estado

MTGás

Companhia Mato-Grossense de Gás

Publicados

em


Assessoria

Criada pela Lei 7.939 de 28 de julho de 2003, a MTGás é uma sociedade anônima com patrimônio próprio e autonomia administrativa e financeira.
A Companhia Mato-grossense de Gás é formada por uma Diretoria Executiva e Conselho de Administração.
A Diretoria Executiva é composta pelo Diretor Presidente Helny Paula Campos, o Diretor Técnico Comercial Marci Areias e o Diretor Administrativo e Financeiro Geraldo Luiz Araújo.
A MTGás tem como objetivo social e exploração, com exclusividade, do serviço público de distribuição de gás natural ou manufaturado canalizado. Pode também explorar outras formas de distribuição, inclusive comprimido ou liquefazendo, de produção própria ou de terceiros, nacional ou importado para uso comercial, industrial, residencial, automotivo, em geração termelétrica ou qualquer uso possibilitado pelo avanço tecnológico no território do Estado de Mato Grosso.
A Companhia é responsável pela implantação e operação das redes de distribuição, estações ou unidades de armazenamento, regulagem, liquefação e regaseificação de gás em todo o Mato Grosso.
A criação da MTGás atendeu à determinação do Governo do Estado de expandir o uso do gás natural de maneira eficiente, segura e econômica, oferecendo uma alternativa energética viável e competitiva, que assegure a qualidade dos bens produzidos, promovendo a preservação do meio ambiente e contribuindo para o desenvolvimento da matriz energética do Estado.
Fonte: MT GÁS

Presidente: 
Fone: (65) 3642-4423
Site:
www.mtgas.com.br

Comentários Facebook
Propaganda

estado

Polícia Civil e PRF apreendem mais de meia tonelada de cocaína escondida em carga de algodão

Publicados

em

 

.

Aproximadamente 515 quilos de cloridrato de cocaína foram apreendidos na tarde desta quarta-feira (19.06), em uma ação conjunta da Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, no município de Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá). A droga, dividida em 460 tabletes, estava escondida em meio a uma carga de algodão e tem o valor estimado de mais de R$ 10 milhões.

Dois homens que estavam no caminhão em que a droga era transportada foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas interestadual e associação para o tráfico. O trabalho contou com apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e da Delegacia Regional de Barra do Garças.

As investigações da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE) iniciaram há cerca de três meses para apurar a atuação de uma quadrilha que foi presa em Pontes e Lacerda, por envolvimento com crimes de roubo, receptação de veículos e tráfico de drogas.

A partir de informações de que integrantes do grupo haviam deixado uma unidade do Sistema Penitenciário, a equipe da DRE iniciou os trabalhos de monitoramento por aproximadamente 20 dias, conseguindo a informação de que os suspeitos transportariam grande quantidade de entorpecente para o estado de São Paulo.

Em continuidade às investigações, os policiais da DRE conseguiram identificar a carreta responsável pelo transporte da droga, já na cidade de Barra do Garças, e foi acionada a equipe da PRF para realizar a abordagem dos suspeitos. Questionados, os dois ocupantes do caminhão apresentaram diversas contradições.

Com os suspeitos foram apreendidos aproximadamente R$ 3.650 em dinheiro, além de uma nota de dólar e dinheiro boliviano. Desconfiando que o entorpecente poderia estar escondido entre a carga de caroço de algodão, os policiais encaminharam o veículo até o pátio da PRF para ser descarregado, ocasião em que o motorista perdeu o controle da direção e tombou o caminhão deixando visíveis os pacotes de entorpecentes.

Entre a carga de algodão foram localizados 15 fardos da substância ilícita, cada um deles com 30 tabletes de cocaína, totalizando 514,750 quilos da droga. Diante dos fatos, os suspeitos foram encaminhados à delegacia para a lavratura do flagrante.

Segundo o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, cada tablete de cocaína tem o valor estimado de R$ 22 mil, causando um prejuízo aproximado de R$ 10 milhões à organização do tráfico de drogas no estado de Mato Grosso.

“As investigações continuam em andamento na DRE para identificar e prender outras pessoas ligadas ao grupo criminoso, tratando-se de tráfico interestadual, com aumento de pena”, explicou o delegado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana