BRASIL E MUNDO

“Não teria como se defender”, diz sobrinho de cadeirante que morreu em Bauru

Publicado


source
Os bombeiros tentaram reanimar o cadeirante por cerca de trinta minutos.
Alisson Negrini/TV TEM

Os bombeiros tentaram reanimar o cadeirante por cerca de trinta minutos.

O sobrinho de Luiz Antônio Barreto, cadeirante que morreu na última quinta-feira (29) ao ser jogado de um viaduto em Bauru (SP) , informou que o tio tinha quatro filhos, três netos e vivia na rua por enfrentar problemas com álcool e drogas. As informações foram dadas pelo G1 .

Maycon Barreto, de 24 anos, contou que o tio perdeu as duas pernas há 14 anos em um acidente em uma linha de trem. Ele também disse que Luiz Antônio recebia ajuda de comércios da região central de Bauru .

Algumas pessoas faziam o cabelo e a barba do cadeirante de graça. Luiz Antônio também recebia comida diariamente e, dois dias antes de morrer, comemorou seus 42 anos com um bolo de aniversário.

O sobrinho comentou que Luiz Antônio tinha força nos braços por empurrar a cadeira de rodas, “mas não teria como se defender diante de um agressor que não tem problemas físicos. Ele podia até tentar se defender, mas seria em vão”.

“Nós da família ficamos muito chateados, mesmo com ele não convivendo mais com a gente. Entre a bebida e a família, ele escolheu a bebida. Mas é irmão do meu pai, é nosso sangue. Ele não era uma pessoa ruim, apenas um pouco marrento”, disse Maycon.

O homem contou também que trabalhava perto do local onde Luiz Antônio pedia ajuda a motoristas e vendia balas no trânsito.

“Sempre que cruzava com meu tio, ele estava alegre, sempre encarando suas dificuldades com bom humor . Ele sempre ria quando eu falava pra ele que ia presenteá-lo com um par de chinelos”, relatou o sobrinho.

Comentários Facebook
publicidade

BRASIL E MUNDO

Banco alemão doará 25,5 milhões de euros a projeto na Amazônia Legal

Publicado


Os ministérios das Relações Exteriores e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento firmaram, nesta terça-feira (24), acordo que prevê a doação, pelo banco estatal alemão “Kreditanstalt für Wiederaufbau” (KfW), de até 25,5 milhões de euros ao projeto “Inovação nas Cadeias Produtivas da Agropecuária para a Conservação Florestal na Amazônia Legal”. O objetivo é expandir e fortalecer práticas produtivas sustentáveis nas cadeias da carne, soja e madeira em estados da Amazônia Legal.

O Ministério das Relações Exteriores tem coordenado cooperação técnica e financeira entre Brasil e Alemanha, voltada ao desenvolvimento sustentável, com foco no fomento a projetos nas áreas de proteção ambiental e eficiência energética.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por sua vez, será o encarregado de executar o projeto, em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

Com informações do Ministério das Relações Exteriores

Fonte: Brasil.gov

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana