agora quando

Nada a temer

Publicados

em


Da Assessoria

francisney Liberato

Francisney Liberato

Já percebeu que a nossa vida se parece como uma gangorra? Ora estamos por cima e, em outras vezes estamos por baixo, isto é, temos bons momentos e, episódios amargos.

Se você fizer a retrospectiva de um ano da sua vida, vai notar que houve algumas oscilações. Umas provocadas por você, por ação ou omissão, como por exemplo, o descuido da saúde, e outra, que nem sequer dependeram de um decisão sua, como por exemplo, uma catástrofe natural.

 

Gostaria de chamar a atenção para o fato de que as oscilações da vida, são inerentes aos seres humanos, não importa a classe social, cor, idade, origem familiar etc., estamos sujeitos a esses acontecimentos.

 

Das peripécias da vida, podemos ganhar muita confiança, quando os acontecimentos são positivos, ou muita dor e sofrimento, quando as situações são negativas, e o pior, ser contaminado por traumas e fobias, que faz com que muitas pessoas nem sequer saiam da cama.

 

Ninguém gostar de ter medo ou fobia de alguma coisa. O medo é inerente ao ser humano e nos travam, diante do desconhecido.

 

O que dizer então do futuro? Além da clareza em tomar decisões, o estado de espírito, com que você vive hoje, influenciará ações futuras, e principalmente, na maneira como enxergará todos os momentos.

 

Na contabilidade aprendemos que ao final de um ano, ou em um período determinado, os contadores devem elaborar o balanço patrimonial, ou seja, apurar se os ativos, que são um conjunto de bens e direitos, são maiores, menores ou iguais aos passivos, que são as obrigações da entidade.

 

Caso o ativo seja maior do que o passivo, teremos um resultado positivo, chamado de superávit ou lucro; se for ao contrário, teremos um resultado negativo, chamado de déficit ou prejuízo. Se o resultado for igual, então teremos um equilíbrio. Todo empresário almeja obter lucros, pois além de demonstrar uma boa saúde financeira da entidade, atestam o seu crescimento.

Semelhantemente ao que ocorre com as empresas, na nossa existência, precisamos elaborar o balanço de nossas vidas. Precisamos ao final do ano, ou em outros períodos, avaliar os resultados da vida

Ninguém quer ter prejuízos na vida. Como foi o seu ano? Positivo, negativo ou neutro? Como está o seu balanço? Na sua vida existe crescimento? Qual é o saldo dos seus relacionamentos? Em qual área da sua vida você teve mais prejuízos?

 

É pelo balanço da vida que vamos saber dos resultados. Em decorrência disso, podemos fazer intervenções para melhorar as áreas que deram prejuízos, e fortalecer aquelas que estão indo bem.

 

A escritora americana Ellen G. White, fala sobre o nosso balanço dando uma perspectiva positiva: “Nada temos a temer quanto ao futuro, a menos que nos esqueçamos como Deus tem nos conduzido no passado”.

 

Nada pode nos impedir de sonhar e crer com um futuro melhor, mesmo que o balanço da vida só tenha dado prejuízos sucessórios, mesmo que a gangorra esteja estacionada para baixo. Ninguém e nenhuma circunstância pode nos impedir de sermos felizes.

 

Com todos os problemas e dificuldades que estamos sujeitos, ainda assim é possível conquistar um saldo positivo na vida, pois provavelmente, algum dia você já obteve muitos resultados satisfatórios, e sabe muito bem que a vida de bonança, pode e deve retornar.

 

Deus está contigo. Que promessa maravilhosa!! saber que mesmo que a gangorra não queira mais voltar a subir, mesmo que o balanço seja deficitário, mesmo que não existam mais perspectivas, e o pior, ainda que você não acredite mais em você, saiba que Deus está ao seu lado e pode ressignificar a sua vida.

 

Não podemos e não devemos temer ao futuro, por que a vida tem as suas variações, e se tudo deu errado até aqui, não se preocupe, haverá sempre a oportunidade de uma vida melhor e com muita alegria, pois Deus é contigo.

 

Francisney Liberato Batista Siqueira é Secretário de Controle Externo, Auditor Público Externo do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, Palestrante Nacional, Professor, Coach, Mentor, Advogado e Contador. Autor dos Livros “Mude sua vida em 50 dias” e “Como falar em público com eficiência”.

 

 

Comentários Facebook
Propaganda

agora quando

A hora da colheita

Publicados

em

Por


Francisney Liberato

Francisney Liberato

Aquele que espera pelo que plantou nunca se decepcionará. Ainda que demore, o tempo certo para que todas as coisas se cumpram, não se atrasa.

 

Qual seria o momento ideal para uma colheita? Se você é um agricultor e planta o milho, quanto tempo é necessário para colhê-lo? O momento certo da colheita traz outros fatores indispensáveis para o sucesso do plantio.

 

Segundo especialistas do ramo, antes de começarmos a pensar na colheita, é relevante que se planeje o plantio. Você precisa analisar o solo adequado para se plantar o milho, avaliar se o solo precisa de correções para que a plantação seja bem-sucedida.

 

É importante deixar o espaçamento adequado para o plantio. A depender do tipo do milho, alguns podem necessitar de mais espaços, já outros tipos, não; saber escolher bem as sementes; cuidar para que as pragas não invadam e destruam a sua plantação; suprir com irrigação necessária; colocar a temperatura apropriada. O milho precisa de muita iluminação da luz solar. Guardadas as variações das espécies dos milhos, a colheita pode acontecer em cerca de três meses ou levar até dez meses.

 

Então, qual é o tempo necessário para colheita do milho? Conforme acima dito entre três e doze meses. De todo modo, o milho precisa de tempo, entre a sua preparação até chegar o momento da colheita.

 

Já temos debatidos em outros textos sobre o plantio e sempre dei ênfase, na lição de quem planta, colhe; quem não planta, não colhe. Quem planta banana, colherá banana. Quem planta melancia, colherá melancia. Não tem como ser diferente disso, é a lógica do plantio e da colheita.

 

Além dos fatores já mencionados, é importante frisarmos de que todo plantio depende de tempo para a sua maturidade.

Na nossa vida comportamental, muitos não plantam nada, e pretendem colher; outros plantam errado e desejam colher o certo. Além do mais, é necessário tempo para que o fruto esteja maduro. Ninguém em sã consciência planta a semente hoje e espera que o fruto nasça amanhã

Qual é o momento da colheita? Depende, pois assim como o milho, que existem de vários tipos e espécies, e cada qual com o seu tempo de maturidade, nós, como seres humanos não somos diferentes disso, pois, cada indivíduo tem a sua particularidade e o seu tempo para se tornar maduro. Contudo, infelizmente, alguns nunca conseguirão obter a maturidade e gozar da colheita correta.

 

Levando em consideração a criatura ímpar que é o ser humano, a variação de cada um, o solo em que ele está vivendo, o ambiente, os cuidados que têm com a sua plantação, o zelo para que a plantação dê resultados satisfatórios, é difícil o dizer o tempo exato da colheita.

 

O momento da colheita não sabemos quando será. Porém, de um cenário eu tenho certeza, quem planta, colhe, pode ser que a colheita demore um pouco, além do seu esperado, porém, no momento exato, você colherá os frutos desejados.

 

*Francisney Liberato Batista Siqueira é Auditor Público Externo do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Chefe de gabinete de Conselheiro do TCE-MT, Palestrante Nacional, Professor, Coach, Mentor, Advogado e Contador, Autor dos Livros “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência” e “A arte de ser feliz”.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana