POLÍCIA

Polícia Civil de MT desarticula grupo criminoso que comprava veículos com cheques falsos em vários estados do país

Publicados

em

Quatro estelionatários que aplicavam golpes de compras de veículos com cheques falsos com vítimas em todo o país foram presos em flagrante em uma operação interestadual deflagrada pela Polícia Civil de Mato Grosso com apoio das Polícias Civis do Pará e de Mato Grosso do Sul.

A operação Defraudo, deflagrada pela Delegacia de Confresa finalizou nesta segunda-feira (03) com duas pessoas presas em Mato Grosso, no sábado (01), e mais duas pessoas presas nesta segunda-feira (03) no estado do Pará, além de dois veículos recuperados.

As investigações que resultaram na desarticulação do grupo criminoso tiveram início no mês de fevereiro, após os suspeitos passarem pela cidade de Confresa, onde aplicaram o golpe contra uma idosa de 66 anos, cujo prejuízo foi de R$ 28 mil.

As investigações da Delegacia de Confresa apontam que os envolvidos praticaram golpes nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Tocantins, nas cidades de Confresa (MT), Ipiranga do Norte (MT), Guarantã do Norte (MT), Agua Boa (MT), Colider (MT), Uruana (GO), Mineiros (GO), Três Lagoas (MS), Dracena (SP), Palmas (TO).Assim que foi comunicada dos fatos, a Polícia Civil, através da Delegacia Municipal de Confresa iniciou as investigações que levaram a identificação de quatro integrantes do grupo criminoso. As prisões dos suspeitos ocorreram nas cidades de Três Lagoas (MS) e Canaã dos Carajás (PA).

Segundo o delegado, Matheus Soares Augusto, a estimativa é que somente em 2021 a associação criminosa tenha causado prejuízos na ordem de R$ 300 mil às vítimas. O delegado acredita que no decorrer das investigações outras vítimas serão identificadas.

“Durante os trabalhos, ficou demonstrado que os criminosos eram especializados em crimes desta natureza. Com base na cidade de Rolim de Moura (RO), eles viajavam o Brasil aplicando golpes e retornavam ao seu estado eventualmente para descansarem e gastar o dinheiro obtido ilicitamente”, disse o delegado.

Os investigados serão indiciados por crimes de Estelionato Qualificado, Uso de Documento Falso, Falsidade Ideológica, Associação Criminosa e Lavagem de Dinheiro.

Os criminosos se apresentavam com documentação falsa, buscando vítimas idosas ou que percebessem alguma vulnerabilidade. Os supeitos demonstravam interesse na compra do veículo e ao se dirigir à agência bancária para realizar o pagamento, utilizavam cheques falsos.Atuação do grupo criminoso

As vítimas acreditando ter recebido a quantia negociada transferiam o veículo aos estelionatários, que a partir então anunciavam nas redes sociais e em sites de venda, com preços abaixo de mercado para que fosse vendido o mais rápido possível.

Ao encontrarem algum interessado vendiam o veículo e recebiam do dinheiro em suas contas bancárias. A vítima que recebeu o cheque falso só percebia o golpe alguns dias depois quando os veículos já haviam sido vendidos para terceiros.

Desafios da investigação

O delegado de Confresa, Matheus Augusto, a investigação contra estelionatários deste calibre é sempre um desafio muito grande, pois eles utilizam de documentos falsos, contas bancárias de laranjas, celulares cadastrados em nomes de terceiros.

“A garra e o comprometimento dos investigadores prevaleceu e os resultados vieram. O dia de hoje é muito importante para Polícia Civil pois demonstra que não existe crime perfeito e que mesmo diante dos desafios esses profissionais conseguem fazer um excelente trabalho”, disse.

O delegado estendeu o agradecimento ao Núcleo de Inteligência de Confresa e às Polícias Civis do Pará e de Mato Grosso do Sul.

A Delegacia Municipal estende seus agradecimentos ao Núcleo de Inteligência de Confresa/MT e às Polícias Civis do Pará e Mato Grosso do Sul.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Polícia prende duas pessoas por manter jovem em cárcere privado e roubo

Publicados

em

Rafael Lorenzetti no detalhe da imagem, e os dois suspeitos em uma moto

Os dois suspeitos envolvidos no roubo com restrição de liberdade da vítima, cometido contra o adolescente Rafael Lorenzetti, 17 anos, em Tangará da Serra (a 239 km de Cuiabá), foram detidos pela Polícia Judiciária Civil, na sexta-feira (14.05).

 Rafael é filho do empresário Luciano Lorenzetti, que atua no setor de materiais de construção em Mato Grosso. Ele teve seu carro roubado por dois suspeitos na quarta-feira (12) e foi levado como refém. Inicialmente, o crime foi tratado como sequestro, mas como não houve pedido de resgate, esse tipo de crime foi descartado.

 O primeiro suspeito se trata de uma adolescente de 17 anos, que foi reconhecido pela vítima. Ele foi detido durante diligências em um bairro de Tangará. Logo após a apreensão do menor, o segundo envolvido, de 19 anos, se apresentou na Delegacia do município. 

 Investigação e prisão

 Segundo informações da Polícia Civil, assim que a dupla foi apontada como suspeita do crime, Rafael foi até a delegacia e conseguiu fazer o reconhecimento fotográfico do adolescente como um dos autores do crime.

 Com a informação, os policiais intensificaram as buscas pelo suspeito que a todo momento trocava de endereço para escapar de uma possível abordagem policial, inclusive conseguindo fugir dos policiais em uma tentativa de abordagem anterior, também no bairro Jardim Shangri-lá.

 No final da tarde desta sexta-feira (14), os policiais receberam novas informações de que o suspeito havia retornado para o bairro e montaram uma operação para realizar a apreensão do menor. Ao perceber a presença dos policiais, o adolescente tentou fugir pelos quintais das casas, porém acabou detido durante o cerco. 

 Três pessoas que estavam nas imediações no momento da apreensão e que tem amizade com o suspeito foram conduzidas para prestar esclarecimentos, sendo ouvidos e liberados. Apenas um dos conduzidos responderá a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por uso de droga.

 Tipificação

 Segundo o delegado, Adil Pinheiro de Paula, o adolescente que teve o envolvimento identificado no roubo ficou a todo momento com a vítima, sendo o responsável por realizar a abordagem, indo com ela em direção à cidade de Nova Olímpia e ficando escondido na região de Novo Progresso.

 Durante os procedimentos na delegacia, o segundo envolvido (maior de idade) se apresentou confessando a sua participação no crime. 

 “O caso está sendo tratado como roubo com restrição de liberdade da vítima, uma vez que não houve o pedido de resgate, não caracterizando assim o sequestro. Informações preliminares indicam que os suspeitos tiveram um desentendimento, pois um queria pedir o resgate pela vítima e o outro queria apenas roubar o veículo”, disse o delegado.

 Diante das evidências, o delegado representou pelo pedido de internação do adolescente pelo ato infracional de roubo com restrição de liberdade da vítima, que foi deferido pela Justiça. 

 O menor poderá ficar até cinco dias na Delegacia de Tangará da Serra aguardando a vaga no sistema socioeducativo.

 O caso

 O crime ocorreu na quarta-feira (12), quando a  vítima retornava da escola, conduzindo um veículo Volkswagen Polo e foi abordada por dois suspeitos em uma motocicleta, no momento em que reduziu a velocidade para entrar em sua casa.

 Na ocasião, o suspeito menor de idade, que estava na garupa da motocicleta, desceu em posse de uma arma de fogo rendendo a vítima e assumindo a direção do veículo Polo. A vítima foi levada junto ao suspeito.

 Assim que foram acionadas, as equipes da Polícia Civil e Polícia Militar iniciaram as diligências para localizar a vítima. Durante as buscas na zona rural do município na comunidade conhecida como Bezerro Vermelho, os policiais localizaram o veículo da vítima fora da estrada e com avarias.

 Em continuidade às diligências, os policiais encontraram a vítima em uma região de mata, próxima ao Distrito de Progresso, na MT-358. O adolescente foi entregue à família sem lesões corporais.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana