TECNOLOGIA

Meta deve indenizar usuária bloqueada do Instagram por 8 meses

Publicados

em

source
Instagram bloqueou usuária por 8 meses
Unsplash/Kate Torline

Instagram bloqueou usuária por 8 meses

Após tentar acessar sua conta do Instagram por meio de outro dispositivo, uma usuária brasileira ficou bloqueada da rede social por mais de oito meses. Ela então entrou com um processo na justiça contra a Meta, que agora foi condenada a pagar uma indenização por danos morais. A decisão considerou a demora do suporte da plataforma e as diversas tentativas de recuperação do perfil durante o período.

Conforme a decisão da 2ª turma Recursal dos Juizados Especiais do DF, a Meta, controladora do Instagram, terá que reativar a conta da usuária lesada. Além disso, a empresa foi condenada a pagar uma indenização por danos morais de R$ 2 mil.

No documento judicial, a autora do processo conta que usa sua conta no Instagram desde 2017 para fins de divulgação de seu trabalho como modelo profissional e para manter contato com familiares e amigos. Porém, em junho de 2021, seu acesso foi bloqueado após tentar realizar o login através de outro celular.

A usuária realizou todos os procedimentos de recuperação de senha múltiplas vezes, mas não obteve sucesso. Assim, ela ficou sem conseguir acessar seu Instagram por mais de oito meses. De acordo com a autora do processo, a rede social nunca apresentou nenhum motivo concreto para que ela ficasse impedida de fazer login durante todo esse tempo.

Justiça vê danos morais por “desgaste emocional”

Na ação movida contra a Meta, o colegiado julgou os pedidos da usuária como “improcedentes”, explicando que “a mera impossibilidade de acesso a perfil de rede social não é causa de dano moral”. No entanto, ao analisar o recurso da autora, o tribunal entendeu, em decisão unânime, que houve danos morais por outros motivos.

“Há dano moral em razão do desgaste emocional causado pelo tempo desproporcional de suspensão do acesso (mais de oito meses), às diversas tentativas infrutíferas de solução da questão através dos mecanismos disponibilizados pelo próprio recorrido, além de reclamações em site especializado, exigindo então a Judicialização da controvérsia”, diz a decisão.

Em sua defesa, a Meta afirmou que a conta da usuária está ativa, mas foi inserida em uma categoria de verificação de segurança devido a atividades suspeitas. A empresa controladora do Instagram disse que foram registradas diversas tentativas de acesso de diferentes locais. Por fim, a companhia diz que não houve nenhuma falha na prestação do serviço proposto na plataforma.

De qualquer forma, a justiça determinou que a Meta deve indenizar a autora do processo em R$ 2 mil e restaurar o acesso à sua conta do Instagram.

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Google Meet terá compartilhamento de Spotify e YouTube durante chamada

Publicados

em

Google Meet ganhará novos recursos
Tecnoblog

Google Meet ganhará novos recursos

O Google Meet ganhou muito destaque nos últimos anos, e vai receber alguns recursos extras para deixar suas reuniões mais legais. Com um novo recurso de compartilhamento ao vivo, dá para ouvir músicas no Spotify, ver vídeos no YouTube ou jogar com outros participantes da chamada. É bem parecido com o SharePlay, da Apple.

O recurso faz parte da fusão do Meet com o Duo, o app de videochamadas do Google (que não tem a mesma fama do irmão profissional).

Esse é um processo bem confuso, aliás: o app do Duo vai virar Meet e ganhar os recursos dele, enquanto o Meet vai ser renomeado para Meet Original e posteriormente descontinuado.

Jogos e streaming no Google Meet

Bagunça à parte, alguns novos recursos foram acrescentados. Um deles é este recurso de compartilhamento ao vivo. Ele ainda está em fase beta.

Durante uma chamada, basta tocar nos três pontos, escolher “Atividades” e selecionar uma das opções. Dá para iniciar uma sessão em grupo no Spotify, por exemplo, jogar Uno! Mobile ou Kahoot!, entre outras possibilidades.

SharePlay da Apple funciona com produtos diferentes

Compartilhar conteúdo de streaming em uma chamada não é inédito. É isso que o SharePlay da Apple faz.

Ele permite usar o FaceTime para compartilhar conteúdos de apps de streaming. Dentre as opções, estão a Apple TV+, o Disney+ e o HBO Max.

Spotify e YouTube não estão nessa lista, o que conta como um diferencial para o serviço do Google Meet.

O compartilhamento ao vivo teria sido bem interessante durante a fase mais crítica da pandemia de Covid-19, quando regras restritas de circulação estavam em vigor.

Mesmo assim, pode ser útil para empresas que adotaram o trabalho remoto ou para quem tem amigos espalhados pelo país ou pelo mundo.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana