Confresa

Membros de facção criminosa são presos com 21 quilos de drogas em Mato Grosso

Durante as investigações, os policiais de Confresa receberam informações de que os membros da facção criminosa atuante com o comércio ilícito na cidade, estavam aguardando a chegada de uma carga com grande quantidade de entorpecentes.

Publicado


 

Mais de 20 quilos de maconha pertencentes a uma facção criminosa foram apreendidos pela Polícia Judiciária Civil,  no domingo (22.03), em ação realizada em Confresa (1.160 km a Nordeste de Cuiabá). O trabalho resultou na prisão em flagrante de três pessoas pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico e também na apreensão de dois veículos utilizados pelos suspeitos.

 

Durante as investigações sobre o tráfico de drogas no município, os policiais de Confresa receberam informações de que os membros da facção criminosa, atuante com o comércio ilícito na cidade, estavam aguardando a chegada de uma carga com grande quantidade de entorpecentes.

 

Com base nas informações, os investigadores passaram a monitarar o suspeito, em um posto de combustíveis, na BR-158, na entrada da cidade. Durante a vigilância, os policias flagraram o momento em que o suspeito (em um Honda Civic) se aproximou de outro veículo (um Chevrolet Prisma) com placas de Rondonópolis.

Foi realizado o monitoramento dos veículos que deslocaram para área rural da cidade e até as  proximidades do aterro sanitário, em uma região de mata, onde pararam. No momento em que descarregavam uma caixa do porta-malas do Chevrolet Prisma, um dos investigados percebeu a ação da Polícia e empreendeu fuga.

 

Na sequência, os outros dois suspeitos jogaram o material que estava no porta-malas na beira da estrada e também tentaram fugir, porém em continuidade as diligências, os dois veículos foram abordados e os três suspeitos foram detidos.  Na caixa deixada na beira da estrada, foram encontrados 30 tabletes de maconha, pesando aproximadamente 21 quilos de droga.

 

Em buscas no veículo Prisma, também foram apreendidos R$ 398 em dinheiro, aparelhos celulares e documentos pessoais dos criminosos.

 

Questionados, dois dos suspeitos confessaram que trouxeram o entorpecente de Rondonópolis para entregar para o traficante de Confresa e que a droga pertenceria ao líder do grupo criminoso, que está detido na Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa (Mata Grande).

 

Diante da situação, os três suspeitos foram conduzidos a Delegacia de Confresa, onde após interrogados foi lavrado o flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

 

*Com informações da PJC | MT

Comentários Facebook
publicidade

confresa

Secretária e servidores são afastados por desvio de R$ 4,5 milhões da merenda e saúde

A Operação Tapiraguaia conta com a participação de 50 policiais federais que cumprem 23 mandados de busca e apreensão, seis medidas cautelares de afastamento de função pública e três medidas cautelares de proibição de contratar com a Administração Pública.

Publicado

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (12.08) em Confresa a quarta fase da Operação Tapiraguaia. A ação é resultado de trabalho conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União (CGU).

Ao todo, 50 policiais federais cumprem 23 mandados de busca e apreensão, seis medidas cautelares de afastamento de função pública e três medidas cautelares de proibição de contratar e de renovar contrato com a Administração Pública.

Entre os alvos da operação, está a ex-secretária de Educação da cidade, a atual secretária de Saúde, Fernanda Perpétua dos Santos, e um servidor bioquímico da prefeitura, que também é proprietário de um laboratório que participou das fraudes investigadas.

A operação investiga desvios de recursos públicos federais administrados pela prefeitura de Confresa, nas áreas da educação, saúde e infraestrutura. O prejuízo potencial apurado desde a primeira fase é de aproximadamente R$ 4,5 milhões.

A quarta fase foi deflagrada com o objetivo de subsidiar investigação sobre fraudes licitatórias, as quais atingiram recursos públicos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Além disso, a polícia também apura fraudes na execução de serviços de exames laboratoriais da Secretaria Municipal de Saúde.

A PF aponta que pelo menos duas licitações do PNAE foram fraudadas em 2017. Em ambas, o objeto era a contratação de empresa fornecedora de gêneros alimentícios para a merenda escolar.

As investigações também mostram que uma licitação que deveria ter sido realizada em 2018 para contratação de laboratórios de análises clínicas foi dispensada indevidamente. O certame deveria ter como objeto a prestação de serviços para a população de Confresa e região.

Os crimes praticados com recursos do PNAE têm potencial impacto, quantitativa e qualitativamente, tendo em vista tratar-se de verbas destinadas aos serviços da educação para a população, principalmente a de baixa renda. Muitas vezes estas pessoas têm na merenda escolar sua única fonte de alimentação diária.

Da mesma forma, nos crimes praticados com recursos destinados à saúde, a população carente é a mais atingida. Adultos, jovens e crianças dependentes do Sistema Único de Saúde (SUS) não conseguiam realizar exames clínicos em razão das fraudes investigadas.

O nome da operação é uma referência à “Vila de Tapiraguaia”, núcleo de povoação que originou o município de Confresa/MT. A palavra “tapiraguaia” é uma fusão dos termos Tapirapé e Araguaia.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana