POLÍTICA NACIONAL

Partidos de centro confirmam domínio municipal e governarão 43% da população

Publicados

em


Selo eleições 2020O segundo turno das eleições municipais neste domingo (29) deu números finais ao domínio estabelecido pelos partidos do centro político sobre as cidades brasileiras. MDB, PSD, PP e DEM, legendas consideradas fiéis da balança no Congresso Nacional, vão governar cerca de 43% da população brasileira.

Esses quatro partidos conquistaram 13 das 25 capitais brasileiras em disputa (Macapá, capital do Amapá, teve seu pleito adiado para dezembro devido ao apagão que atingiu o estado, e Brasília não realiza eleições municipais, embora o Distrito Federal seja governado pelo MDB). Além disso, conquistaram 43 dos 96 maiores municípios brasileiros (capitais e cidades com mais de 200 mil eleitores) e 2.591 do total de 5.570 cidades do país.

Se somadas as populações das cidades onde MDB, PSD, PP e DEM venceram as eleições, chega-se a 90,2 milhões de pessoas cujo dia a dia será administrado por prefeitos desses partidos. O contingente é próximo à metade do total de brasileiros, segundo a consolidação mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O MDB tem a dianteira, com 26 milhões de habitantes em 786 cidades, incluindo cinco capitais — os números de cidades e capitais são os maiores para um único partido em 2020. O DEM governará 24,4 milhões de habitantes, metade dos quais estão em Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Curitiba (PR). O PSD terá 23 milhões, com destaque para Belo Horizonte (MG), e o PP governará 16,6 milhões, mesmo sem ter vencido nenhuma cidade com mais de 1 milhão de habitantes.

Além desse grupo, o PSDB fecha a lista dos 5 partidos que chefiarão mais prefeituras a partir de 2020, e aproveitou o segundo turno para melhorar o seu retrato nas urnas. A sigla foi a que mais perdeu prefeitos e vereadores em números absolutos, mas manteve o comando da maior cidade do país, São Paulo (SP), e levou 18 dos 96 maiores municípios. Ao todo, o PSDB governará a maior fatia do país para um partido só: 34 milhões de pessoas, ou 16% da população nacional. Mais de um terço desse total está apenas na capital paulista.

O resultado do segundo turno também confirmou a redução do espaço dos partidos tradicionais de esquerda. PDT, PSB, PT e PCdoB perderam prefeituras em relação a 2016 e governarão, juntos, 27 milhões de habitantes, ou menos de 13% da população total. O grupo venceu em apenas 12 das 96 maiores cidades.

Apenas quatro capitais serão chefiadas por essas legendas, todas no Nordeste: Recife (PE) e Maceió (AL) com o PSB, Fortaleza (CE) e Aracaju (SE) com o PDT. É a primeira vez desde a redemocratização do país que o PT não elege nenhum prefeito de capital.

Em contraste com os demais partidos da esquerda, o PSOL aumentou o seu capital eleitoral em 2020 e conquistou a prefeitura de Belém (PA), que passará a ser a maior cidade já administrada pelo partido em toda a sua história.

Entre os candidatos apoiados publicamente pelo presidente Jair Bolsonaro, o único a obter sucesso nas urnas é de Rio Branco (AC). O PSL, partido pelo qual Bolsonaro se elegeu em 2018, comandará mais prefeituras, mas nenhuma delas está entre as 96 maiores do país. Já o Republicanos, partido de dois dos três filhos do presidente, levou três grandes cidades, entre elas uma capital — Vitória (ES) — e uma com mais de 1 milhão de habitantes — Campinas (SP) —, mas perdeu o comando do Rio de Janeiro (RJ).

Prefeitos eleitos 2016-2020

 
2020 2016  variação capitais população governada
mdb.png MDB 786 1037 -24.2% arrow_down.png 5 26.098.554 (12,3%)
PP.png PP 685 495 38.4% arrow_up.png 2 16.643.705 (7,9%)
psd.png PSD 655 541 21.1% arrow_up.png 2 23.002.938 (10,9%)
psdb.png PSDB 521 803 -35.1% arrow_down.png 4 34.066.661 (16,1%)
dem.png DEM 465 267 74.2% arrow_up.png 4 24.432.792 (11,5%)
PL.png PL 344 298 15.4% arrow_up.png 0 8.957.806 (4,2%)
pdt.png PDT 314 336 -6.5% arrow_down.png 2 10.809.958 (5,1%)
psb.png PSB 252 415 -39.3% arrow_down.png 2 9.149.488 (4,3%)
ptb.png PTB 212 261 -18.8% arrow_down.png 0 3.560.030 (1,7%)
republicanos.png Republicanos 211 105 101.0% arrow_up.png 1 7.387.233 (3,5%)
pt.png PT 183 255 -28.2% arrow_down.png 0 6.045.238 (2,9%)
cidadania.png Cidadania 139 122 13.9% arrow_up.png 0 4.333.838 (2,0%)
psc.png PSC 115 88 30.7% arrow_up.png 0 3.364.628 (1,6%)
podemos.png Podemos 102 30 240.0% arrow_up.png 1 6.712.318 (3,2%)
solidariedade.png Solidariedade 94 63 49.2% arrow_up.png 0 3.318.877 (1,6%)
psl.png PSL 90 31 190.3% arrow_up.png 0 2.606.008 (1,2%)
avante.png Avante 82 13 530.8% arrow_up.png 1 4.831.677 (2,3%)
patriota.png Patriota 49 14 250.0% arrow_up.png 0 1.603.093 (0,76%)
pcdob.png PCdoB 46 83 -44.6% arrow_down.png 0 1.057.269 (0,50%)
pv.png PV 46 102 -54.9% arrow_down.png 0 1.230.305 (0,58%)
pros.png PROS 41 53 -22.6% arrow_down.png 0 1.124.034 (0,53%)
pmn.png PMN 13 28 -53.6% arrow_down.png 0 199.318 (0,09%)
prtb.png PRTB 6 9 -33.3% arrow_down.png 0 126.418 (0,06%)
rede.png Rede 5 6 -16.7% arrow_down.png 0 101.293 (0,05%)
psol.png PSOL 5 2 150.0% arrow_up.png 1 1.546.909 (0,73%)
ptc.png PTC 1 15 -93.3% arrow_down.png 0 3.631 (0,002%)
DC.png DC 1 9 -88.9% arrow_down.png 0 5.651 (0,003%)
pmb.png PMB 1 4 -75.0% arrow_down.png 0 61.388 (0,03%)
novo.png Novo 1 0 – arrow_up.png 0 597.658 (0,28%)
*A eleição em Macapá (AP) acontecerá em 6 de dezembro (primeiro turno) e 20 de dezembro (segundo turno, se necessário)
Fontes: Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro concede medalha de mérito a Lira, Pacheco, Michelle e 12 ministros

Publicados

em


source
Bolsonaro, Lira e Pacheco
Reprodução

Bolsonaro, Lira e Pacheco

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) concedeu a Medalha do Mérito Oswaldo Cruz a alguns ministros, presidentes do Congresso e até à primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A medida foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (28).

Entre os 12 ministros condecorados estão Paulo Guedes (Economia), Fábio Faria (Comunicações), Milton Ribeiro (Educação), Luiz Ramos (Secretaria-Geral da Presidência) e Walter Braga Netto (Defesa). 

Entre os aliados, receberam a homenagem o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o general Joaquim Silva e Luna, indicado por Bolsonaro para presidir a Petrobras.

O médico-cirurgião que realizou a operação do presidente após a facada em setembro de 2018, Antônio Luiz de Macedo, também receberá a honraria.

A homenagem é concedida a pessoas que tenham se destacado “de forma notável ou relevante” e contribuído para o bem-estar físico e mental da coletividade brasileira.


Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana