Cuiabá

Obras da Prefeitura na Saúde mudaram a rede de assistência à saúde aos cuiabanos

Publicados

em


Davi valle

Clique para ampliar

Não somente obras de mobilidade e de urbanização estão mudando a cara de Cuiabá na gestão Emanuel Pinheiro, mas também na área da saúde, ampliando e melhorando o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Foram inauguradas 6 obras de novas unidades. Na atenção primária, as unidades básicas de saúde dos bairros Jockey Clube e Santa Terezinha/Itapajé foram abertas em 2019; já no Residencial Ilza Terezinha Picolli Pagot e no Parque Ohara as UBSs foram disponibilizadas ao público em pleno auge da pandemia, em junho de 2020. 

Na atenção secundária, a obra de construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Verdão foi concluída logo no início da Pandemia em Cuiabá, em março do ano passado, ficando até recentemente disponível com leitos de retaguarda para pacientes com covid-19 dentro do plano municipal de contingência a COVID-19. 

Já a maior obra de saúde pública do estado de Mato Grosso também foi entregue pela atual administração: o Hospital Municipal de Cuiabá Dr. Leony Palma de Carvalho – HMC, cuja obra foi entregue no final de 2018, sendo referência Municipal e Estadual em diversas especialidades de média e alta complexidade, atendendo a usuários de todo o Estado de Mato Grosso e até de estados vizinhos. O hospital também desempenhou papel fundamental durante a pandemia, por ser o único hospital com estrutura para atendimentos de urgência e emergência aberto 24 horas ininterruptamente e todas as outras especialidades não covid-19, desde março de 2020. Durante a pandemia, o HMC absorveu toda a demanda de ortopedia, neurologia, cirurgia geral, pediatria, Centro de tratamento de queimados (CTQ), corredor do AVC (SOS AVC) entre outros casos de média e alta complexidade.

“O HMC teve um papel muito importante na rede de atenção à saúde para o município de Cuiabá e também para todo o Estado, enquanto o Hospital São Benedito e o Hospital Referência se voltaram exclusivamente para o combate à Covid-19. Não tem como mensurar os impactos para população mato-grossense sem a relevante atuação do HMC durante esse período”, destaca o diretor geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), Vinicius Gatto.

Reformas e ampliações

Entre reformas e ampliações de unidades básicas de saúde, foram 31 obras concluídas entre 2017 e 2021. Dentre as reformas estão as das UBS dos bairros: São João Del Rey/Novo Millenium, em setembro de 2017; Renascer, Jardim Fortaleza/Santa Laura, Jardim Vitória I, Bela Vista/Carumbé e Parque Cuiabá, em 2018; Pedra 90 I e II, Jardim Florianópolis/União, Altos da Serra I e II, Despraiado I e II e Novo Terceiro, em 2019; CPA III, Alvorada, Clínica da Família, CER Pascoal Ramos, em 2020; Osmar Cabral, Novo Horizonte, Jardim Vitória II e III e Nova Esperança, em 2021. 

Já as ampliações foram realizadas em 8 unidades de saúde da família, sendo Rio dos Peixes, Jardim Independência, Jardim Colorado I e II, Parque Atalaia, Pedra 90 V e VI, Primeiro de Março, Pedra 90 III e IV, Dr. Fabio I e II – todas em 2020 – e em 4 centros de saúde (Tijucal, Grande Terceiro, Dom Aquino e Ana Poupina, entre 2018 e 2020.

Na atenção secundária à saúde, foram reformados o Serviço de Atendimento Especializado (SAE) do CPA 1, o Centro Especializado de Reabilitação do Pascoal Ramos e as residências terapêuticas dos bairros Santa Isabel, Campos Elisiums, Cidade Alta, Carumbé e CPA 2.  

A secretária interina de Saúde, Suelen Alliend, destaca que essas obras, mais do que oferecer uma infraestrutura melhor para os usuários e profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS), traduzem o respeito ao cidadão e a humanização da atual gestão. “Hoje em dia, todos os ambientes das nossas unidades contam com ar condicionado, visando oferecer mais conforto e comodidade aos nossos pacientes. Esses locais também foram adaptados para receber pessoas com deficiência, através das rampas de acesso e banheiros adaptados, por exemplo. Isso demonstra que a Prefeitura vê o cidadão como ser humano que precisa de acolhimento no momento mais difícil, que é quando ele precisa de atendimento na saúde”, afirma.

Novas unidades

A secretária ressalta ainda que a SMS já conta com o cronograma de obras que serão entregues até o final deste ano. São elas: Unidade de Pronto Atendimento – UPA Leblon, Centro de Especialidades Médicas – CEM Pascoal Ramos, Unidade de Saúde da Família – USF Jardim Imperial, dentre outras. 

Comentários Facebook
Propaganda

Cuiabá

Ministério Publico requer fechamento de Fort Atacadista inaugurado nesta sexta

Publicados

em

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso ingressou com ação civil pública, com pedido liminar, requerendo o fechamento e a paralisação imediata das atividades exercidas pelo Fort Atacadista inaugurado nesta sexta-feira (27.11), na Rodovia Emanuel Pinheiro, saída para Chapada dos Guimarães.

O MPMT ressalta que o empreendimento não possui Alvará de Ocupação (Habite-se do prédio) e nem Licença Ambiental de Instalação e Operação. Além disso, parte do empreendimento foi edificado em Área de Preservação Permanente.

A 17ª Promotoria de Justiça Cível, que atua na defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural, enfatiza que para viabilizar a obra, foi realizada a tubulação de um córrego localizado na área sem qualquer autorização, colocando em risco a integridade física da população e degradando o meio ambiente.

Consta na ação que durante o trâmite do inquérito civil houve tentativas de resolução consensual e a empresa foi notificada por diversas vezes para que submetesse à aprovação do órgão municipal o projeto arquitetônico do prédio e a retirada de toda e qualquer edificação/construção/impermeabilização da Área de Preservação Permanente.

Segundo o MPMT, a inexistência de Habite-se (Alvará de Ocupação) apresenta risco iminente à população cuiabana, posto que somente o documento expedido pela Prefeitura Municipal certifica a adequação da edificação aos parâmetros técnicos de segurança.

CONFIRMAÇÃO

Em audiência realizada com o Ministério Público Estadual nesta quinta-feira (25), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável demonstrou que a empresa SDB Comércio de Alimentos Ltda não cumpriu os requisitos para a expedição do Habite-se, da Licença de Instalação e da Licença de Operação, não protocolou o Plano de Recuperação de Área Degradada e não possui projeto aprovado.

Atuando na defesa da coletividade, o pedido do MPMT é para que o empreendimento somente volte a funcionar após a regularização da edificação por meio da apresentação do Habite-se do prédio e licenças ambientais. A ação foi proposta na quinta-feira (25).

Fonte: MP MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana