POLÍTICA NACIONAL

Participação do setor privado no Plano Nacional de Imunização recebe críticas da oposição

Publicados

em


Najara Araújo/Câmara dos Deputados
Votação de propostas
Sessão do Plenário analisa MP que facilita compra de vacinas

Deputados da oposição criticaram a inclusão do setor privado na Medida Provisória 1026/20, que facilita a compra de vacinas, insumos e serviços necessários à vacinação contra a Covid-19. Segundo o texto do relator, deputado Pedro Westphalen (PP-RS), as entidades privadas da área de saúde também poderão comprar vacinas e administrá-las, desde que doem metade das doses adquiridas ao setor público.

A MP está em análise no Plenário da Câmara. “A permissão para que os serviços privados de saúde participem do processo de vacinação constitui uma medida hábil a ampliar o poder de administração das doses, no intuito de ampliar a velocidade da imunização”, afirmou Westphalen.

Já o deputado Jorge Solla (PT-BA) afirmou que a medida vai encarecer a vacina e diminuir a cobertura necessária do País. “Vender as vacinas vai arrefecer a pressão pela vacinação pública e vai aumentar os valores a serem pagos pelo setor público”, criticou.

Para o deputado Henrique Fontana (PT-RS), a solução para a vacinação do País “não é permitir um mercado privado de vacina”. Segundo ele, é fundamental a vacinação no setor público para garantir a imunização da população como um todo. Ele acusou o governo federal de atrapalhar o combate à pandemia.

A medida foi defendida pelo deputado General Peternelli (PSL-SP). “Permitir que a iniciativa privada, sem concorrência com o setor público, adquira vacina e doe metade só vai contribuir para que o número de vacinados seja muito maior”, defendeu.

Demora
O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) aproveitou a votação para criticar a política de vacinação do governo federal. Ele disse que a MP chegou atrasada na Câmara dos Deputados. “Deveríamos ter decidido sobre isso em julho passado e estamos aqui discutindo esse tema no final de fevereiro devido ao atraso e à demora do governo federal”, afirmou.

O deputado Bibo Nunes (PSL-RS) rebateu as críticas. “Começamos a vacinar antes do Japão”, disse.

Já o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) defendeu os dispositivos que facilitam as compras de insumos e vacinas com flexibilização das regras de licitação. “O combate à pandemia é um momento de exceção”, disse ele, que cobrou fiscalização e transparência para evitar escândalos de corrupção como os ocorridos no ano passado. “Não quero que se reputam desmandos por todos os lugares depois de um esforço enorme do governo Bolsonaro”, disse.

Saiba mais sobre a tramitação de medidas provisórias

Mais informações em instantes

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Neste sábado, comitiva brasileira embarca para Israel em busca do spray nasal

Publicados

em


source
Spray nasal contra o novo coronavírus está sendo desenvolvido em Israel
Reproducao / CNN

Spray nasal contra o novo coronavírus está sendo desenvolvido em Israel

Neste sábado (06), uma comitiva encabeçada pelo ministro das Relações Exteriores , Ernesto Araújo, vai para Israel tentar negociar o spray nasal que passa pela fase de testes clínicos. O governo brasileiro busca negociar produto para incorporar no tratamento do novo coronavírus . Entre os escalados para a viagem, está o filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). As informações foram apuradas pela CNN Brasil. 

O atual presidente Jair Bolsonaro , declarou que irá acompanhar a saída da comitiva da base aérea de Brasília. De acordo com Bolsonaro, os representantes brasileiros irão se encontrar com o primeiro ministro Benjamin Netanyahu. 

Com o nome EXO-CD24, o spray, não tem sua eficácia comprovada ainda e está passando pelo seu desenvolvimento pelo Centro Médico Ichilov, em Israel . Até então, o medicamente era escolhido para casos de câncer no ovário. 

Ainda em sua fase de testes, o spray nasal passou a ser implementado em testes contra o novo coronavírus . Os primeiros resultados revelam que 29, dos 30 voluntários, não evoluíram para casos graves da doença. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana