POLÍTICA NACIONAL

Pazuello “tremia” e já planejava não comparecer à CPI desde o final de semana

Publicados

em


source
Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde
Tony Winston/MS

Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde

O ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, já planejava  não comparecer à CPI para prestar depoimento marcado para amanhã (4)  desde o último final de semana, quando participou de um ‘treinamento’ do Planalto junto à consultoria FSB – empresa de assessoria e consultoria – para responder às perguntas da comissão. As informações são da jornalista Malu Gaspar.

Segundo interlocutores, o general estava muito tenso e com medo de ser preso logo após prestar depoimento. “Ele tremia”, contou uma testemunha do treinamento. Um dos receios de Pazuello era que o governo federal ‘abandonasse’ a defesa do ex-ministro em algum momento.

O ex-ministro também ficou preocupado com a entrevista dada pelo ex-secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, à revista Veja , em que Pazuello é responsabilizado por recusar comprar vacinas oferecidas pela farmacêutica estadunidense Pfizer.

Nesta terça-feira (3), Pazuello comunicou à CPI que não comparecerá ao depoimento presencial alegando contato recente com coronéis contaminados por Covid-19. 

Em resposta, o presidente da CPI, Omar Azizdisse que Pazuello vai, sim, depor presencialmente, nem que a comissão tenha que esperar os 14 dias de quarentena considerados necessários para excluir a chance de disseminação do vírus. 

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Aprovado texto-base do projeto sobre licenciamento ambiental; votação continua na manhã desta quinta

Publicados

em


Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Discussão e votação de propostas. Presidente da Câmara, Arthur Lira (PP - AL)
Sessão do Plenário da Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou, por 300 votos a 122, o texto-base do projeto de lei do licenciamento ambiental (PL 3729/04), que estabelece regras gerais desse procedimento a serem seguidas por todos os órgãos licenciadores, como prazos de vigência, tipos de licenças e empreendimentos dispensados de obtê-la.

A análise dos destaques apresentados pelos partidos ficou para esta quinta-feira (13), em sessão marcada para as 10 horas. Em seguida, a sessão foi encerrada.

De acordo com o substitutivo do deputado Neri Geller (PP-MT), não precisarão de licença ambiental obras de saneamento básico, de manutenção em estradas e portos, de distribuição de energia elétrica com baixa tensão, obras que sejam consideradas de porte insignificante pela autoridade licenciadora ou que não estejam listadas entre aquelas para as quais será exigido licenciamento.

O texto cria ainda a licença única para simplificar o procedimento e permite a junção de licenças prévias com a de instalação, por exemplo.

“O estado que tiver legislação mais rígida não vai mudá-la. É uma questão de bom senso. O projeto dá segurança jurídica para evitar questionamentos pela falta de uma norma geral”, afirmou Geller.

Duplicação de rodovias
No licenciamento ambiental de serviços e obras de duplicação de rodovias ou pavimentação naquelas já existentes ou em faixas de domínio, deverá ser emitida a Licença por Adesão e Compromisso (LAC). Essa licença valerá também para o caso de ampliação ou instalação de linhas de transmissão nas faixas de domínio.

Para obter a LAC, o empreendedor deverá apresentar um relatório de caracterização do empreendimento (RCE), cujas informações devem ser conferidas e analisadas por amostragem, incluindo a realização de vistorias também por amostragem.

Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Pierre Triboli

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana