AGRO & NEGÓCIO

Piscicultura na Amazônia é tema de live

Publicado


.

Nesta sexta-feira, 5 de junho, acontece mais uma live da série “Amazônia em Foco”, que a Embrapa vem promovendo nas últimas semanas em seu perfil no YouTube (www.youtube.com/embrapa). Agora, é a vez da discussão girar em torno da piscicultura na região, com destaque para as áreas de genética e sanidade. Luciana Shiotsuki, pesquisadora da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas, TO), Sandro Loris, pesquisador da Embrapa Roraima (Boa Vista, RR), e Paulo Renato, piscicultor e diretor da Ração Confiança (Manaus-AM), vão debater o tema mediados por Eric Routledge, chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pesca e Aquicultura.

De acordo com Luciana, “o foco principal é falar da região amazônica, o que nós estamos fazendo. Vamos começar falando do tambaqui. A aquicultura é uma das atividades principais da região Norte. Nós vamos abordar a espécie principal, que é o tambaqui, e falar dos principais gargalos; (a discussão) vai envolver as demandas que existem no melhoramento genético, pacotes tecnológicos e a sanidade. O acantocéfalo é um dos principais problemas que o pessoal (produtores) tem tido na região Norte”.

São vários os desafios na área de sanidade aquícola na região, segundo Sandro. O pesquisador destaca “o pouco conhecimento ou o desconhecimento sobre a fauna de parasitas e outros agentes etiológicos das espécies de peixes nativas e suas relações de equilíbrio na natureza e em cativeiro pelos técnicos e produtores; o medo de produtores, considerando propaganda negativa, em relatar a ocorrência de problemas de saúde em seus peixes, em relatar a visualização de sinais clínicos em seus peixes, em não permitir o acesso de órgãos de pesquisa para acompanhar a dinâmica sanitária de sua produção ou até mesmo não comunicar a morte de peixes em suas propriedades para os órgãos responsáveis; a existência de poucos profissionais qualificados na área e o não reconhecimento por parte dos produtores destes profissionais por ‘não conseguirem apagar o fogo dentro d’água’, ou seja, salvar a produção”.

A discussão envolverá diferentes projetos que a Embrapa coordena na região, sobretudo nas duas áreas tema da live. As demandas que o setor produtivo apresenta, os trabalhos que a Embrapa e parceiros vêm desenvolvendo na perspectiva de atendê-las e um destaque para a acantocefalose, doença causada pelo parasita Neoechinorhynchus buttnerae, considerada um dos principais problemas no cultivo do tambaqui, deverão nortear esta edição da “Amazônia em Foco”, marcada para começar às 14h30 no horário de Brasília.

A participação efetiva de um piscicultor, que é parceiro da Embrapa, reforça a vontade da empresa de estar cada vez mais próxima do setor aquícola, percebendo suas necessidades e trabalhando de maneira conjunta para que a atividade possa ser desempenhada de maneira sustentável sob os diferentes pontos de vista: econômico; ambiental; e social.

Serviço:

O que: live “Piscicultura com foco em genética e sanidade” / série “Amazônia em Foco”

Quando: 05 de junho, às 14h30 (horário de Brasília)

Onde: www.youtube.com/embrapa (perfil da Embrapa no Youtube)

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
publicidade

AGRO & NEGÓCIO

Dia Mundial do Chocolate: nutricionista explica os benefícios

Rico em vitaminas C e E, minerais como o cálcio, fósforo, ferro, potássio e sódio, o cacau, matéria-prima do chocolate, contém ainda uma boa quantidade de fibras e carboidratos. Outro elemento presente, a feniletilamina é conhecida por causar a sensação de bem-estar.

Publicado

Por Luciane Mildenberger

Capaz de trazer boas sensações e alegrar alguém especial, como um presente, o chocolate apresenta benefícios à saúde se consumido adequadamente. Para comemorar o Dia Mundial do Chocolate, nesta terça-feira (07.07), a nutricionista do Fort Atacadista de Mato Grosso, Rafaela Curcino Moreira, recomenda o chocolate, com moderação. Ela destaca os benefícios do produto para o nosso dia a dia.

Rico em vitaminas C e E, minerais como o cálcio, fósforo, ferro, potássio e sódio, o cacau, matéria-prima do chocolate, contém ainda uma boa quantidade de fibras e carboidratos. Outro elemento presente, a feniletilamina é conhecida por causar a sensação de bem-estar. “É a substância que o nosso cérebro produz quando se encontra apaixonado”, explica a nutricionista.

Fonte de energia, o chocolate alivia o estresse, combate a ansiedade, ajuda o raciocínio e até mesmo melhora o humor, com a liberação de serotonina, conhecido como “hormônio da felicidade”. A recomendação, diz Rafaela, é comer o chocolate com a maior porcentagem de cacau possível, acima de 55%, no mínimo. “O amargo ou meio amargo, são as melhores opções”, esclarece.

Outros benefícios do consumo de chocolate com mais de 70% de cacau é a diminuição de inflamações e a melhora da imunidade. “Os flavonóides presentes no cacau são potentes antioxidantes e agentes antiinflamatórios, apontam pesquisas”, cita a nutricionista, que acrescenta também que o consumo pela manhã e no final da tarde alivia o estresse. “São períodos que temos picos de cortisol, que provocam o estresse. O consumo do chocolate nesses horários consegue equilibrar esse efeito”, explica.

Entretanto, conforme a nutricionista, mesmo os chocolates com maior teor de cacau são calóricos e possuem açúcares, então devem ser consumidos com cautela. O segredo, diz ela, está no equilíbrio. “Uma porção de 6 a 30 gramas por dia não atrapalha uma alimentação equilibrada”.

A produtora executiva de cinema, Bárbara Varela, é uma chocólatra assumida. “Celebrar o dia do chocolate se deliciando com um, é celebrar a vida, a alegria. E nessa pandemia, não da para ficar sem, pelo menos um por dia”, comenta.

Nas lojas do Fort Atacadista em Cuiabá e Várzea Grande o consumidor encontra uma variedade de chocolates e diferentes marcas que agradam todos os paladares. Desde o amargo, meio amargo aos mais doces, as unidades oferecem diferentes formas, cores e sabores de chocolate, alimento descrito pelo povo Maia como “elixir dos deuses”.

As lojas da rede em Cuiabá estão localizadas nas Avenidas Miguel Sutil e Fernando Corrêa da Costa e, em Várzea Grande, na Avenida da FEB. O Fort cumpre todas as recomendações e protocolos de saúde dos órgãos oficiais contra o coronavírus. O horário de funcionamento das lojas é segunda a domingo, das 7h às 21h, em Cuiabá, e das 6h30 às 19h30, em Várzea Grande. 

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana