AGRO & NEGÓCIO

Novos projetos da Embrapa Meio-Norte focam apicultura e irrigação no semiárido

Publicados

em


A Embrapa Meio-Norte entra em 2021 aprovando três projetos de pesquisa focados na apicultura e na irrigação de fruteiras no semiárido brasileiro. O orçamento é de R$ 842 mil. O aporte do dinheiro será feito pelo Tesouro Nacional. Liderado pela pesquisadora Patrícia Maria Drumond, o primeiro projeto mira a redução de danos que são causados pelas abelhas Arapuás na cultura do bacuri, sem destruir os ninhos desses insetos. A execução do projeto pode começar em julho deste ano, a princípio no Piauí, e deve durar 36 meses.

O segundo projeto vai trabalhar a produção de abelhas rainhas Apis Mellifera – também conhecidas como abelhas-de-mel – no semiárido. O caminho a ser seguido é o mesmo: a execução das ações devem começar a partir de julho de 2021, também no Piauí, com duração três anos. O objetivo maior do trabalho, segundo a líder do projeto, pesquisadora Fábia Pereira, é “diversificar a produção e usar material genético da região para o melhoramento das colônias”.

O uso e gestão eficientes da água de irrigação nas fruteiras no semiárido é o foco do terceiro projeto, que seguirá o mesmo rito dos dois primeiros citados acima, em tempo de execução e espaço geográfico. Liderado pelo pesquisador Valdemício Ferreira de Sousa, o estudo vai buscar a elevação da produtividades com “eficiência no uso da água em sistemas de produção por gotejamento”.

Esses projetos foram aprovados na “chamada três” do Sistema Embrapa de Gestão. O comitê analisou 207 propostas de todas as Unidades da Embrapa nas “chamadas um e três”. Destas, foram aprovadas 69 (33,3%).

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Mercado para frutas da Amazônia é apresentado por pesquisadora da Embrapa Amapá na pré-cúpula dos Sistemas Alimentares

Publicados

em


A Embrapa Amapá participa de evento internacional preparatório à Cúpula dos Sistemas Alimentares, que será realizada em setembro deste ano durante a semana de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque (EUA). A pesquisadora engenheira florestal Ana Euler vai palestrar, nesta terça-feira,27/7, às 14h30 (horário de Brasília), sobre o tema “Produtos alimentares da floresta que oferecem oportunidades de mercado e meios de subsistência”. Link de acesso:  https://www.cifor-icraf.org/event/pre-summit-of-the-un-food-systems-summit/4897/tomorrows-food-systems-need-forests-and-trees.  Não haverá tradução para português.   

Este evento pré-cúpula é realizado em videoconferência, organizado pelo Centro Internacional de Investigação Florestal (Cifor) e Faculdade de Silvicultura da Universidade de Columbia. A programação completa é composta dos seguintes painéis: “Florestas e árvores transformando sistemas alimentares” (Terry Sunderland – Universidade Columbia Britânica); “Os papéis das florestas e das árvores nos sistemas alimentares indígenas e tradicionais” (Phrang Roy – Parceria Indígena para a Agrobiodiversidade e Soberania Alimentar); “Produtos de árvores alimentícias que fornecem oportunidades de mercado e meios de subsistência” (Ana Euler – Embrapa Amapá); e “Restaurando terras degradadas com árvores de alimentos para nutrição” (Alain Touta Traoré – ong belga Solidagro em Burkina Faso).  

Ana Euler, única participante da América Latina neste evento, vai enfatizar produtos alimentares da região amazônica, como açaí, bacaba, tucumã, guaraná, pupunha, uxi, entre outros que fazem parte dos portóflios de pesquisas e transferência de tecnologias das unidades da Embrapa na região, sendo uma das iniciativas o projeto Manejo Florestal e Extrativismo (MFE), financiado pelo Fundo Amazônia.

A pesquisadora também vai apresentar dados referentes à dinâmica produtiva das populações locais, com destaque para o açaí, a qual está diretamente associada à diversidade sociocultural. “Contamos com um milhão de hectares de florestas nativas sob uso na região amazônica, onde cerca de 200 mil famílias são agroextrativistas e produzem em torno de 1,5 milhão de toneladas de frutos por safra anual. Deste total, 85% da produção são consumidos pela população da região, gerando uma estimativa de renda de 900 milhões de dólares para produtores e mercado local. Os demais 15% da produção de frutos são comercializados nas demais regiões do Brasil e em alguns países”, detalhou Ana Euler.

SERVIÇO:

Videoconferência: Pré-Cúpula da Cúpula de Sistemas Alimentares da ONU

Data: 27/7 (terça-feira)

Horário (Brasília): 14h30

Link de acesso: https://www.cifor-icraf.org/event/pre-summit-of-the-un-food-systems-summit/4897/tomorrows-food-systems-need-forests-and-trees. Não haverá tradução para português.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana