economia

Pacheco critica ideia de congelar preços, mas cobra ‘função social’

Publicados

em

source
Rodrigo Pacheco rebateu proposta de Bolsonaro, mas pediu 'função social' de empresas
Jefferson Rudy/Agência Senado

Rodrigo Pacheco rebateu proposta de Bolsonaro, mas pediu ‘função social’ de empresas

O presidente da República em exercício, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta sexta-feira (10) que o congelamento de preços “não é o caminho” para conter a inflação. A declaração é uma resposta ao pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do ministro da Economia, Paulo Guedes, a empresários do setor de supermercado para controlar o aumento de preços.

Pacheco, que é presidente do Senado, afirmou que “ninguém pretende sacrificar o lucro”. Porém, o senador pediu para, diante da situação de crise econômica do país, as empresas busquem ter “função social” e “fixem preços que sejam justos”.

“Temos uma sociedade de livre mercado e acho que o que o ministro Paulo Guedes reivindicou e suplicou foi realmente a responsabilidade social de todos os brasileiros, na sua atividade produtiva. Ninguém obviamente pretende sacrificar o lucro, nem acredito também em congelamento de preços, não é esse o caminho. Mas a consciência de todos de que temos também que buscar uma função social de todas as empresas, nesse momento, todo mundo ter responsabilidade e fixar preços que sejam justos. Que [empresários] contemplem lucro, mas que não sejam lucros abusivos, que haja competitividade”, disse Pacheco.

O senador completou afirmando que o país passa por uma crise econômica. 

“É um problema de dois dígitos: de juros a dois dígitos, inflação a dois dígitos e em alguns lugares a gasolina a dois dígitos”, disse.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Pacheco deu a declaração durante uma viagem à Paraíba, onde participou do Conselho Nacional do Poder Legislativo Municipal das Capitais (Conalec).

O senador assumiu interinamente à Presidência da República na noite da última quarta-feira, após Bolsonaro viajar aos Estados Unidos para participar da Cúpula das Américas. Os dois primeiros da linha sucessória — o vice-presidente, Hamilton Mourão (Republicanos), e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) — também deixaram o país para não ficarem inelegíveis na eleição deste ano. Os dois são candidatos ao Poder Legislativo.

Em evento promovido pela Associação Brasileira de Supermercados, na quinta-feira, Bolsonaro pediu para que o setor tenha o “menor lucro possível” sobre os alimentos da cesta básica. Guedes, por sua vez, pediu uma “trégua de preços”.

“O apelo que eu faço aos senhores, para toda a cadeia produtiva, para que os produtos da cesta básica obtenham o menor lucro possível para a gente poder dar uma satisfação a uma parte considerável da população, em especial os mais humildes”, disse Bolsonaro na ocasião.

Pacheco deixará a Presidência no sábado, quando Bolsonaro voltar ao país.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Inadimplência em beneficiários do Auxílio chega a 43%, e deve aumentar

Publicados

em

Bolsonaro em entrega simbólica do cartão do Auxílio Brasil: valor de R$ 600 começa a ser pago na terça-feira
Isac Nóbrega/PR – 24.02.2022

Bolsonaro em entrega simbólica do cartão do Auxílio Brasil: valor de R$ 600 começa a ser pago na terça-feira

Cerca de 4 em cada dez eleitores (43%) que recebe o Auxílio Brasil está inadimplente, ou seja, deixou de pagar alguma conta no mês passado, enquanto 48% conseguiram manter as contas saneadas, aponta pesquisa PoderData. Entre os que não recebem o benefício, a inadimplência é um pouco maior, chegando a 48%. No grupo, 44% segue com as contas em dia. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

A pesquisa foi realizada de 14 a 16 de agosto, sendo assim, já considera as parcelas ‘turbinadas’ do programa, no valor de R$ 600. 

A série histórica mostra que a variação é estável e permanece dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais. No último mês, 47% da população deixaram de pagar alguma conta. Outros 45% mantiveram os boletos em dia. Em maio o percentual era de 50% a 43%, respectivamente, bem como em janeiro. 

Os dados sugerem, portanto, que os beneficiários pouco sentiram o efeito do programa assistencial no que diz respeito à quitação de débitos. 

Crédito consignado deve impulsionar endividamento

Previsto para ser liberado em setembro, o crédito consignado para beneficiários do Auxílio Brasil deve impulsionar a margem de brasileiros endividados. 

A União permitiu que bancos ofertem o empréstimo sem estipular teto para os juros e eximindo o governo de responsabilidade em caso de superendividamento. 

Paola Loureiro Carvalho, assistente social e diretora de Relações Institucionais da Rede Brasileira de Renda Básica, diz que a medida destoa do ideal de combate à miséria

“As razões que atestam a crueldade dessa medida superam o âmbito econômico e atingem o plano ético. É consenso consolidado que do ponto de vista de política pública de combate à pobreza e aumento de bem-estar, o crédito em geral não deve ser prioridade”, opina.

Segundo a especialista, o crédito consignado funciona quase como um programa de transferência de renda para o sistema financeiro, que se aproveita da situação de pobreza da população para aumentar os juros. 

“Os consignados sequestram o caráter de proteção social dos benefícios ao entregar parte dos recursos ao sistema financeiro em prejuízo da dignidade dos beneficiários. Sequestra o direito de se viver o futuro com dignidade ao submeter famílias em situação de desespero, em decorrência da miséria, à armadilha do empréstimo”, afirma.

“A própria lógica de funcionamento dos mercados de créditos, com suas estratégias de marketing, induzirá a população ao endividamento. Maximiza-se o lucro deliberadamente de maneira totalmente descolada do ponto de vista ético quando brasileiros, inclusive aqueles com limitados recursos socioemocionais em decorrência de insegurança alimentar/nutricional, tomam decisões alheias aos próprios interesses”, completa.

Fernando Weigert, diretor da Neoconsig, diz que já existem bancos oferecendo empréstimo com juros anuais de quase 100% em algumas cidades.

Segundo as regras anunciadas pelo governo, o valor da renda que poderá ser comprometida pelos usuários do Auxílio Brasil será de 40%, sendo que até 35% poderá ser utilizado para o empréstimo pessoal e 5% poderá ser utilizado para saques e despesas do cartão de crédito consignado. 

A pesquisa PoderData foi realizada de 14 a 16 de agosto de 2022. Foram entrevistadas 3.500 pessoas com 16 anos de idade ou mais em 322 municípios nas 27 unidades da Federação. Foi aplicada uma ponderação paramétrica para compensar desproporcionalidades nas variáveis de sexo, idade, grau de instrução, região e renda. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.


Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana