BRASIL E MUNDO

Pais antivacina têm tutela suspensa ao negarem cirurgia ao filho

Publicados

em

 

source
Família é antivacina da Covid e está impedindo operação cardíaca
Família é antivacina da Covid e está impedindo operação cardíaca do filho.

O tribunal para os menores de Bolonha suspendeu provisoriamente nesta quinta-feira (10) a autoridade parental dos genitores de um  menino que precisa passar por uma delicada cirurgia cardíaca, mas os pais se negam a fazer o procedimento porque querem sangue de pessoas não vacinadas contra a Covid-19.

Temporariamente, a criança será tutelada por um assistente social competente no território, conforme havia pedido o Ministério Público local em 2 de fevereiro. O caso ganhou ampla repercussão na Itália durante a última semana, após os pais entrarem com um pedido na Justiça para que o filho, que não teve a idade revelada, recebesse sangue doado por pessoas que não foram vacinadas. Para isso, organizaram uma lista de pessoas em grupos na internet que não se imunizaram.

Nesta semana, um tribunal de Modena deu vitória ao hospital Sant’Orsola, que se negou a fazer essa transfusão porque informou que o sangue doado precisa passar por uma série de controles rígidos e técnicos e deve ser utilizado o que é mais compatível com a criança.

Além disso, destacou que não há diferenças entre os sangues de vacinados ou não e que a doação é sempre anônima.

Após a derrota em Modena, o advogado Ugo Bertaglia afirmou que os pais “nunca negaram” a necessidade de realizar a cirurgia, mas que queriam o sangue de não vacinados “por motivos religiosos”.

Segundo a mídia local, o casal de Sassuolo já teria se envolvido em grupos na internet antivacina há tempos e, inicialmente, disseram que não queriam que o sangue tivesse “uma vacina experimental”. Depois, em entrevista ao “La Verità”, afirmaram que era porque acreditam que nos testes foram “usados fetos abortados voluntariamente” e que “há risco de transmissão de fragmentos da proteína Spyke”. Agora, alegam “questões religiosas”.

As notícias falsas sobre a produção das vacinas são repercutidas por grupos antivacina em todo o mundo.

O presidente da Sociedade Italiana de Pediatria Preventiva e Social, Giuseppe Di Mauro, voltou a se manifestar sobre o caso e disse que “não permitir que o próprio filho passe por uma transfusão de sangue é um absurdo – e é impossível de acreditar que algo assim aconteça”.

“Trata-se de uma questão de vida ou morte. Colocar as próprias idealizações antes da saúde do próprio filho é verdadeiramente inacreditável”, disse a diversos veículos da mídia italiana.

Os médicos do Sant’Orsola já informaram que a cirurgia precisa ser realizada o mais rápido possível por conta das condições de saúde da criança cardiopata. Eles esperam realizar o procedimento, no máximo, até a próxima semana.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Dia da Luta da População em Situação de Rua: Praça da Sé receberá ação

Publicados

em

Praça da Sé receberá evento sobre Dia da Luta da População de Rua
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Praça da Sé receberá evento sobre Dia da Luta da População de Rua

Nesta sexta-feira, 19 de agosto das 9h às 18h, a Praça da Sé, em São Paulo , recebe evento que marca o Dia da Luta da População em Situação de Rua. Na mesma região, em 2004, sete moradores em situação de rua foram mortos enquanto dormiam e oito foram feridos. Desde então, movimentos sociais adotaram o dia para dar visibilidade a essa população.

O evento é organizado pelos Movimento Nacional de Luta pela População em Situação de Rua, Movimento Estadual da População em Situação de Rua de São Paulo; Movimento Nacional da População em Situação de Rua; e pelo Fórum Cidades em Defesa da População em Situação de Rua, com apoio da Prefeitura de São Paulo, via Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Haverá uma unidade móvel para auxiliar na inscrição no CadÚnico, equipes de abordagem social; aplicação de vacinas da gripe e da Covid-19 e distribuição de 800 marmitas do Programa Cozinha Cidadã.

Também serão oferecidos os serviços do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua, da SMDHC. Na unidade itinerante que funciona em um ônibus adaptado, as pessoas receberão atendimento individual especializado; orientações, articulações e encaminhamentos para acesso a serviços públicos e equipamentos socioassistenciais, de saúde, educação, cultura e acesso ao trabalho além de ações de proteção e apoio para defesa em situações de violação de direitos à população em situação de rua.

A unidade móvel do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo também estará no local. Haverá ainda atrações culturais que foram articuladas pelos movimentos envolvidos na organização.

Prêmio 19 de Agosto

Desde 2019, a SMDHC concede o Prêmio 19 de Agosto para iniciativas de organizações e pessoas físicas que desenvolvem trabalhos para a população em situação de rua na cidade de São Paulo.

Na 3ª edição do Prêmio, realizada em 2021, o Coletivo Projeto Vida, organizado por Clair Aparecida da Silva Santos, ganhou o primeiro lugar na categoria Pessoa Física. “Foi fundamental receber o prêmio, não só pela premiação em dinheiro, mas pelo reconhecimento governamental do projeto”, disse Clair Santos, que criou a iniciativa durante a pandemia de Covid-19 com o objetivo de promover a articulação e a formação de uma rede de apoio entre a sociedade civil, setores públicos e privados, para desenvolver ações para auxiliar a população em situação de rua com os cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus.

O dinheiro do prêmio foi utilizado para fortalecer o trabalho de três instituições: a Casa do Povo, no Bom Retiro; o Coletivo Imagens, no Grajaú, e o Consultório na Rua em Cidade Tiradentes; e também para realização do ‘Novembro Bem Garota’, para pessoas transexuais e travestis, e pagamento do frete de uma doação de 700 livros que o Projeto Vida recebeu e distribuiu.

Já na categoria Pessoa Jurídica, o prêmio foi para o Centro de Integração Social pela Arte, Trabalho e Educação (Cisarte), que atende pessoas em situação de rua na Bela Vista, região central de São Paulo. “O Prêmio 19 de Agosto é uma conquista do Movimento Nacional da População em Situação de Rua, da sociedade e do governo.

Ele é um símbolo na luta do direito da pessoa em situação de rua ser reconhecida como cidadã. Ficamos muito felizes em receber a premiação, que ajudou com as despesas mensais do espaço, na compra de insumos para as oficinas e na oferta de café da manhã”, disse Darcy Costa, presidente da Cisarte, que funciona diariamente, das 9 às 17 horas, no Viaduto Pedroso.

As inscrições para a edição deste ano foram fechadas em 15 de agosto e o evento de premiação das iniciativas vencedoras da quarta edição do Prêmio 19 de Agosto será realizado em setembro de 2022.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana