 20 minutos. O time mineiro seguiu com a posse, mas o Náutico conseguiu se estruturar melhor no campo de defesa, dificultando o ataque cruzeirense. Na reta final, o Cruzeiro teve mais algumas oportunidades, mas não foi às redes e o placar terminou 0 a 0.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana