POLÍCIA

Monitorado é rendido no momento que aguardava comprador de droga em Rondonópolis

Publicados

em


Uma equipe da 14ª Companhia de Força Tática de Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá) prendeu na noite deste domingo (21.02), um rapaz, 22 anos, por tráfico de droga, no bairro Dinalva Muniz.

Os policiais realizavam patrulhamento pela Avenida Goiânia e uma área já conhecida pela incidência de tráfico de droga e perceberam o jovem, monitorado por tornozeleira eletrônica que ficou nervoso com a presença da viatura.

Abordado, ele confessou que estava no local aguardando um comprador de entorpecente. A droga estava escondida em um matagal próximo dentro de uma sacola. Foram apreendidos cinco porções de maconha. O suspeito confessou que mais droga estaria em sua casa, no bairro São José III.  

Na residência, os policiais encontraram mais três pedaços da mesma droga. O suspeito foi algemado e entregue na delegacia para as devidas providências.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Polícia Civil cumpre 24 ordens judiciais contra organização criminosa atuante no interior de MT

Publicados

em


Camila Molina/Polícia Civil-MT

Vinte e quatro mandados judiciais com alvo em uma organização criminosa atuante na região leste do estado são cumpridos pela Polícia Civil, na manhã desta quinta-feira (04.03), na operação “Number One”, deflagrada pela Delegacia Regional de Água Boa (730 km a leste de Cuiabá) com base em investigações da Delegacia de Canarana (823 km a leste).

Dentre as ordens judiciais, 16 mandados são de prisão e oito de busca e apreensão domiciliar (cinco expedidos pela 7ª Vara Criminal de Água Boa e três expedidos pelo Judiciário de Canarana). Parte dos mandados são cumpridos em unidades prisionais de Água Boa, Barra do Garças e Cuiabá. 

Segundo o delegado regional de Água Boa e coordenador dos trabalhos, Valmon Pereira da Silva, a operação possui objetos prioritários como coibir a ramificação e permanência da facção na região, responsabilizar os criminosos por atos de violência perpetrados principalmente nas modalidades de tráfico de drogas, roubo e extorsão, prevenção e repressão a investidas contra membros das Forças de Segurança. 

“Além de desarticular a atuação da facção, a operação tem o objetivo de apreender armas, munições, drogas e produtos oriundos de furtos, que são objetos das buscas, devolvendo a tranquilidade à sociedade já que, os integrantes do grupo criminoso tem agido de forma intimidatória para marcar território”, disse Valmon. 

Investigação

O trabalho investigativo conduzido pelo delegado de Canarana, Deuel Santana, iniciou em 2019, reunindo provas que resultaram na identificação de uma complexa rede criminosa atuante dentro e fora de unidades prisionais do estado de Mato Grosso. De acordo com as investigações, os integrantes do grupo criminoso, mesmo detidos do em unidades prisionais, ordenam crimes e participam diretamente de suas execuções.

“Durante as investigaões, ficou demonstrado que apesar dos esforços empreendidos pelo aparelho estatal, celulares continuam chegando aos reeducandos que, usam a tecnologia em favor do crime. Mesmos presos, os criminosos transmitem ordens aos comparsas que estão fora em funções designadas pelos líderes. A forma violenta de agir contra aqueles que contrariam os propósitos do grupo foi outro fator característico constatado durante o trabalho investigativo”, disse o delegado. 

No volumoso caderno investigativo há provas testemunhais, vídeos de crimes sendo praticados, diálogos com conteúdos que demonstram uma escala piramidal com funções específicas e uma clara demonstração do grupo em monopolizar o comércio de drogas no estado de Mato Grosso. 

Ficou demonstrado ainda o propósito de crescer numericamente do grupo criminoso com admissão (batismo) inclusive de adolescentes. O grupo busca firmar-se como poder paralelo tentando instituir “proteção” a comerciantes mediante cobrança de taxas – fato denunciado por um empresário e confirmado pelas investigações. 

Efetivo empregado

Cerca de 50 Policiais Civis atuam no cumprimento dos mandados em diferentes cidades do estado de forma articulada. Além do efetivo da Regional, que contou com policiais de Água Boa, Nova Xavantina, Querência, Ribeirão Cascalheira e Canarana, houve a participação efetiva das Delegacias de Barra do Garças, Primavera do Leste e Cuiabá. 

Nome da operação

O nome da operação “Number One” foi escolhido pelo fato do inquérito instaurado na Delegacia de Canarana ser o primeiro procedimento da unidade no ano de 2019, quando iniciaram as investigações que desencadearam a referida operação. 

Além disso, o trabalho investigativo chegou ao integrante do grupo tido na facção como número 01 na hierarquia do crime na região. O suspeito encontra-se preso em Cuiabá e é um dos alvos com mandado de prisão cumprido nesta quinta-feira.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana