Saúde

Ministério diz que vacinação de crianças deve começar em janeiro

Publicados

em


O Ministério da Saúde informou hoje (27) que a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 deve começar em janeiro de 2022. Em nota, a pasta declarou que a recomendação é para inclusão da faixa etária no Plano Nacional de Imunização. 

Segundo o ministério, a posição favorável à vacinação poderá ser formalizada no dia 5 de janeiro, após o fim do prazo da consulta pública aberta para tratar da questão, se a recomendação for mantida. 

“A recomendação do Ministério da Saúde é pela inclusão das crianças de 5 a 11 anos na Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), conforme posicionamento oficial da pasta declarado em consulta pública no dia 23 de dezembro e reforçado pelo ministro da Saúde em manifestações públicas”, diz a nota. 

No dia 16 de dezembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da vacina produzida pelo consórcio Pfizer-BioNTech em crianças com idade de 5 a 11 anos. 

Em seguida, partidos de oposição recorreram ao Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar a inclusão imediata da faixa etária no programa de imunização. Ao analisar a petição, o ministro Ricardo Lewandowski determinou que o governo se manifeste até 5 de janeiro sobre a ação. 

Médicos a favor da vacinação 

Em nota, a Associação Médica Brasileira (AMB) defendeu a vacinação de crianças. Segundo a entidade, a autorização da Anvisa segue os mesmos critérios de segurança e eficácia para as demais faixas etárias. Além disso, a medida reduz a transmissão do vírus. 

“Enfatizamos que crianças podem também serem acometidas pela Síndrome Inflamatória Multissistêmica associada ao SARS-Cov-2; desenvolverem sequelas e covid longa. Portanto, a vacinação é essencial para reduzir/evitar sofrimento, hospitalizações e mortes”, declarou a AMB. 

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Covid: visitas a internados são suspensas em hospitais do Rio

Publicados

em


source
Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), em São Gonçalo, é uma das unidades estaduais da rede
Reprodução

Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), em São Gonçalo, é uma das unidades estaduais da rede

A Secretaria Estadual de Saúde anunciou nesta terça-feira (18/1) a suspensão temporária das visitas aos pacientes internados na rede estadual. A decisão foi motivada pelo avanço da variante Ômicron, com o objetivo de tentar combater a disseminação do vírus nos hospitais. A pasta não deu prazo para o fim da proibição, mas afirmou que os acompanhantes foram avisados com antecedência.

A suspensão das visitas não atinge os pacientes de extrema gravidade ou vulnerabilidade, como aqueles internados com incapacidade psicológica, motora, ou intelectual. Nesses casos, após autorização da gestão da unidade de saúde, as visitas estarão autorizadas duas vezes por semana. Crianças, idosos e deficientes físicos, que por lei têm direito a acompanhantes, também continuarão com o benefício. No momento da entrada na unidade de saúde, os visitantes deverão assinar um termo dizendo que estão assintomáticos.

Nos casos em que as visitas não serão permitidas, uma espécie de ‘visita virtual’, através de chamada de vídeo, será liberada duas vezes por semana.

Na semana passada, as redes de saúde do estado e do município suspenderam por 30 dias a realização de cirurgias eletivas.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana