POLÍCIA FEDERAL

PF investiga saque fraudulento em FGTS

Publicado


.

Goiânia/GO – A Polícia Federal deflagrou hoje (17/09) a Operação Adikia, objetivando combater fraude do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço de valores que deveriam ser destinados a construção de casas habitacionais em Teresina/PI.

Cerca de 60 policiais federais estão dando cumprimento a 15 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Anápolis/GO, sendo 14 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão, além de mandados de sequestro de imóvel em condomínio de luxo e veículos automotores, avaliados em aproximadamente 2 milhões de reais.

 A investigação identificou que um então advogado e principal investigado (atualmente com suas inscrições na Ordem dos Advogados de Goiás e São Paulo canceladas) ingressou com ação judicial, utilizando-se de uma falsa representação (atuando sem procuração) e, com argumentos fictícios e fraudulentos, obteve a transferência de aproximadamente R$ 5 milhões para uma conta judicial em Corumbá de Goiás/GO. Posteriormente, foram transferidos para a conta bancária dele, sendo os valores pulverizados, a partir de então, para diversas outras contas.

 A presente etapa da operação contribuirá com a identificação de outros possíveis autores e partícipes que eventualmente colaboraram com o crime principal, bem como com o destino dado aos recursos públicos ilicitamente apossados, seja por meio de transferências para terceiros, aquisição de bens ou incorporação patrimonial.

Será realizada coletiva de imprensa às 10h00, no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal em Goiás.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Goiás

[email protected] | www.pf.gov.br

(62)3240-9607

(62)99216-6260

 

***O nome de operação faz alusão à personificação da injustiça, representada na mitologia grega por uma Deusa.

 

Mandados de Busca e Apreensão em Goiás:

– 9 em GOIÂNIA

– 1 em ITUMBIARA

– 1 em ANÁPOLIS

 

1 Mandado de Prisão em Goiânia

 

Mandados de Busca e Apreensão em São Paulo:

– 1 em SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

– 1 em CARDOSO

– 1 em VOTUPORANGA

 

Bens Sequestrados

– 1 casa de luxo em condomínio fechado (1.250 milhões);

– 1 chácara em Aparecida de Goiânia/GO;

– 3 caminhões ( 2 ano 2019 – 350 mil cada; 1 ano 2010/11 – 150 mil);

– 1 BMW X6 (110 mil)

 

 

 

Comentários Facebook
publicidade

POLÍCIA FEDERAL

PF combate migração ilegal de pessoas para o exterior

Publicado


Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou na terça-feira (27/10) a Operação TARRAFA, para combater a promoção de migração ilegal de pessoas com destino aos Estados Unidos.

Participaram da operação 16 policiais federais, dando cumprimento a quatro mandados judiciais de busca e apreensão na cidade de Pescador/MG, todos expedidos pela 1ª Vara da Justiça Federal de Govenador Valadares, que resultaram na apreensão de aparelhos celulares, mídias e documentos, que serão analisados para instrução da investigação.

ENTENDA O CASO

Os investigados têm como prática o envio ilegal de pessoas da região mineira do Vale do Mucuri para os EUA. Eles atuavam conforme esquema já conhecido como “Cai Cai”, no qual há a utilização de crianças e adolescentes ou até mesmo adultos se passando por adolescentes mediante o uso de documentos falsos, simulando um parentesco de pai e filho, para facilitar a entrada e permanência de maiores de idade no território norte americano. Os custos da viagem eram patrocinados por pessoas conhecidas como “Coyotes”, que posteriormente recebiam vultosos valores daqueles que conseguiam ingressar no país estrangeiro, como contrapartida pelos serviços prestados. Em muitos casos, havia a confecção de falsos registros de paternidade dos menores, para permitir que terceiros os utilizassem no esquema.

A investigação foi originada da prisão em flagrante de dois indivíduos que tentaram tirar passaporte na Delegacia de Polícia Federal de Cachoeiro de Itapemirim/ES, utilizando documentos falsos. Com o aprofundamento das investigações, foram identificados outros suspeitos que residiriam na cidade de Pescador/MG, inclusive um cartório que pode ter fornecido documentos falsos.

CRIMES INVESTIGADOS

Os envolvidos responderão pelos crimes definidos nos artigos 232 – A, 245, § 1º e 2º, 297, 299 e 304 do Código Penal, bem como artigos 238 e 239 da Lei n° 8069/90 (Estatuto da Criança e Adolescente).

O nome da operação é uma alusão ao nome da cidade onde foram cumpridas as buscas, Pescador/MG.

                  


Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo
Telefone: (27) 3041-8051/8029

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana