POLÍCIA FEDERAL

PF deflagra Operação Abono para combater organização criminosa especializada em fraudar processos na Caixa Econômica Federal

Publicado


Niterói/RJ – Na manhã de hoje, 22/10, a Polícia Federal deflagrou a Operação Abono, que visa desarticular organização criminosa especializada em fraudes contra a Caixa Econômica Federal, em Niterói/RJ.

Foram expedidos pela 2ª Vara Federal de Niterói 11 Mandados de Busca e Apreensão e 8 Mandados de Prisão Temporária. Também foram cumpridos 7 Mandados de Prisão, e uma prisão em flagrante foi realizada pela falsificação de documentos públicos. Na residência de um dos falsificadores foram encontrados diversos documentos falsificados e suportes originais de documentos, além de farto material utilizado para a falsificação.

A organização, responsável por um prejuízo superior a R$ 2 milhões, se utiliza de uma rede de falsificadores e sacadores para levantamento indevido de valores do FGTS e de Cota PIS (Programa de Integração Social), além de retiradas de valores de contas da empresa pública federal.

O grupo criminoso contava com a participação direta de um funcionário da Instituição que também foi preso. Ao longo de toda a investigação 23 pessoas foram indiciadas, além de outras 4 prisões em flagrante e 2 prisões preventivas.

Os investigados irão responder pelos crimes de Estelionato qualificado (Art. 171, parágrafo 3º, do Código Penal); Organização criminosa (art. 2º da Lei 12.850/13); Peculato (Art. 312 do Código Penal); Crimes contra o Sistema Financeiro (Art. 19 da Lei 7.492/86); e Lavagem de capitais (Art. 1º da Lei 9.613/98).

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro

Contato: [email protected]

www.pf.gov.br

(21) 2203-4404 / 4405 / 4406 / 4407

Comentários Facebook
publicidade

POLÍCIA FEDERAL

Polícia Federal e Europol apresentam balanço da Operação Entreprise

Publicado


Brasília/DF – A Polícia Federal e a Europol apresentaram, hoje (27), o balanço de operação conjunta deflagrada no dia 23 e que teve desdobramentos no Brasil, Colômbia, Panamá, Portugal, Espanha, Bélgica, Holanda, Romênia e Dubai.

A operação iniciada pelas autoridades brasileiras foi batizada como Operação Enterprise e como Operação “Chameleon” (Camaleão) na Europa. A ação contou com a participação de centenas de policiais em diversos países e teve por objetivo a desarticulação financeira de organizações criminosas responsáveis pelo envio de dezenas de toneladas de cocaína para países europeus, utilizando principalmente portos brasileiros como rota.

A PF e as autoridades europeias envolvidas consideram a atuação como a maior já realizada contra o tráfico de cocaína nessa modalidade, e reforçam a necessidade de integração e ações coordenadas entre as polícias de todo o mundo para o enfrentamento ao tráfico de drogas.

No Brasil, a Polícia Federal vem adotando o fortalecimento da cooperação policial internacional, juntamente com a prisão de lideranças e a descapitalização das organizações criminosas, como uma de suas diretrizes para o enfrentamento ao tráfico de drogas, de armas e às facções. A instituição representa o Brasil junto aos organismos policiais internacionais tal integração.

A atuação conjunta com outros países permitiu que as autoridades apreendessem, no exterior, mais de 12 milhões de euros em espécie, veículos de luxo, quatro imóveis no valor de 6,5 milhões de euros, além da prisão de seis pessoas – uma na Colômbia, uma no Panamá, uma na Bélgica, uma na Espanha e duas em Dubai.

Após a deflagração, ocorrida no dia 23, a Polícia Federal ainda bloqueou 37 aeronaves e R$ 3,2 milhões em contas bancárias, além de sequestrar dezenas de imóveis, todos adquiridos com o lucro das atividades ilícitas.

O total de bens apreendidos no Brasil e no exterior, em razão da investigação, está avaliado em cerca de R$ 463 milhões e passa a integrar o recorde histórico de mais de R$ 1,13 bilhão em bens apreendidos e sequestrados do tráfico de drogas pela Polícia Federal em 2020. Esse valor representa quase o dobro do recorde anterior e é resultado da atual estratégia da Polícia Federal para desarticular o crime organizado.

 

Comunicação Social da PF

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana