POLÍCIA

Polícia apreende carregamento de soja com suspeita de adulteração

Publicados

em

A Polícia Civil, por meio de Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá), recuperou uma carga de soja avaliada em quase R$ 130 mil, a qual teve parte do material furtado e outra parte adulterada.

Na ação uma pessoa foi detida por suspeitas de adulterar o carregamento.

As investigações apontam que o motorista contratado pela empresa proprietária da soja, carregou o caminhão com o produto no município de Primavera do Leste, para levar a soja até o Terminal Ferroviário de Cargas em Rondonópolis.

Durante o trajeto parte da carga foi subtraída, bem como houve adulteração do produto com areia e outros materiais de qualidade inferior.

No entanto, no momento em que o motorista fazia a entrega e o descarregamento da mercadoria , a empresa percebeu a fraude e acionou a Polícia Civil.

O suspeito foi conduzido até a Derf de Rondonópolis para esclarecimentos, e o produto será periciado para constatação da adulteração.

Um inquérito foi instaurado para apuração dos fatos.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Polícia Federal retira invasores de Terra Indígena

Publicados

em

Polícia Federal retirou madeireiros, pecuaristas e grileiros que ocupavam a Terra Indígena Trincheira Bacajá, no sudoeste paraense. Com apoio do IBAMA, FUNAI, Força Nacional, ICMBio e ADEPARÁ, operação de desintrusão ocorreu no sul da Terra Indígena, na região do município de São Felix do Xingu.

Agora, a Polícia Federal e a Adepará buscam o gado deixado por pecuaristas no território. Na primeira fase da Operação, os acessos à Terra Indígena foram fechados, e os ocupantes que insistiam em permanecer em seu interior foram identificados e retirados da área. Bens e construções deixados foram destruídos ou desmobilizados.

Na segunda fase, iniciada dia 8/8, a Polícia Federal e a Adepará passaram a localizar e retirar bois e vacas da Terra Indígena. Esta etapa deve demorar dias, uma vez que os animais estão espalhados pelo terreno.

Após o encerramento dessa fase da operação, a Polícia Federal vai novamente destruir as pontes de acesso ao território. Outra ação semelhante já havia sido realizada pela Polícia Federal em novembro de 2021, ocasião em que todos os acessos à referida Terra Indígena foram destruídos.

Porém, em poucos meses, os invasores reconstruíram as pontes e reocuparam as áreas, provocando desmatamentos e formando pastos para criação de gado. Por conta disso, a Força Nacional permanecerá ocupando e fiscalizando os ramais de acesso, a fim de evitar novas invasões.

Fonte: Polícia Federal

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana