economia

Petróleo Brent atinge maior valor em três anos e pressiona Petrobras

Publicados

em


source
Petróleo Brent atinge maior valor em três anos e pressiona Petrobras
Fernanda Capelli

Petróleo Brent atinge maior valor em três anos e pressiona Petrobras

Os preços do petróleo voltaram a subir no mercado internacional nesta terça-feira. A cotação do barril de petróleo tipo Brent, referência global, ultrapassou a marca de US$ 80 dólares, alcançando o maior valor em três anos. O do tipo WTI também subiu. As altas ocorrem em um cenário de preocupações com o fornecimento global de energia.

Por volta de 09h50, no horário de Brasília, o contrato de novembro do petróleo Brent subia 0,44%, cotado a US$ 79,88, o barril, após ter atingido a marca de US$ 80,05.

Já o do tipo WTI para o mesmo mês avançava 0,69%, negociado a US$ 75,97, o barril, após já ter superado a marca dos US$76.

Por conta da política de preços de paridade internacional, a Petrobras reajusta o preço dos combustível em razão da alta no mercado internacional. O resultado das bolsas mundiais tende a impactar a venda no Brasil.

O petróleo se recuperou das quedas vistas no ano passado em meio a restrições recordes na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) por causa da pandemia. Mas a recuperação econômica global impulsionou a demanda de uma forma superior à oferta disponível.

Segundo o Goldman Sachs, os preços podem chegar a US$ 90 este ano.

A OPEP + pode até mesmo precisar considerar o aumento da produção em mais do que seu plano atual de 400 mil barris por dia por mês, disse Chris Bake, chefe de originação do Vitol Group, o maior comerciante independente de petróleo do mundo, em um webinar.

O salto para US $ 80 também ocorre em um contexto de pressão inflacionária à economia global e com os preços das commodities energéticas disparando. O gás natural, as licenças de carbono e a energia na Europa atingiram novos recordes na terça-feira, com poucos sinais de desaceleração do rali.

Os preços de referência europeus do gás para entrega no próximo mês subiram outros 10 por cento, o que significa que os custos dobraram desde meados de agosto

“Não estamos olhando apenas para o Reino Unido e a Europa, mas também para uma potencial crise de energia global que se aproxima no inverno”, disse Robert Rennie, chefe global de estratégia de mercado da Westpac.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Caminhoneiros fazem protesto contra Detran em rodovia estadual no Pará

Publicados

em


source
Paralisação não é relacionada ao preço do diesel e não faz parte da greve prevista para 1º de novembro
Reprodução: iG Minas Gerais

Paralisação não é relacionada ao preço do diesel e não faz parte da greve prevista para 1º de novembro

Caminhoneiros bloquearam um trecho da BR-316, na altura da cidade de Benevides, na região metropolitana de Belém, nesta terça-feira. Cerca de 1,5 mil profissionais ocuparam a faixa em direção à capital do Pará, entre 6h e 14h, para protestar pelo cumprimento de leis estaduais sobre transporte de carga e locomoção de caminhoneiros em rodovias estaduais, e pediram fiscalização do Detran do Pará.

Segundo o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos do Estado do Pará, Eurico Ribeiro dos Santos, a paralisação ocorreu para demandar que o Detran cumprissem a Lei da Balança e a flexibilização do horário de entrada dos veículos dentro de centros urbanos, hoje restrita ao horário entre 7h e 10h e de 17h às 21h.

A Lei da Balança determina que os caminhões devem respeitar um limite de peso para trafegar em rodovias brasileiras, e devem ser pesados por balanças federais. Entretanto, Santos explica que, na mesma rodovia BR-316, o governo estadual instalou uma balança, que não funciona 24 horas.

Leia Também

“O trabalhador que circula pela região é penalizado porque não sabe quanto pesa o veículo dele. Então, como o peso fica incerto, alguns caminhões levam metade da carga, e outros ficam ainda mais pesados, e pode acabar dando prejuízo para os caminhoneiros. Queremos que seja fiscalizado”, afirma o presidente do sindicato, informando que a categoria tem uma reunião marcada nesta quarta-feira, na Cas Civil, para discutir a unificação do ICMS.

Outra reivindicação é pela flexibilização do horário de entrada de caminhões em Belém. Hoje, o Detran determina que devem respeitar as janelas de horários entre 7h e 10h e 17h às 21h.

No entanto, Santos explica que a entrada restrita gera impacto negativo no caminhoneiro, que precisa descarregar, mas não consegue acessar a cidade, por conta dos horários, e também não tem espaço para estacionar nas rodovias.

Procurado pelo GLOBO, o Ministério da Infraestrutura disse que a manifestação no Pará é pontual e não há manifestações em rodovias federais. Segundo a pasta, a pauta na região é local e não há mais bloqueios de pistas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana