POLÍCIA FEDERAL

PF investiga desvio de verba pública da saúde

Publicados

em

Cruzeiro/SP. A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, (1/7), em Piquete/SP, a segunda fase da operação EQUIDNA, com a finalidade de aprofundar as investigações em torno de irregularidades no contrato de gestão celebrado entre a prefeitura do aludido município e uma organização social.

Nesta fase da operação são cumpridos um mandado de busca e apreensão e medidas de constrição patrimonial em desfavor da ex-prefeita municipal de Piquete/SP, mandatária no período de 2013 a 2020. Durante as investigações, foram verificados indícios de que a entidade foi contratada para gerir a saúde municipal, entre os anos de 2014 a 2019, porém não tinha recursos humanos e materiais para suportar o objeto contratado, passando a realizar a quarteirização ilícita de suas atividades, em contratos com empresas pertencentes aos próprios dirigentes da organização, ou sem objeto específico.

As investigações apontam indícios de que agentes públicos da municipalidade eram coniventes com o expediente espúrio. Cabe mencionar que irregularidades no contrato de gestão da mesma organização social com a Prefeitura de Guarujá/SP deram origem à OPERAÇÃO NÁCAR, que gerou a prisão do prefeito daquele município em setembro de 2021.

Durante as buscas os policiais arrecadaram a quantia de R$ 35 mil em espécie e um veículo de luxo. Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por peculato, fraude a licitações e associação criminosa, cujas penas, abstratamente cominadas, ultrapassam 19 anos de reclusão.

Delegacia de Polícia Federal em Cruzeiro

Comunicação Social Telefone: (12) 2122-2901

Fonte: Polícia Federal

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF deflagra operação contra fraudes em licitações da merenda escolar

Publicados

em

Campo Grande/MS. A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (18/8), a Operação ISÓTITA, com o objetivo de apurar fraudes em licitações para aquisição de gêneros alimentícios da merenda escolar.

No decorrer da investigação, verificou-se que empresários do ramo de comércio atacadista de produtos alimentícios de Mato Grosso do Sul teriam se utilizado de documentos falsos para se beneficiarem de tratamento diferenciado dispensado às microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) em procedimentos licitatórios destinados à aquisição de gêneros alimentícios para a merenda escolar.

Os trabalhos têm por objetivo apurar desvios de recursos provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, bem como assegurar a participação isonômica das empresas nas contratações públicas.

Além do crime de peculato, a Polícia Federal apura também a possível prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, uma vez que foram constatadas transações financeiras atípicas entre empresários e servidores públicos.

Comunicação Social SR/PF/MS

Fonte: Polícia Federal

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana