Saúde

Pernambuco limita atividades em parte do estado para conter avanço da Covid-19

Publicados

em


source
Governo de Pernambuco decide limitar atividades para combater disseminação de coronavírus
Reprodução: BBC News Brasil

Governo de Pernambuco decide limitar atividades para combater disseminação de coronavírus

O governo de Pernambuco definiu medidas mais restritiva para parte do estado com o objetivo de combater a disseminação do coronavírus. Em 53 cidades nas regiões de saúde IV e V, no Agreste, as novas limitações entram em vigor na terça-feira (18) e vão até 31 de maio.

Estabelecimentos comerciais só podem ficar abertos até as 18 horas . Durante o fim de semana, ficam proibidas nessas regiões atividades econômicas, com exceção daquelas consideradas fundamentais. Entre os negócios definidos como fundamentais estão supermercados, feiras livres de alimentos, farmácias, padarias e postos de gasolina. O polo de confecções deverá fechar aos sábados e domingos e também nas segundas-feiras.

O governo tomou a decisão em razão do aumento do número de internações nas cidades da região do Agreste pernambucano. Segundo o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo , nos municípios dessa região, os números estão mais altos do que no restante do estado. “O que nós detectamos, nas duas últimas semanas, houve uma aceleração maior naquela região, destoando do restante do estado, onde temos um platô ainda em níveis elevados. Os patamares de crescimento de demandas lá superaram os 44%, enquanto no resto do estado ficaram na casa dos 9%”, afirmou.

Em Pernambuco, foram registrados até o momento 440.677 casos de covid-19 e 14.906 mortes em função da doença.De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do estado, ontem (15), foram confirmados 2.894 novos casos e mais 65 óbitos.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Covid-19: Anvisa aprova medidas sanitárias para navios de carga

Publicados

em


A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (8), por unanimidade, uma proposta que trata de medidas sanitárias para a operação e para o embarque e desembarque de plataformas e de embarcações de carga em portos brasileiros.

Por meio de nota, a Anvisa informou que o objetivo é reforçar ações de enfrentamento à covid-19 no país, sobretudo diante da circulação da variante Ômicron, com atenção especial ao embarque e desembarque de tripulantes nos portos brasileiros.

Comprovante de vacina

De acordo com o texto aprovado, antes de dar acesso a embarcações e plataformas, os responsáveis legais deverão exigir de tripulantes, fornecedores e profissionais da comunidade portuária o cumprimento de vários requisitos sanitários, incluindo a apresentação de comprovante de vacinação completa contra a covid-19.

Para o relator da matéria, diretor Alex Machado Campos, a agência considerou a imunização “princípio balizador das medidas sanitárias para a operação e para o embarque e desembarque de plataformas situadas em águas jurisdicionais brasileiras e de embarcações de carga”.

Testagem e sintomas

Também deverá ser exigida a comprovação da realização de teste laboratorial do tipo RT-PCR ou RT-LAMP (testes moleculares usados para diagnóstico) com resultado negativo, realizado 72 horas antes do momento do embarque. Poderá ser aceito resultado não reagente por teste rápido de antígeno (IgG e IgM) feito com 24 horas de antecedência da viagem.

Além disso, a norma prevê a realização de triagem pré-embarque para identificação de sintomas da doença. 

Medidas sanitárias

A proposta trata ainda de medidas preventivas à covid-19 já amplamente divulgadas, como a higienização das mãos, o distanciamento social e o uso de máscaras faciais. Também há itens relacionados a protocolos de limpeza, desinfecção e de gerenciamento de resíduos sólidos nas embarcações. 

Notificação de casos

O texto prevê o estabelecimento de planos de contingência e a notificação de casos suspeitos e confirmados da doença à Anvisa. De acordo com a norma, após a identificação de um caso nas embarcações, todos a bordo serão considerados contatos do caso confirmado e passarão a ser monitorados. 

Mudança de tripulação e quarentena

O anexo da proposta da Anvisa traz opções envolvendo mudança da tripulação, quarentena em trabalho ou quarentena da embarcação para gerenciar embarcações com um ou mais casos de covid-19.

Os itens serão de escolha facultada ao responsável legal pela embarcação, que deve levar em consideração a localização do porto, o itinerário, a disponibilidade de tripulação alternativa e a capacidade operacional e de logística necessárias. A opção escolhida deve ser previamente aprovada pela unidade da agência responsável pelo porto. 

» Confira o texto na íntegra.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana