POLÍCIA

Polícia Civil investiga mulher que se passava por médica em hospitais da Capital

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

Uma mulher que se passava por médica em hospitais de Cuiabá foi abordada pela Polícia Civil, na manhã desta segunda-feira (22.02), em ação da Delegacia Especializada do Consumidor (Decon). No momento da abordagem, a jovem, de 19 anos, estava vestida de jaleco branco e se apresentava como médica pediatra para pacientes e médicos, em um hospital localizado no bairro Santa Helena, em Cuiabá.

Os policiais da Decon acompanhavam a movimentação da mulher há alguns dias e conseguiram informações de que a jovem se apresentava como médica formada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e dizia que trabalhava em unidades de saúde como Hospital Metropolitano, Hospital Geral e Hospital Júlio Muller.

Em uma rede social, a jovem postava fotos com jaleco e protetor facial se apresentando como profissional da saúde, além de marcar marcava médicos e hospitais e pedia a Deus que fizesse das mãos dele as suas.

As investigações também apontaram que a jovem esteve na cidade de Juína há alguns dias, ocasião em que novamente se passou por médica, conversando com pacientes e médicos.

Segundo o delegado da Decon, Rogério Ferreira, ao ser ouvida na Polícia Civil, a mulher disse que passou a fantasiar que era médica, após ter namorado um advogado e fiz isso para não ficar por baixo do seu ex. “Durante a oitiva ela disse que tem familiares com esquizofrenia e está se tratando com uma psicóloga”, disse o delegado.

As investigações continuam para apurar se a mulher apresentou documentos falsos em hospitais ou clínicas de Cuiabá ou de Juína, e se ela chegou a atender pacientes ou a cobrar para prestar serviços na área da saúde ou influenciar no atendimento de doentes em hospitais.

 

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

PM liberta vítimas, prende dois suspeitos e frustra roubo com cárcere privado

Publicados

em


Policiais Militares da 3ª Companhia de São José dos Quatro Marcos, de Araputanga e do Grupo de Apoio do 17º Batalhão de Mirassol D’Oeste frustraram um roubo com cárcere privado e prenderam dois suspeitos, de 21 e 22 anos, na noite da última sexta-feira (26.02).

A operação, que também contou com o apoio da Força Tática, apreendeu ainda um adolescente de 17 anos. A ação recuperou grande parte dos produtos roubados.

O crime ocorreu na cidade de São José dos Quatro Marcos (315 km de Cuiabá). Criminosos invadiram uma casa e fizeram uma família refém. Com a chegada da PM, ao invés da rendição, os ladrões saltaram para outras moradias vizinhas, onde também renderam outras pessoas.

Os policiais cercaram a quadra e passaram a fazer o adentramento tático nas casas. Na primeira, vizinha a que eles entraram para roubar, prenderam o primeiro suspeito, que tentava se esconder entre arbustos. Com ele, a PM apreendeu parte do dinheiro roubado.

Os policiais encontraram os outros suspeitos, um adulto e o adolescente, em uma terceira residência. Conforme a narrativa dos oficiais, os suspeitos resistiram à prisão e tiveram que ser algemados para ser contidos.

Aos policiais, os suspeitos revelaram que o plano, frustrado pela PM, era permanecer na casa até o amanhecer deste sábado (27.02), roubar duas caminhonetes e leva-las para Porto Esperidião.

Um revólver calibre 38 que teria sido empregado no roubo, com seis munições intactas, foi encontrado em uma das casas para as quais os ladrões fugiram na tentativa de se esconder da PM.

Com os presos a PM recuperou três relógios de pulso, duas correntes, três brincos, duas alianças, um pingente, um anel, todos de ouro, além de R$ 652 em dinheiro.

Os presos e todo o material apreendido foram entregues na Delegacia de São José de Quatro Marcos. Eles podem responder por roubo, cárcere privado, tortura, porte ilegal de arma de fogo, entre outros crimes.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque – denúncia 08000.65.39.39. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana