POLÍCIA

Policiais constatam maus-tratos contra seis cães e resgatam animais

Publicados

em

Por Raquel Teixeira

Policiais civis constataram uma situação de abandono e maus tratos de seis cães na cidade de Ribeirão Cascalheira (900 km a leste de Cuiabá). Na quarta-feira (22), a Delegacia da Polícia Civil recebeu uma denúncia de que uma cadela adulta não parava de latir e estava amarrada e os filhotes em um lugar insalubre, mas não havia ninguém na residência.

Uma vizinha viu a situação e acionou a Polícia Civil. A equipe policial foi até o local da denúncia e constatou o abandono dos cães. Os cinco filhotes foram encontrados em um espaço debaixo de uma caixa d’água, que estava alagado. Eles estavam maltratados e um deles tem ferimentos profundos , já com proliferação de larvas.

Os animais foram resgatados do local e ficaram sob os cuidados de uma moradora da vizinhança, que se disponibilizou a cuidar dos cães.

Os investigadores realizaram diligências para localizar o dono da residência onde estavam os animais, mas não obtiveram êxito.

No período da tarde de quarta-feira, o suspeito se apresentou na unidade policial de Ribeirão Cascalheira e foi ouvido pelo delegado Sérgio Luís Henrique de Almeida. “Ele se apresentou de forma espontânea à delegacia para prestar esclarecimentos acerca dos fatos, motivo pelo qual não foi lavrado o auto de prisão em flagrante delito e foi instaurado um procedimento para melhor apuração e investigação”, informou o delegado.

A situação em que os animais foram encontrados caracteriza suposta prática de crime previsto no art. 32, da Lei de Crimes Ambientais (praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos). Uma mudança na legislação, que entrou em vigor neste ano, aumentou a pena do crime quando se tratar de cão ou gato, com reclusão de dois a cinco anos de prisão, multa e proibição da guarda.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Autor de homicídio de vítima que sofreu tortura é preso pela Polícia Civil

Publicados

em

 

Por Raquel Teixeira

O autor de um homicídio qualificado ocorrido em março deste ano, em Várzea Grande, e identificado nas investigações da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) foi preso nesta terça-feira, 26 de outubro, por equipes da unidade policial.

O investigado, de 18 anos, foi localizado no bairro 23 de Setembro e tentou fugir ao avistar os policiais civis. Ele pulou muros de residências, mas na fuga acabou encontrando de frente um dos investigadores da DHPP, que o deteve.

O homicídio pelo qual responde o investigado ocorreu no dia 10 de março deste ano e vitimou José Carlos Pereira da Costa, de 26 anos, encontrado aos fundos de uma região de motéis, em via pública, na área central de Várzea Grande. A vítima foi morta de forma cruel e o corpo apresentava sinais de tortura, uma lesão por esgorjamento (corte profundo na parte anterior do pescoço) e lesões causadas por arma cortante e arma de fogo.

A investigação da DHPP conduzida pelo delegado Olímpio da Cunha Fernandes Jr. apurou que o crime foi cometido por motivo banal e envolveu uma rixa por causa de um suposto furto de R$ 90,00 da vítima. Os policiais identificaram que o crime foi cometido por duas pessoas, um familiar da vítima e um amigo, uma delas presa nesta terça-feira.

Após cometer o crime, o investigado fugiu do bairro em que residia e não foi localizado durante as diligências. A prisão foi representada à 1a Vara Criminal de Várzea Grande, que deferiu o pedido diante dos elementos de autoria atribuídos ao rapaz investigado pelo homicídio.

Durante interrogatório na DHPP, ele se manteve em silêncio. O inquérito já foi finalizado e encaminhado à justiça em maio deste ano.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana