POLÍCIA

Polícia recupera R$ 60 mil em ações de combate a estelionato pela internet

Publicados

em

Aproximadamente R$ 60 mil subtraídos de vítimas em golpes de estelionato praticados por meios eletrônicos e com uso da internet foram recuperados pela Polícia Civil, na última semana, em ações realizadas pela Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI) em parceria com delegacias do interior do estado.

Os valores foram bloqueados em contas-correntes utilizadas por estelionatários sendo referente a golpes aplicados em oito vítimas em diferentes cidades do estado.

Os bloqueios foram realizados em ações da DRCI com apoio da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (DERFVA), Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá e Delegacias de Barra do Garças, Nova Mutum, Sinop, Vera, Porto Esperidião e Matupá.

Somente na Capital, as ações resultaram no bloqueio de cerca de R$ 25 mil subtraídos de duas vítimas. Em um dos casos atendido pela DERFVA, a vítima passou por um roubo de veículo com restrição de liberdade, ocasião em que foi obrigada pelos criminosos a fazer transferências bancárias para contas indicadas pelos criminosos.

Em outra situação atendida pela Derf Cuiabá, a vítima fez uma transferência via pix, acreditando ter feito uma compra e somente após não receber retorno do vendedor, desconfiou que havia caído em golpe.

Em ação conjunta com a Delegacia de Nova Mutum, foi possível recuperar R$ 1 mil de uma vítima que caiu no golpe da falsa empresa de empréstimo. Durante a negociação, o estelionatário solicitou valores para a vítima, que seriam referentes às taxas para liberação do empréstimo. Ao perceber que havia caído em um golpe, a vítima procurou a Polícia, sendo possível o bloqueio do valor transferido.

Em Barra do Garças, a vítima caiu no golpe do Instagram, ocasião em que viu no perfil de uma conhecida a venda de alguns móveis. Acreditando que estava conversando com a pessoa que conhecia, a vítima realizou a compra de uma geladeira e de uma máquina de lavar. A vítima somente descobriu que havia caído em um golpe, após o perfil do Instagram ser desativado.

Em parceria com a Delegacia de Sinop, foram recuperados R$ 23 mil subtraídos de uma vítima que recebeu uma ligação supostamente de uma atendente do banco falando que ele precisava comparecer ao caixa eletrônico para cancelar algumas transações, que estavam tentando fazer em sua conta bancária. A vítima foi induzida a fazer o passo a passo instruído pela atendente e somente depois descobriu que havia transferências para contas indicadas pela suspeita.

No município de Vera, uma mulher foi vítima do golpe do falso perfil de WhatsApp e fez a transferência de valores para uma pessoa que acreditava ser sua filha. Após a comunicação à Polícia, foram recuperados R$ 2,6 mil.

A Polícia Civil, por meio da DRCI e Delegacia de Porto Esperidião, recuperou aproximadamente R$ 5 mil de uma outra vítima de golpe. Nesta situação, o estelionatário novamente se passando por atendente do banco, disse que estavam utilizando o cartão da vítima para fazer diversas compras em um estabelecimento comercial.

A vítima foi orientada a baixar um aplicativo, que possivelmente foi utilizado para clonar as senhas dos bancos, uma vez que o golpista já tinha conhecimento de vários dados da vítima. A vítima notou que havia caído no golpe quando acabou o dinheiro de sua conta-corrente.

Conforme o delegado da DRCI, Ruy Peral, as ações de combate a golpes de estelionato cometidos pela internet são constantes resultando no bloqueio de valores subtraídos das vítimas. “Após providências de praxe junto às agências bancárias, as vítimas terão os valores restituídos”, disse.

As ações também contaram com parcerias do setor antifraudes dos bancos: Mercado Pago, Caixa Econômica Federal, Dock, Santander, Original, BS2, C6 Bank, Inter e Picpay.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Força-Tarefa cumpre 61 mandados de prisão e busca e apreensão contra integrantes de facções criminosas em MT

Publicados

em

Força-Tarefa composta pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar, deflagrou a Operação Dissidência para cumprimento de 22 mandados de prisão preventiva, 03 prisão temporária e 36 busca e apreensão nos estados de Mato Grosso e Rio de Janeiro contra envolvidos em crimes como homicídios, tortura e tráfico de drogas.

Durante as investigações da Força-Tarefa foi identificado que na região centro-norte do estado de Mato Grosso estaria ocorrendo uma guerra entre uma facção criminosa e sua dissidência pelo controle na venda de drogas, principalmente, no município de Sorriso, o que provocou um aumento exponencial em homicídios no município.

A Força-Tarefa de Segurança Pública instaurou um inquérito policial para apurar os fatos e, com um complexo trabalho de investigação e de inteligência, as equipes identificaram os líderes das facções na região, inclusive, de dentro do sistema penitenciário, bem como outros integrantes responsáveis por promover homicídios, torturas, tráfico de drogas, entre outros crimes graves. Também foi possível identificar uma mulher de 30 anos como uma das líderes do grupo criminoso, que residiria no estado do Rio de Janeiro e transitava com frequência entre os municípios do Rio de Janeiro e Macaé, locais onde possuía residência.

Foram cumpridos mandados expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Sorriso/MT nos municípios de Cuiabá/MT, Várzea Grande/MT, Sinop/MT, Sorriso/MT, Marcelândia/MT, Peixoto de Azevedo/MT, Terra Nova do Norte/MT, Tangará da Serra/MT, Guarantã do Norte/MT, Rio de Janeiro/RJ e Macaé/RJ. Também foram cumpridos mandados de prisão na Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira, em Sinop; na Penitenciária Central do Estado e na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, ambas em Cuiabá e na Cadeia Pública de Peixoto de Azevedo, em desfavor de criminosos que já se encontravam presos.

Além das equipes da Polícia Civil, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar, que incluíram cães farejadores com o intuito de busca por entorpecentes, também foram utilizados helicópteros do Centro Integrado de Operações Aéreas (Cioaper) e da Polícia Rodoviária Federal. A FTSP/MT tem por objetivo a atuação conjunta e integrada no combate ao crime organizado no estado do Mato Grosso.

Fonte: PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana