POLÍTICA NACIONAL

“Nos acusa e nunca provou, agora há provas contra ela”, diz Eduardo Bolsonaro sobre Joice

Publicados

em

 

source
Carla Zambelli na CPMI das Fake News
Deputada federal Joice Hasselmann

Após a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) ter sido denunciada por  obrigar seus funcionários a produzir fake news, os filhos do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PLS-SP) e o vereador Carlos Bolsonaros (Republicanos-RJ), e as deputadas Carla Zambelli (PLS-SP) e Bia Kicis (PLS-DF)se manifestaram nas redes contra ela. Eles seriam alvos do suposto esquema de fake news.

Leia também

Eduardo Bolsonaro criticou Joice. “Exatamente o que ela nos acusa e NUNCA provou, agora há provas contra ela”, o deputado escreveu em seu Twitter. Em dezembro do ano passado, Joice o acusou, na CPMI das fake news, de

CNN OBTÉM PROVAS DE QUE JOICE HASSELMANN TINHA EQUIPE DE FAKE NEWS PAGA COM DINHEIRO PÚBLICO

Ex-funcionários mostram provas que Joice tinha central de fakes, exatamente o que ela MENTE que os bolsonaristas fazem

Mais um ex de "acuse seus rivais do que você faz"

E agora, STF? pic.twitter.com/8kLtIcCPuo

— Eduardo Bolsonaro?? (@BolsonaroSP) June 5, 2020

$” target=”_blank” data-mce-href=”https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-12-04/eduardo-bolsonaro-e-um-dos-lideres-dos-ataques-virtuais-diz-joice.html

CNN OBTÉM PROVAS DE QUE JOICE HASSELMANN TINHA EQUIPE DE FAKE NEWS PAGA COM DINHEIRO PÚBLICO

Ex-funcionários mostram provas que Joice tinha central de fakes, exatamente o que ela MENTE que os bolsonaristas fazem

Mais um ex de "acuse seus rivais do que você faz"

E agora, STF? pic.twitter.com/8kLtIcCPuo

— Eduardo Bolsonaro?? (@BolsonaroSP) June 5, 2020

$”liderar ataques virtuais e a família Bolsonaro de administrar perfis falsos .

Carla Zambelli afirmou que além das acusações dos funcionários, ela também possui outras denúncias. “Tenho mais denúncias!!!!! Essa Joice Hasselmann tem que ir pra cadeia! Não é só fake News, é crime”.

 

 

Carlos Bolsonaro afirmou que “a própria pessoa que deu pontapé para que o STF criasse o ‘inquérito’ recheado de inconsistências é mais um episódio estarrecedor”.

 

 

Bia Kicis publicou que “gente, a casa caiu mesmo”. “Criação de perfis falsos e ataques a colegas só porque nos mantivemos fiéis”.

 

 

Flávio Bolsonaro , um dos supostos alvo dos ataques, não havia se pronunciado sobre o caso até a publicação desta matéria.

Entenda as acusações

Funcionários de Joice afirmaram que eram obrigados pela parlamentar a criar perfis falsos nas redes sociais para elogiá-la e também para atacar seus opositores. A informação foi divulgada na tarde desta sexta-feira (5) pela emissora CNN Brasil. CPFs falsos teriam sido usados para criar esses perfis.

Joice , no entanto, nega as acusações.

Um funcionário também conta que “todo material que foi usado na CPMI da fake news foi criado pela equipe dela”. No final do ano passado, Joice prestou depoimento na CPMI das fake news e afirmou que havia dentro do Planalto um esquema de disparo de fake news que envolvia a família do presidente Jair Bolsonaro. Essa estrutura é chamada de ” gabinete do ódio “.

Ao ser questionado sobre o motivo para a criação desses perfis, o funcionário afirma que era “ataques a pessoas que se opuseram a ela, depois que ela virou as costas para o presidente”. O trabalhador cita que os ataques eram direcionados a Bia Kicis, Carla Zambelli, Eduardo Bolsonaro e Flávio Bolsonaro.

Segundo áudios e conversas apresentados pelos funcionários, Joice teria pedido a eles para criar hashtags contra Kicis e um vídeo contra Zambelli. “A gente precisa criar uma hashtag Beatriz, a sórdida. Vou pro ataque com essa vagabunda”. “Faz um videozinho bem curtinho aí e bota a cara da Carla com áudio e faz sarcasmo”.

 

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Em protesto por declarações de Bolsonaro contra vacina, senadores deixam sessão da CPI

Publicados

em


Em depoimento à CPI da Pandemia, os médicos Ricardo Zimerman e Francisco Cardoso rebateram críticas à falta de comprovação da eficácia do chamado “tratamento precoce”. Eles defenderam o uso desses medicamentos, com prescrição médica, no início da doença, para evitar o agravamento de casos. Os dois se disseram favoráveis à vacinação. Em protesto contra declarações do presidente Bolsonaro, o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), e outros senadores se retiraram da sessão. Marcos Rogério (DEM-RO) considera que ausência compromete o relatório final. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana