AGRO & NEGÓCIO

Pesquisador da Embrapa Agrobiologia recebe reconhecimento do Crea-RJ

Publicados

em


O pesquisador José Guilherme Marinho Guerra foi um dos contemplados na entrega do Prêmio Crea-RJ de Meio Ambiente 2020, em cerimônia virtual realizada na terça-feira, 17. Após a apresentação da iniciativa e congratulações aos agraciados do ano, feita pelo presidente do Crea-RJ, Luiz Cosenza, e outros membros do Conselho, foi feita uma breve homenagem em vídeo a cada um dos premiados, com histórico, currículo e imagens. 

O coordenador da Comissão de Meio Ambiente do Conselho, Abílio Valério Tozini, destacou o importante papel desempenhado pelo engenheiro agrônomo José Guilherme Guerra no que concerne à saúde na alimentação. “Sua história é amplamente ligada à produção de alimentos de uma forma sustentável, sem envenenar o solo, sem envenenar a água”, destacou.

Para José Guilherme, receber um prêmio por sua contribuição ao meio ambiente foi algo emocionante. “Isso me oportunizou refletir um pouco sobre o desafio de fazer agricultura buscando minimizar as externalidades dessa atividade humana quanto às questões ecológicas em nível regional e nacional”. O pesquisador destacou a importância da Fazendinha Agroecológica Km 47, iniciativa da Embrapa em conjunto com a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio de Janeiro (Pesagro-Rio), do pesquisador Dejair Lopes de Almeida e do professor Raul de Lucena em sua vida. “Com sua visão de filho de agricultores familiares fluminenses, Dejair me mostrou os fundamentos que regem as relações entre nós, humanos, o solo, as plantas, os animais, o sol, o ar e a água. E tive a honra de compartilhar por cerca 25 anos uma jornada cotidiana com o mestre Raul de Lucena, que influenciou muitas gerações de agrônomos”, afirmou.

Guilherme também ressaltou a necessidade de mudanças no comportamento humano para amenizar os desequilíbrios verificados cada vez mais constantemente tanto no meio ambiente quanto nas relações humanas. “Vivemos tempos difíceis, em que o planeta Terra tem mostrado que nós necessitamos, para nossa própria sobrevivência, mudar a forma de lidar com as questões do meio ambiente. Somos parte desse todo e nosso destino é comum a todas as formas de vida do planeta. Assim, reveste-se de fundamental importância que todos os esforços sejam envidados para minimizar os impactos decorrentes das atividades humanas sobre a natureza, em que pese a nobre missão da agricultura de alimentar bilhões de pessoas”, declarou.

O prêmio Crea-RJ de Meio Ambiente é concedido anualmente para reconhecer personalidades, instituições e entidades que se distinguem na luta pela preservação, defesa ou conservação do meio ambiente, nas áreas de engenharia, agronomia, geologia, geografia ou meteorologia. Além de José Guilherme, também foram premiados o engenheiro florestal Carlos Alberto Bernardo Mesquita, a Cooperativa de Trabalho de Catadores e Catadoras Duque de Caxias, o Comando Militar do Leste das Forças Armadas e o Projeto Niterói Jovem Ecosocial. Em anos anteriores, a Embrapa Agrobiologia já havia sido representada, quando a Fazendinha Agroecológica foi premiada, em 2018.

O vídeo completo da cerimônia pode ser visto aqui

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Centro de pesquisa tem expressiva participação nas Câmaras do Mapa

Publicados

em


A Embrapa Territorial teve expressiva participação e representação atuante e efetiva, em 2020, em reuniões nas Câmaras Setoriais e Temáticas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ao longo do ano, gestores, pesquisadores e analistas apresentaram resultados de estudos e contribuíram para ampliar os diálogos com o setor produtivo e para a formulação de políticas públicas.

As contribuições da Embrapa Territorial são citadas, entre outros centros de pesquisa, em relatórios elaborados pela Gerência de Relações Institucionais e Governamentais, da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa. De acordo com o coordenador da participação da Embrapa nas Câmaras do Mapa, Jefferson Costa, em todas as reuniões foram evidentes as agendas positivas da Empresa.

Para o analista Gustavo Spadotti e coordenador de um dos grupos de pesquisa do centro, a representatividade da Embrapa Territorial nas Câmaras do Mapa é reflexo da sua multidisciplinaridade e capilaridade. “Trabalhamos com questões territoriais que envolvem várias temáticas e somos capazes de auxiliar nas decisões estratégicas de governo. Procuramos nessas reuniões contribuir com as discussões e propor soluções de desenvolvimento territorial para cada uma das cadeias produtivas retratadas nas Câmaras”, ressaltou.

Spadotti também pontuou que as Câmaras Setoriais e Temáticas são importantes instrumentos em que o corpo técnico do centro de pesquisa pode agir diretamente na formulação de políticas públicas e, dessa forma, impactar de forma positiva na competitividade do agronegócio brasileiro.

As Câmaras que tiveram ações e manifestações relevantes da Embrapa Territorial foram a Câmara Temática de Infraestrutura e Logística do Agronegócio (CTLog) e as Câmaras Setoriais do Cacau e Sistemas Agroflorestais, da Citricultura e da Soja.  

Tecnologias

O representante titular da Embrapa na CTLog é o chefe-geral da Embrapa Territorial, Evaristo de Miranda, e seu suplente é o analista Gustavo Spadotti. Em duas reuniões, Spadotti apresentou a plataforma digital GeoMatopiba. Essa tecnologia auxilia na tomada de decisão com enfoque na logística do agro brasileiro e disponibiliza, de forma interativa e integrada, mapas e dados sobre a região. A ferramenta foi muito elogiada pelo presidente da Câmara Temática, Edeon Vaz Ferreira. 

Em outra reunião na CTLog, a pesquisadora Gisele Vilela abordou os estudos de avaliação de impacto do Sistema de Inteligência Territorial Estratégica da Macrologística Agropecuária Brasileira (Site-MLog) utilizado por gestores dos setores públicos e privados. Também apresentou a análise sobre os possíveis impactos econômicos e ambientais pela substituição de modais de escoamento na indicação de três obras prioritárias para a melhoria da infraestrutura logística do País. 

Para Gisele Vilela, apresentar na Câmara Temática o resultado da aliação do Site-MLog e os futuros incrementos no sistema ajudou a colher percepções e estreitar as parcerias importantes para a continuidade e aperfeiçoamento da plataforma. Membros da CTLog foram entrevistados, em 2019 e 2020, para a avaliação de impactos dessa tecnologia. Leia mais em Avaliação do Sistema da Macrologística é destaque em reunião da Câmara de Logística

Outro estudo conduzido pela Embrapa Territorial mencionado em reunião de Câmara Setorial do Mapa foi o de definição de territórios prioritários para execução de ações do programa AgroNordeste. O programa do governo federal foi apresentado pelo  pesquisador da Embrapa Paulo Melo, que atualmente atua no Mapa, em reunião na Câmara Setorial Caprinos e Ovinos. Saiba mais sobre o trabalho desenvolvido pelo centro de pesquisa em Sistema de Inteligência Territorial subsidia ações no Semiárido nordestino 

Projetos

Pelo interesse sobre projetos de pesquisa em desenvolvimento ou em articulação pela Embrapa Territorial, presidentes de algumas Câmaras Setoriais convidaram, durante o ano passado, representantes do centro para apresentar seus estudos.

O presidente da Câmara Setorial da Citricultura, Lourival Monaco, convidou a chefe-adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento, Lucíola Magalhães, para apresentar a proposta do projeto “Estoque e valoração de Carbono no cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste de Minas Gerais”, a ser executado em parceria com o Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus). A apresentação foi feita em conjunto com o coordenador da Pesquisa de Estimativa de Safra (PES) do Fundecitrus, Vinícius Tombin.

O projeto em parceria com o Fundecitrus é considerado mais uma contribuição as metas da Embrapa em avançar nas análises territoriais integradas da contribuição do setor produtivo à preservação de vegetação nativa. A iniciativa recebeu vários elogios dos membros da Câmara Setorial da Citricultura. 

Um dos convites foi feito ao pesquisador João Mangabeira. Em reunião da Câmara Setorial do Cacau e Sistemas Agroflorestais, o pesquisador apresentou o “Guia Metodológico: geração de indicadores de desempenho e índice multicritério de sustentabilidade para cultura do Cacau”. A metodologia para uso de gestores de sistema de produção agrícola individual ou coletiva da cadeia do cacau é uma adaptação à desenvolvida para um projeto de pesquisa com o objetivo de auxiliar a gestão de propriedades rurais na Amazônia.

Também à convite, o analista Gustavo Spadotti prestou, na Câmara Setorial da Soja, informações preliminares sobre a ocupação da cultura nas regiões Amazônica e Centro-Oeste.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana