POLÍTICA NACIONAL

Moraes prorroga prazo para PF apurar conduta de homem que ameaçou STF

Publicados

em

Ministro do STF Alexandre de Moraes prorrogou por 15 dias o prazo para a PF concluir as investigações sobre atuação de Ivan Rejane Fonte
Antonio Augusto/Secom/TSE – 14/06/2022

Ministro do STF Alexandre de Moraes prorrogou por 15 dias o prazo para a PF concluir as investigações sobre atuação de Ivan Rejane Fonte

Nesta sexta-feira (5), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes prorrogou por 15 dias o prazo para a Polícia Federal concluir as investigações sobre Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, preso após fazer ameaças a ministros da Corte e políticos de esquerda .

O homem teve prisão preventiva decretada na segunda-feira (1º) por decisão de Moraes, após pedido da PF .

Ao Supremo, a PF disse que ainda aguarda o fim da perícia nos equipamentos de Fonte que foram apreendidos e a análise dos dados para colher mais informações relacionadas aos fatos que estão sendo apurados.

Depois, a PF deve informar o STF se há elementos para indiciar o homem e os indícios de eventuais crimes. Em depoimento à polícia, Fonte ficou calado.

No vídeo que levou à prisão do suspeito , que já foi candidato a vereador em Belo Horizonte (MG) em 2020, ele disse que a direita caçaria ministros do STF, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e outros políticos de esquerda, como a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o candidato a governador do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo. Disse também para os ministros da Corte saírem do Brasil, porque eles seriam pendurados “de cabeça para baixo”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

MPE protocola ação para derrubar candidatura de Silvera ao Senado

Publicados

em

Deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ)
Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados – 25/05/2022

Deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ)

O Ministério Público Eleitoral protocolou uma ação para barrar a candidatura do deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) ao Senado pelo Rio de Janeiro. O argumento é que a condenação imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a Silveira , em uma ação que o acusava de ataques aos ministros da Corte, tornou-o inelegível.

Aliado do presidente Jair Bolsonaro, Silveira recebeu um indulto que o livrou de cumprir pena de prisão. A Procuradoria aponta, entretanto, que ele não foi perdoado da inelegibilidade decorrente da condenação.

“No caso em tela, os efeitos secundários da pena, aqueles que não foram atingidos pelo indulto concedido, referem-se à perda dos direitos políticos, mantendo-se, assim, a inelegibilidade de DANIEL LÚCIO DA SILVEIRA”, escreveu a Procuradoria.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana