POLÍCIA

PM prende quadrilha e apreende 768 latas de tintas falsificadas em Pedra Preta

Publicado


.

Policiais militares do 1º Pelotão de Pedra Preta (a 238 km de Cuiabá) prenderam nesta quinta-feira (24.09), seis pessoas, sendo cinco homens e uma mulher, por estelionato.

Na ação policial, foram apreendidas 768 latas de tinta falsificadas, três veículos, oito celulares, três máquinas de cartão, 30 comprovantes de depósito e cadernos com anotações do fluxo de caixa.

Os policiais foram informados por um morador do Distrito de Galiléia que alegou ter sido vítima do golpe da tinta falsificada. Ele comprou  13 latas do produto por R$ 1 mil. Quando descobriu a irregularidade, acionou a PM.

Em diligência na busca dos suspeitos, os militares descobriram que a quadrilha estava hospedada e vendendo o material falsificado em um hotel localizado às margens da MT-364. Os criminoso passavam a informação que seriam vendedores ambulantes da cidade de Mogi das Cruzes, em São Paulo. A carga com o produto falsificado teria chegado na quarta-feira (23) e empilhada no estacionamento do hotel.

Uma equipe da Força Tática somou ao trabalho de abordagem e vistoria. O grupo confessou que iria vender a tinta nas cidades próximas. Uma análise superficial, os agentes perceberam que as embalagens eram imitações de duas marcas consolidadas no mercado.

O mesmo golpe foi aplicado em várias cidades do país como São Paulo, Bahia e Minas Gerais e, descoberto que a tinta seria uma mistura de água, cal e corante. Os valores de cada lata ou caixa eram vendidas de R$ 40 a R$ 70.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

 

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
publicidade

POLÍCIA

Polícia Civil prende um dos principais alvos de investigação sobre furto e roubo de gado na região metropolitana

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

Equipes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cuiabá (Derf) cumpriram nesta terça-feira (27) a prisão preventiva contra um dos principais alvos da Operação Mahyas, deflagrada em agosto deste ano contra uma organização criminosa envolvida em roubo, furto e receptação de gado em municípios da Baixada Cuiabana.

O homem, de 46 anos, foi localizado na Capital pela equipe policial coordenada pelo delegado Ruy Guilherme Peral. Conforme investigações da Derf Cuiabá, o alvo foi identificado como o responsável pela logística de transporte, ocultação, abate e revenda da carne dos animais roubados e furtados.

A operação Mahyas foi deflagrada no início de agosto para cumprimento de 53 ordens judiciais, entre prisões, buscas, apreensões e sequestro de bens contra alvos da organização criminosa que teve atuação identificada em várias cidades da região metropolitana de Cuiabá. Durante a operação também foram suspensas as atividades comerciais de três açougues que vendiam carnes de animais provenientes de abatedouros clandestinos.

Os mandados referentes aos crimes de organização criminosa, roubo majorado e furto qualificado foram cumpridos nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Nossa Senhora do Livramento, Acorizal, Jangada, Barra do Bugres e Nova Mutum. As ordens judiciais foram deferidas pela 7a Vara Criminal de Cuiabá.

As investigações da Derf Cuiabá iniciaram há aproximadamente um ano, devido à complexidade dos trabalhos na zona rural. De acordo com os levantamentos, a atuação da organização criminosa causou um prejuízo de mais de R$ 3 milhões para as vítimas.

Para praticar os crimes, o grupo criminoso rendia moradores e funcionários das propriedades, os mantendo em cárcere privado até realizarem o roubo dos animais, deixando o local somente após o gado ser desembarcado no local em que ficaria escondido.

A expressão ‘mahyas’ é uma das origens da palavra  máfia.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana