POLÍCIA

Polícia prende duas pessoas por manter jovem em cárcere privado e roubo

Publicados

em

Rafael Lorenzetti no detalhe da imagem, e os dois suspeitos em uma moto

Os dois suspeitos envolvidos no roubo com restrição de liberdade da vítima, cometido contra o adolescente Rafael Lorenzetti, 17 anos, em Tangará da Serra (a 239 km de Cuiabá), foram detidos pela Polícia Judiciária Civil, na sexta-feira (14.05).

 Rafael é filho do empresário Luciano Lorenzetti, que atua no setor de materiais de construção em Mato Grosso. Ele teve seu carro roubado por dois suspeitos na quarta-feira (12) e foi levado como refém. Inicialmente, o crime foi tratado como sequestro, mas como não houve pedido de resgate, esse tipo de crime foi descartado.

 O primeiro suspeito se trata de uma adolescente de 17 anos, que foi reconhecido pela vítima. Ele foi detido durante diligências em um bairro de Tangará. Logo após a apreensão do menor, o segundo envolvido, de 19 anos, se apresentou na Delegacia do município. 

 Investigação e prisão

 Segundo informações da Polícia Civil, assim que a dupla foi apontada como suspeita do crime, Rafael foi até a delegacia e conseguiu fazer o reconhecimento fotográfico do adolescente como um dos autores do crime.

 Com a informação, os policiais intensificaram as buscas pelo suspeito que a todo momento trocava de endereço para escapar de uma possível abordagem policial, inclusive conseguindo fugir dos policiais em uma tentativa de abordagem anterior, também no bairro Jardim Shangri-lá.

 No final da tarde desta sexta-feira (14), os policiais receberam novas informações de que o suspeito havia retornado para o bairro e montaram uma operação para realizar a apreensão do menor. Ao perceber a presença dos policiais, o adolescente tentou fugir pelos quintais das casas, porém acabou detido durante o cerco. 

 Três pessoas que estavam nas imediações no momento da apreensão e que tem amizade com o suspeito foram conduzidas para prestar esclarecimentos, sendo ouvidos e liberados. Apenas um dos conduzidos responderá a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por uso de droga.

 Tipificação

 Segundo o delegado, Adil Pinheiro de Paula, o adolescente que teve o envolvimento identificado no roubo ficou a todo momento com a vítima, sendo o responsável por realizar a abordagem, indo com ela em direção à cidade de Nova Olímpia e ficando escondido na região de Novo Progresso.

 Durante os procedimentos na delegacia, o segundo envolvido (maior de idade) se apresentou confessando a sua participação no crime. 

 “O caso está sendo tratado como roubo com restrição de liberdade da vítima, uma vez que não houve o pedido de resgate, não caracterizando assim o sequestro. Informações preliminares indicam que os suspeitos tiveram um desentendimento, pois um queria pedir o resgate pela vítima e o outro queria apenas roubar o veículo”, disse o delegado.

 Diante das evidências, o delegado representou pelo pedido de internação do adolescente pelo ato infracional de roubo com restrição de liberdade da vítima, que foi deferido pela Justiça. 

 O menor poderá ficar até cinco dias na Delegacia de Tangará da Serra aguardando a vaga no sistema socioeducativo.

 O caso

 O crime ocorreu na quarta-feira (12), quando a  vítima retornava da escola, conduzindo um veículo Volkswagen Polo e foi abordada por dois suspeitos em uma motocicleta, no momento em que reduziu a velocidade para entrar em sua casa.

 Na ocasião, o suspeito menor de idade, que estava na garupa da motocicleta, desceu em posse de uma arma de fogo rendendo a vítima e assumindo a direção do veículo Polo. A vítima foi levada junto ao suspeito.

 Assim que foram acionadas, as equipes da Polícia Civil e Polícia Militar iniciaram as diligências para localizar a vítima. Durante as buscas na zona rural do município na comunidade conhecida como Bezerro Vermelho, os policiais localizaram o veículo da vítima fora da estrada e com avarias.

 Em continuidade às diligências, os policiais encontraram a vítima em uma região de mata, próxima ao Distrito de Progresso, na MT-358. O adolescente foi entregue à família sem lesões corporais.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Autor de feminicídio diz que levou notebook de vítima para ver mensagens

Publicados

em

(Imagem meramente ilustrativa)

Por Raquel Teixeira

Em depoimento nesta quinta-feira (17.06) à equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá, o autor do feminicídio que vitimou Dennilla Cris Dantas Barbosa, 19 anos, ocorrido em Araputanga no dia 16 de junho, deu detalhes de como cometeu o crime e admitiu que matou a garota por ciúmes.

O estudante de odontologia de 24 anos, natural de Fortaleza (CE), foi preso por uma equipe da DHPP, que realizou diligências em apoio à Delegacia da Polícia Civil em Araputanga. Ele foi localizado nas dependências de um centro de comércio popular, no bairro do Porto, em Cuiabá, na manhã desta quinta-feira, onde fazia compras logo depois de ter cortado o cabelo.

No local, ele também comercializou em uma das bancas do centro comercial, o notebook que havia dado de presente à vítima na ocasião do relacionamento entre ambos e que levou dela após cometer o crime.

Durante depoimento na sede da DHPP, na Capital, ao delegado Caio Fernando Albuquerque, o estudante confessou o crime e disse que em razão do término do relacionamento com a vítima e querendo entender o motivo e conversar com Dennila, ele resolveu vir a Mato Grosso. Ele estava em Araputanga desde a segunda-feira, mas disse que somente na quarta-feira é que ‘tomou coragem’ de procurá-la. Antes porém, foi até um supermercado da cidade, onde fez compras, inclusive de uma faca, a que usou para cometer o crime. Ele alegou que tinha o “costume” de andar com uma faca à noite, para sua defesa.

Ainda em depoimento, o autor do crime relatou que a vítima não o esperava e após ambos conversarem “normalmente”, ele aproveitou-se do instante em que ela foi ao banheiro e olhou o computador da vítima, onde afirma ter visto conversas de Dennila com outra pessoa. Nesse momento, ele afirmou ao delegado que ficou ‘cego’ e atacou a vítima. Em seguida, se lavou, mas deixou a residência com sangue nas vestes e no próprio corpo. Ele alega que levou o computador para que continuasse a leitura das mensagens.

Após o procedimento na DHPP, o estudante foi autuado em flagrante por homicídio qualificado por motivo fútil, emprego de meio cruel, recurso que impossibilitou a defesa e por ser praticado contra mulher em situação de violência doméstica, caraterizando feminicídio. O delegado representou à Justiça pela conversão do flagrante em prisão preventiva.

Ele será recambiado para Araputanga e ouvido no inquérito instaurado pela Polícia Civil no município.

Crime

Dennila foi encontrada pela mãe no chão do quarto de sua residência, no centro de Araputanga, na quarta-feira. O corpo apresentava golpes causados por objeto cortante na região do pescoço e no braço direito. Uma faca foi encontrada na mão direita da vítima, além de uma carta que teria sido escrita no computador dela, indicando que a garota teria cometido um possível suicídio.

De acordo com o delegado de Araputanga, Herbert Yuri Figueiredo Rezende, o estudante de odontologia cometeu o crime por não aceitar o término do relacionamento.

A Polícia Civil em Araputanga apurou que depois de cometer o crime, o estudante cearense percorreu a cidade à procura de uma corrida de mototáxi para a cidade vizinha, São José dos Quatro Marcos. No hotel em que se hospedou em Araputanga, ele apresentou um nome falso. Depois de pegar uma mototáxi até a cidade vizinha, ele fez um saque em uma agência bancária, pagou a corrida e depois foi para a rodoviária, onde pegou um ônibus para Cuiabá. A investigação da Delegacia de Araputanga iniciada ainda na tarde em que o corpo da vítima foi encontrado por sua mãe apontou que objetos pessoais da vítima haviam desaparecido da casa, como o notebook e uma mesa digital de desenho. A mãe de Dennila também reconheceu o ex-namorado da filha como o homem que havia se hospedado com nome falso no hotel da cidade.

Prisão de receptadores

Na manhã desta sexta-feira (18), policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Cuiabá, em apoio às investigações sobre o feminicídio, prenderam duas pessoas que compraram do autor do feminicídio o notebook que ele roubou da vítima.

A equipe da DERF realizou diligências no centro de comércio popular, no bairro do Porto, para localizar a banca onde o notebook foi vendido. Os investigadores encontraram o aparelho já exposto para venda e ao questionar o proprietário do local, o homem de 52 anos informou que o aparelho foi comprado no dia anterior e reconheceu o estudante de odontologia como a pessoa que levou o notebook.

O dono da banca disse ainda que foi pago R$ 1.300,00 pelo notebook, porém, quem fez a negociação foi seu funcionário, que confirmou as informações. Os dois foram conduzidos à delegacia especializada, onde foram autuados por receptação.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana