POLÍCIA FEDERAL

PF, em ação integrada, deflagra a Operação Saque Marcado em Minas Gerais

Publicado


.

Belo Horizonte/MG – Nesta quarta-feira (6/5), a Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO), força-tarefa coordenada pela Polícia Federal e integrada pela Polícia Civil, pela Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e pelo Departamento Penitenciário de Minas Gerais/Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, deflagrou a Operação Saque Marcado, que investiga quadrilha responsável por roubos na modalidade conhecida como saidinha de banco.

Estão sendo cumpridos sete mandados de prisão preventiva e oito mandados de busca e apreensão, todos em Belo Horizonte, expedidos pela Vara de Inquéritos da Capital.

O grupo criminoso, composto por oito integrantes, identificava pessoas fazendo saques vultosos em agências bancárias e repassava as informações a comparsas do lado de fora das agências, os quais faziam a abordagem e o roubo com o emprego de armas de fogo.

Foram identificados 11 roubos praticados pela grupo no segundo semestre de 2019, sendo 10 deles em Belo Horizonte e um em Lagoa Santa.

Os presos estão sendo investigados pelos crimes de roubo e participação em organização criminosa, cujas penas cominadas podem chegar a 28 anos de prisão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Minas Gerais

[email protected] | www.pf.gov.br

Contato: (31) 3330-5270

Comentários Facebook
publicidade

POLÍCIA FEDERAL

PF investiga possível prática do crime de corrupção eleitoral no Acre

Publicado


Rio Branco/AC – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, 4/12, a Operação Intruder Brother, que investiga possível prática do crime de corrupção eleitoral (compra de votos), praticado na véspera do 1º turno das eleições municipais de 2020.

Participam da operação 24  policiais federais, que estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, todos em Rio Branco, sendo um deles na casa de um candidato reeleito ao cargo de vereador desta capital, além de oitivas de testemunhas e investigados.

De acordo com as investigações, um irmão de um candidato ao cargo de vereador, juntamente com um cabo eleitoral, entrou sem permissão em uma emprega de grande porte da cidade, reuniu com vários funcionários e distribuiu santinhos e grande quantidade de dinheiro em troca de votos.

Dentre os investigados, estão os funcionários que receberam dinheiro, pois também é crime solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto, ainda que a oferta não seja aceita. As penas podem chegar a 4 anos de reclusão.

O nome da operação faz referência ao modus operandi da prática criminosa, na qual o irmão do candidato invadiu uma empresa de grande porte, reuniu-se com seus funcionários, pediu voto e distribuiu santinhos e dinheiro.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Acre

Fone: (68) 3212-1200 / 3212-1211/ 3212-1213
E-mail: [email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana