cultura

Mostra reúne artistas da dança de Mato Grosso e nomes consagrados internacionalmente

Ana Botafogo, Liana Vasconcelos, Cícero Gomes e André Malosá compõem a programação da 14ª edição da Mostra de Dança de MT, que acontecerá entre os dias 3 e 5 de dezembro,

Publicados

em

Mais uma vez a arte da dança se renova e vibra com a tradicional Mostra de Dança de Mato Grosso, que neste ano chega à sua 14ª edição.

O evento que é uma vitrine de produções atuais e já consagradas dos repertórios de grupos locais, oxigena o segmento ao ponto em que promove a interação entre artistas de Mato Grosso e outros grandes nomes da dança no Brasil.

Entre os dias 3 e 5 de dezembro, no Cine Teatro Cuiabá, os primeiros bailarinos e a bailarina contratada do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Ana Botafogo (Embaixadora da Dança do Rio de Janeiro), Cícero Gomes e Liana Vasconcelos, respectivamente, e ainda, o diretor do Malosá Studio de Dança – referência na capital paulista -, integram a programação.

Com patrocínio do Governo de Mato Grosso via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), a Mostra de Dança abre oficialmente no dia 3, às 20h. 

À ocasião, no palco do Cine Teatro ecoará a linguagem universal do corpo, com apresentações da Associação Cultural Flor Ribeirinha, Espaço Roda – Arte e Expressão, Estúdio Claz – Clara Azevedo, Escola de Dança Caroline, Grupo de Siriri Flor de Atalaia, Ópera Ballet, Dreams Ballet, Cia de Dança Rodinei Barbosa e Corpo Livre de Dança, grupos que representarão a capital mato-grossense. 

Companhias de dança de outras regiões também são convidadas, caso da Escola Municipal de Dança de Primavera do Leste, Cia Najmah al Nureen, de Chapada dos Guimarães,Laura Cristina Ballet, de Rondonópolis, Grupo de Dança de Rua Hypnoze Break, de Cáceres e Projeto Constellation/Cenprhe, de Várzea Grande. 

O público poderá apreciar ainda, apresentação do Studio Malosá (SP).

No dia seguinte, às 17h tem apresentação do espetáculo “Ballet suíte – Lá fille Mal Gardeé”, com música de Ferdinand Herold, adaptado especialmente para a ocasião em um Ato. O público terá nova chance de assisti-lo no dia 5 de dezembro, às 20h. 

Nos dias 3 e 4 também ocorrem as oficinas de dança com Ana Botafogo, Cícero Gomes e Liana Vasconcelos. Interessados podem buscar mais informações sobre as inscrições, nos telefones (65) 99943-7748 e 3322-2426. 

No dia 5, Ana Botafogo fala ao público em palestra especial, às 10h. Toda a programação da mostra é gratuita. 

Contribuição 

Idealizadora do evento ao lado do professor, coreógrafo e produtor cultural, Kelson Panosso, Maria Hercília ressalta que sempre foi objetivo da mostra, promover o fortalecimento do segmento da dança. A mostra é um dos projetos da Cidarta (Cia das Artes e Associados).

 “Nosso ideal é valorizar, preservar e difundir a identidade cultural de Mato Grosso, inserindo o Estado no cenário artístico da dança, nacional e internacional, possibilitando o intercâmbio e a reunião de diferentes culturas, além da reciclagem e o amadurecimento das artes”, diz ela. 

Kelson destaca que não há como dissociar o fortalecimento do segmento, da popularização dos diversos estilos da dança. “A mostra, além de defender valores artísticos, desperta o interesse de jovens e profissionais que almejam a educação através da dança e das artes em geral. É também um excelente instrumento na formação de plateias, sensibilizando e impulsionando gestores públicos, produtores, artistas e público em geral sobre a importância da qualificação da dança e a sua devida regulamentação”.

Todos os eventos da mostra serão transmitidos pelo canal do Grupo Cidarta no YouTube e Facebook. 

Acompanhe as atualizações sobre o evento em @grupocarolineoficial (Instagram) / @grupocidarta (Facebook) e no site www.grupocidarta.com.br 

 

 

Comentários Facebook
Propaganda

cultura

Livro Geoparque Chapada dos Guimarães fomenta desenvolvimento sustentável e turismo

Publicados

em

O livro Geoparque Chapada dos Guimarães – uma viagem pela história do planeta, lançado esta semana, relata os processos geológicos que formaram as rochas que são vistas nas belas paisagens, compondo os paredões e cachoeiras da região e permanecem preservadas há milhões de anos. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) é apoiadora do projeto.

A obra, dividida em 10 capítulos, divulga estudos realizados por pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), e de outras instituições com a história geológica do Parque Nacional a partir da exploração de registros paleontológicos do período Paleozoico e Mesozoico.

O projeto surgiu como uma iniciativa de popularizar o conhecimento produzido por geólogos, geógrafos, turismólogos, entre outros profissionais, levando informação de forma sistematizada para comunidades locais, estudantes, pesquisadores e profissionais para desta forma fomentar o desenvolvimento sustentável por meio do geoturismo e ações pedagógicas.

Geossítios

Um convenio firmado entre Sema, UFMT e Fundação Uniselva deu início ao Projeto Geoparque Chapada dos Guimarães, que consistiu no inventário dos geossítios e especificação da conservação da geodiversidade em locais de alta relevância. Esse projeto está sendo desenvolvido pela Faculdade de Engenharia da UFMT, campus Várzea Grande.

O inventário demonstrou que a área possui geossítios com relevância científica, com elevado potencial para uso turístico ou educacional. “Porém, alguns dos geossítios necessitam de medidas de gestão que possam garantir a sua integridade, uma vez que apresentam risco de degradação. Os critérios relacionados ao potencial de uso educacional e turístico foram mais homogêneos, em geral, com uma nota elevada”, explicou a secretaria adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos, Lilian Ferreira.

“O livro é um passeio pelas riquezas da região demonstrando toda a geodiversidade, abordando temáticas geológicas, arqueológicas, flora, fauna, história, gastronomia, pontua Lilian. “servirá como base para o levantamento das potencialidades turísticas da região, e para criação de políticas públicas na área do turismo, unindo conservação e valorização do patrimônio natural da região”.

Publicação

O professor Caiubi Kuhn, um dos organizadores do livro, destacou que o projeto foi desenvolvido por instituições muito importantes para o Estado. “Esse trabalho conjunto entre professores, pesquisadores e estudantes tornou possível o projeto Geoparque”.

A publicação do conteúdo foi viabilizada por meio do apoio da Federação Brasileira de Geólogos (Febrageo), da Associação Profissional dos Geólogos do Estado de Mato Grosso (Agemat) e da Associação de Geólogos de Cuiabá (Geoclube), com patrocínio do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-MT).

Workshop Geoparque Chapada dos Guimarães

O lançamento do livro, que ocorreu na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, fez parte do III Workshop Geoparque Chapada dos Guimarães, realizado pela UFMT com objetivo de divulgar a riqueza histórica e ambiental do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, e o potencial turístico da localidade.

Entre os temas abordados nos cursos, minicursos e palestras, estão turismo e natureza, dinossauros no Brasil, geodiversidade e geoturismo no Centro-Oeste e no Parque de Chapada dos Guimarães. Os painéis mostram o potencial da localidade de se tornar um Geoparque Global da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), de importância internacional.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana