economia

PF faz nova mobilização por reajuste salarial

Publicados

em

source
Polícia Federal
Tânia Rêgo/Agência Brasil

Polícia Federal

Liderados pelo Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro (SSDPFRJ), policiais federais organizam nova mobilização na manhã desta quinta-feira (12), às 10h, no Aeroporto Santos Dumont, em defesa da prometida reestruturação salarial dos agentes, além de investimentos no órgão.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

O protesto aumenta a pressão sobre o governo federal. Ao acenar com um possível reajuste apenas à área da segurança (Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e agentes penitenciários, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL) deflagrou uma crise generalizada no funcionalismo público federal. Servidores do Banco Central e da Receita Federal já promoveram uma série de protestos desde o início do ano.

A promessa de aumento de 5% para todas as categorias não agradou e não foi suficiente para acalmar os ânimos dos servidores federais. À espera de uma definição, a PF argumenta que conta que conta com orçamento aprovado em lei de R$ 1,7 bilhão. No entanto, o chamado de ‘pacote de bondades’ de Bolsonaro ainda não agraciou a categoria a qual avalia como uma importante base de apoio. Dessa forma, a manifestação aumenta o dilema de Bolsonaro em razão da insatisfação da classe. Na mobilização de abril, mais de 250 policiais federais, de diversos cargos, decidiram pela decretação de um ‘estado permanente de mobilização’. Agentes de outros estados têm reforçado a posição, em protestos coordenados em todo o país. Ler notícia completa

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Aneel mantém bandeira tarifária verde para julho

Publicados

em

source
Hoje, há 212 localidades isoladas do SIN, com consumo energético abaixo de 1%
Agência Brasil

Hoje, há 212 localidades isoladas do SIN, com consumo energético abaixo de 1%

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu acionar a bandeira verde no mês de junho para todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). De acordo com a agência, dessa forma, não haverá cobrança extra na conta de luz no próximo mês.

É o segundo anúncio de bandeira verde realizado pela Aneel desde o fim da Bandeira Escassez Hídrica , que durou de setembro de 2021 até meados de abril deste ano. Em maio, a agência já havia acionado a bandeira verde . Segundo a Aneel, na ocasião, a bandeira verde foi escolhida devido às condições favoráveis de geração de energia.

Criadas em 2015 pela Aneel, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em níveis, as bandeiras indicam quanto está custando para o SIN gerar a energia usada nas casas, em estabelecimentos comerciais e nas indústrias.

Quando a conta de luz é calculada pela bandeira verde, significa que a conta não sofre qualquer acréscimo. Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre um acréscimos, que variam de R$ 1,874 por 100 quilowatt-hora (kWh) consumido a 9,492 por 100 kWh.

O Sistema Interligado Nacional é dividido em quatro subsistemas: Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte. Praticamente todo o país é coberto pelo SIN. A exceção são algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além de todo o estado de Roraima.

Atualmente, há 212 localidades isoladas do SIN, nas quais o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. A demanda por energia nessas regiões é suprida, principalmente, por térmicas a óleo diesel.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana