cultura

Orquestra Sinfônica da UFMT lança Academia de ensino gratuito de música orquestral

As inscrições e os cursos serão online, com entrega de certificados ao final.

Publicado

Orquestra Sinfônica da UFMT| Foto: Luso Reis

A Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso inicia neste ano de 2020 um novo programa de atuação no estado, a Academia da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso.

O programa, em favor da universalização e do aprimoramento da educação básica em música orquestral, oferecerá oficinas e mentorias em instrumentos como violino, viola de arco, clarineta, trompete e trombone, enquanto atividade de extensão que no momento se dará em formato online devido à realidade de isolamento social, porém, com o forte propósito de aproximar de forma perene, o conhecimento superior, representado nas universidades, dos níveis escolares fundamentais.

A promessa é possibilitar aos jovens músicos instrumentistas se prepararem com mais competência para a atuação em práticas orquestrais e suas vertentes em nosso mercado. Vale lembrar que o grupo de técnicos envolvidos no processo conta com uma herança de mais de 40 anos de tradição na produção de espetáculos e concertos, certificando assim, a qualidade da missão da proposta.

Maestro Fabrício Carvalho | Foto: Luso Reis

Das batutas dos maestros Konrad Wimmer, Marcelo Bussiki, Ricardo Rocha, Roberto Vitório, Silbene Perassolo, e agora com Fabrício Carvalho – diretor artístico da proposta, a Orquestra cumprirá o seu papel “promovendo a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos na música, próprios do nível superior, por meio de uma comunicação específica da prática extensionista” – um norte e papel de democratização do conhecimento estratégico dentro da Universidade Pública no país, explica o maestro.

Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional nos aspirantes a músicos, integrando os conhecimentos que foram adquiridos na trajetória das diversas gerações envolvidas no processo, segundo o violista Edson Assunção, que respira o cotidiano da Orquestra desde 1983, quando, aos nove anos, começou a aprender o instrumento, é uma satisfação. “Como supervisor, você vê o resultado acontecendo, e embora, mesmo com problemas que às vezes surgem, ver depois o sucesso da apresentação de cada um, dá uma satisfação pessoal por ter contribuído para aquilo acontecer”, completa o servidor com sua visão particular sobre sua atividade como um todo, e as propostas da Academia OSUFMT.

O lançamento do trabalho será liderado pelo músico Fernando Pereira. Bacharel, mestre, licenciado em música pela Academia Nacional de Sofia, o integrante da Orquestra mediará um conjunto de ações em duas vertentes, formação comportamental no qual chama de Soft Skills para músicos de orquestra, com participação livre a todos que assim desejarem, e formação técnica, hard skills, com ênfase em performance em violino e/ou viola de arco. A proposta toda, segundo o músico, é suscitar discussões para uma melhor inserção de jovens na dinâmica de um mercado bastante aquecido, mas, que em suas palavras, “é pouco conhecido e explorado”. Em um título provocador “do gênio incompreendido ao profissional de sucesso” a proposta busca “aguçar a reflexão sobre paradigmas e práticas em uma carreira tão nobre dentro da sociedade, a profissão de músico” finaliza o servidor.

Para aqueles que quiserem participar deste novo momento da Orquestra Sinfônica, capacitando se, atualizando se para o futuro da música de concerto por meio das Ações Extensionistas da Academia, a produtora cultural do grupo, Fernanda Ficagna orienta a todos a acessarem o link de cadastramento para as atividades no portal da UFMT, ou para maiores informações entrar em contato pelo e-mail [email protected], visto que os acessos presenciais estão suspensos temporariamente enquanto medida restritiva de saúde pública.

Para os amantes e entusiastas da cultura e arte, todos as discussões podem ser acompanhadas de forma gratuita pelo instagram da Orquestra Sinfônica da UFMT @orquestraufmt, para aqueles que querem se inscrever e conquistar a certificação, acessar Plataforma Virtual https://orquestraufmt.wordpress.com/, página da OSUFMT no Portal da UFMT https://novo.ufmt.br/unidade/orquestra ou diretamente no formulário de inscrição – https://forms.gle/QQsFmXjSPSPQ5n2g6

SERVIÇO 

Academia da Orquestra Sinfônica da UFMT

Oficinas em Habilidades Comportamentais e técnicas aplicadas ao músico de orquestra.

1º Módulo

Condições para participação

Certificação Soft Skills participação livre a maiores de 14 anos,

Certificação Hard Skills: participação com experiência em violino e/ou viola de arco e idade acima de 14 anos

 

Comentários Facebook
publicidade

cultura

Mais de 40 filmes de terror nacionais são exibidos em mostra online

Publicado

Uma mostra de cinema promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) vai exibir 44 filmes de terror brasileiros contemporâneos a partir desta quarta-feira (28) pela internet. A mostra MacaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo apresentará ao público longas e curtas realizados por cineastas nacionais nos últimos cinco anos.

Devido à pandemia de covid-19, a mostra será feita de forma online, até o dia 23, e os filmes serão exibidos gratuitamente na plataforma Darkflix. Além dos filmes serão realizadas palestras, debates e cursos também virtuais.

Os longa-metragens ficarão disponíveis por 24 horas, com um limite de visualizações (saindo do ar assim que atingir esse limite). Já os curtas ficarão no ar por uma semana.

Entre os longas que serão exibidos na mostra estão Morto Não Fala, de Dennison Ramalho, O Animal Cordial, de Gabriela Amaral Almeida, Sem Seu Sangue, de Alice Furtado (que estreou no Festival de Cannes), Quando Eu Era Vivo, de Marco Dutra, Terminal Praia Grande, de Mavi Simão, O Clube dos Canibais, de Guto Parente, Condado Macabro, de André de Campos Mello e Marcos DeBrito, e Mal Nosso, de Samuel Galli.

Os dois últimos longas de Rodrigo Aragão, O Cemitério das Almas Perdidas e A Mata Negra, também estão na programação da mostra, que ainda contará com debates com o diretor.

“Percebi que as pessoas não conhecem mesmo, quase sempre nunca ouviram falar que existia horror sendo feito no cinema brasileiro contemporâneo. Eles até estão disponíveis em plataformas digitais, em canais a cabo, mas você tem que procurar um a um, assinar esses serviços ou ter o canal disponível na sua TV a cabo. Com essa mostra, disponibilizando online, gratuitamente, a gente acredita que muita gente vai preencher essa lacuna de não poder conhecer o cinema de horror brasileiro”, disse Carlos Primati, que faz a curadoria da mostra junto com Breno Lira Gomes.

A mostra também homenageará José Mojica Marins, considerado o pai do cinema nacional de horror e criador do personagem Zé do Caixão, que faleceu no início deste ano. Serão exibidos os curtas Saci, dirigido por ele, e Lasanha Assassina, animação que tem a dublagem de Zé do Caixão.

Confira a programação:

Quarta-feira (28)

18h – O Hóspede (curta-metragem)

19h – Live com os diretores Ramon Porto Mota e Ian Abé da produtora homenageada Vermelho Profundo

20h – A Noite Amarela (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)

29 de outubro, quinta-feira

16h – Cova Aberta (curta-metragem)

18h – O Nó do Diabo – Episódio 1

20h – Canto dos Ossos

Sexta-feira (30) 

18h – O Nó do Diabo – Episódio 2

19h – Live com Mariah Benaglia e Jhésus Tribuzi da produtora Vermelho Profundo

20h – Os Mortos (curta-metragem)

Sábado (31) 

15h – O Nó do Diabo – Episódio 3

16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 1

18h – O Desejo do Morto (curta-metragem)

19h – Debate: O Terror e o Cinema Brasileiro, com a cineasta Gabriela Amaral Almeida, o cineasta Rodrigo Aragão, a crítica de cinema Flávia Guerra. Mediação do curador Carlos Primati.

20h – A Mata Negra

Domingo (1°/11) 

16h – O Nó do Diabo – Episódio 4

18h – Mais Denso que o Sangue (curta-metragem)

20h – Não tão Longe (curta-metragem)

Segunda-feira (2/11)

16h – O Nó do Diabo – Episódio 5

18h – Sem seu Sangue (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)

19h – Live com o curador Carlos Primati e a diretora de Sem seu Sangue Alice Furtado

20h – As Núpcias de Drácula

Terça-feira (3/11) 

18h – A Noite Amarela (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)

20h – Os Jovens Baumann (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras)

Quarta-feira (4/11) 

18h – Christabel

19h – Live com a pesquisadora Laura Loguercio Cánepa e a diretora homenageada Gabriela Amaral Almeida

20h – O Animal Cordial

Quinta-feira (5/11)

18h – Uma Primavera (curta-metragem)

20h – #ninfabebê

Sexta-feira (6/11) 

18h – Estátua! (curta-metragem)

19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e o ator de “Quando eu era vivo” Antonio Fagundes

20h – Quando eu era Vivo

Sábado (7/11) 

14h – O Segredo dos Diamantes

15h – A Mão que Afaga (curta-metragem)

16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 2

18h – O Caseiro

19h – Palestra com a cineasta Gabriela Amaral Almeida com o tema Escrevendo histórias de terror para o cinema

20h – A sombra do pai

Domingo (8/11) 

16h – O Animal Cordial

18h – O Clube dos Canibais

20h – Condado macabro

Segunda-feira (9/11) 

18h – Quando eu era vivo

19h – Live com o curador Carlos Primati e o diretor de Quando eu era vivo e montador dos curtas da homenageada, Marco Dutra

20h – Terminal Praia Grande

Terça-feira (10/11) 

18h – A sombra do pai

20h – Terra e luz

Quarta-feira (11/11)

18h – A capital dos mortos 2: Mundo morto

20h – Nocturnu (curta-metragem)

21h30 – Live com o crítico Marcelo Miranda e o cineasta homenageado Dennison Ramalho

Quinta-feira (12/11) 

16h – Canto dos ossos

18h – Amor só de mãe (curta-metragem)

20h – Quando o galo cantar pela terceira vez renegarás tua mãe

Sexta-feira (13/11) 

18h – O diabo mora aqui

19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e a atriz de Morto não fala Bianca Comparato

20h – Morto não fala

Sábado (14/11)

16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 3

18h – As núpcias de Drácula

19h – Debate: A atuação no cinema de terror, com a atriz Luciana Paes, a crítica de cinema Cecília Barroso. Mediação do curador Breno Lira Gomes.

20h – Christabel

Domingo (15/11)

16h – Ninjas (curta-metragem)

18h – Condado macabro

20h – Mal nosso

Segunda-feira (16/11)

16h – A casa de Cecília

18h – O caseiro

19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e a atriz e produtora de Através da sombra Virginia Cavendish

20h – Através da sombra

Terça-feira (17/11)

16h – Morto não fala

18h – Terra e luz

20h – A capital dos mortos 2: Mundo morto

Quarta-feira (18/11)

18h – O clube dos canibais

20h – O saci (curta-metragem)

Quinta-feira (19/11)

16h – A lasanha assassina (curta-metragem)

18h – #ninfabebê

20h – Mal nosso

Sexta-feira (20/11)

18h – O segredo de Davi (Acessível: Legenda descritiva)

20h – Tirarei as medidas do seu caixão (curta-metragem)

Sábado (21/11)

14h – O segredo dos diamantes

16h – Curso com o curador Carlos Primati – Módulo 4

18h – Os jovens Baumann

19h – Palestra com a pesquisadora e crítica de cinema Beatriz Saldanha com o tema Diretoras e o terror

20h – A casa de Cecília

Domingo (22/11)

16h – Através da sombra

18h – Coração das trevas (Coffin Joe’s Heart of Darkness – curta-metragem)

20h – Quando o galo cantar pela terceira vez renegarás tua mãe

Segunda-feira (23/11) 

18h – O cemitério das almas perdidas

19h – Live com o curador Carlos Primati e o diretor de O cemitério das almas perdidas e A mata negra, Rodrigo Aragão

20h – A mata negra

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana