BRASIL E MUNDO

Paes diz que próximas medidas restritivas terão ‘uma série de protocolos’

Publicados

em


source
Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes
Fernando Frazão/Agência Brasil

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes

O prefeito do Rio de Janeiro , Eduardo Paes , afirmou que um decreto com protocolos para a realização de eventos será publicado no início da próxima semana. Sem dar detalhes, durante a divulgação do 19º boletim epidemiológico da cidade, Paes disse que há a possibilidade do uso de testes rápidos para o diagnóstico do Covid-19 .

“Muito provavelmente na segunda vamos publicar decreto que estabelecemos a possibilidade de realização de eventos com uma série de protocolos. Isso já acontece em vários países do mundo. A ideia é que as pessoas possam participar mediante teste rápido, e repetição do teste depois. O decreto trará o protocolo claro”, adiantou.

Um conjunto de regras, que podem ser flexibilizadas a partir da melhora dos números da cidade. O prefeito disse que tem conversado com o setor responsável pela realização de eventos .

“A gente não espera que isso fique por tanto tempo assim, mas esse decreto deve estabelecer parâmetros bem claros para que esses eventos possam voltar com segurança”, disse Paes, prevendo a publicação na segunda ou na terça-feira.

Decreto em vigor

Na semana passada, a prefeitura publicou um decreto em que trouxe as regras para conter o avanço a Covid-19 no município. Entre as flexibilizações, que são válidas até 20 de maio, próxima quinta-feira, voltou a ser permitido o banho de mar e a presença de pessoas na areia nos fins de semana nas praias. Casas de espetáculo podem abrir as portas com 40% da capacidade (se forem ambientes fechados).

Nas praias, a atuação do comércio ambulante (vendedores e barraqueiros) volta a ser permitida. Antes, essas atividades só eram autorizadas durante a semana. As áreas de lazer também podem voltar a abrir aos domingos.

Foi liberado no último decreto:

  • A realização de eventos em áreas particulares;
  • O funcionamento de casas de espetáculo e concerto, com 40% da capacidade se forem ambientes fechados e 60% da capacidade se forem ambientes abertos;
  • A circulação de pessoas em áreas públicas das 23h às 5h;
  • Em bares, lanchonetes, restaurantes, quiosques da orla e congêneres fica permitido o consumo apenas para clientes sentados, com distanciamento mínimo de dois metros entre cada conjunto composto por mesa e cadeiras, limitado a oito ocupantes, sendo admitida música ao vivo até as 23h.

O que permanece suspenso:

  • O funcionamento de boates, danceterias e salões de dança;
  • A realização de rodas de samba e de festas que necessitem de autorização transitória, em áreas públicas e particulares;
  • A entrada de ônibus e demais veículos de fretamento no município, exceto aqueles que prestem serviços regulares para funcionários de empresas ou para hotéis, cujos passageiros comprovem, neste caso, reserva de hospedagem.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Programa será expandido para 128 unidades em todo o país

Publicados

em


O Projeto de Telessaúde do Brasil, um novo modelo de atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) para comunidades distantes com o uso de tecnologia, está sendo testado em Cristalina (GO). O projeto busca melhorar a qualidade do atendimento em regiões remotas e reduzir o tempo de deslocamentos e custos.

Nessa quinta-feira (17), os ministros da Defesa, Braga Netto, e da Saúde, Marcelo Queiroga, estiveram na cidade para acompanhar os trabalhos. Queiroga afirmou que, até o fim deste ano, o modelo deverá ser expandido para 128 unidades de saúde em todo o país.

“Aqui, os ministérios, interligados por universidades públicas federais, desenvolveram um programa que pode ser reprodutível nas mais de 40 mil unidades básicas de saúde do Brasil”, afirmou Queiroga. “Planejamos, até o final do ano, ter 128 unidades básicas como essa espalhadas pelo Brasil e, assim, sucessivamente até interligarmos nosso país com esse tipo de ação que é prioritária.”

Por meio de equipamentos de alta tecnologia, o Telessaúde viabiliza que sejam feitos exames laboratoriais e consultas médicas em municípios distantes dos centros urbanos e socialmente vulneráveis, com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

“Não há dúvidas que a telessaúde amplia fortemente o acesso à saúde. Temos no Brasil cerca de 9% da população vivendo em áreas remotas, e essa iniciativa, seguramente, faz com que a atenção primária e a média e a alta complexidade possam ser interligadas em função do desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação”, ressaltou Marcelo Queiroga.

O ministro da Defesa, Braga Netto, afirmou que a telessaúde já é uma realidade nas unidades de saúde das Forças Armadas em locais remotos como unidades de fronteira e atendem também as comunidades adjacentes como de índios e ribeirinhos.

“Trata-se de um serviço de excelência que amplia o princípio da universalização da saúde a todo cidadão brasileiro, oferecendo maior agilidade e eficiência aos atendimentos de saúde. Aqui em Cristalina, presenciamos um modelo inovador de telessaúde”, frisou.

Projeto inicial

A iniciativa no município goiano é coordenada pelo Ministério da Defesa, mas o projeto é uma estratégia intersetorial com a participação dos ministérios da Saúde; Ciência, Tecnologia e Inovações; das Comunicações; da Educação; da Cidadania; da Economia; e de Minas e Energia.

Juntas, as pastas viabilizam infraestrutura como acesso à banda larga de internet, dispositivos tecnológicos, digitais, energia elétrica em unidades que não possuem e capacitação técnica de profissionais.

Há mais de quatro meses, o projeto atende uma população sazonal de 20 mil pessoas, o que permite a atenção a boias-frias que não têm recursos para contratar profissionais de saúde.

Nas unidades, os pacientes têm acesso a exames laboratoriais e de detecção do novo coronavírus. Também são feitos exames oftalmológicos, dermatológicos e cardiológicos.

Como funciona

O programa utiliza tecnologias que viabilizam a execução dos serviços em diversas áreas de telessaúde e telediagnóstico.

Ao chegar à unidade de saúde, o paciente fornece os dados pessoais, que são inseridos na plataforma do Telessaúde. Ele então é direcionado para a sala de triagem, onde há um equipamento capaz de avaliar 17 parâmetros vitais como frequência cardíaca, pressão arterial e saturação de oxigênio.

Após a avaliação, o paciente é encaminhado para o médico. Se for necessária alguma consulta mais especializada, o projeto conta com a participação inicial de cinco especialidades: a telecardiologia, que disponibiliza um eletrocardiograma; a teledermatologia, com a utilização de um dermatoscópio; a telepediatria; a telepsiquiatria; e a teleoftalmologia, que utiliza um retinógrafo.

Fonte: Brasil.gov

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana