esportes

Medalhistas olímpicos voltam aos ringues com vitória e miram cinturão

Publicado


.

A dupla de medalhistas olímpicos Esquiva Falcão e Robson Conceição venceu no retorno aos ringues após o início da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Após os combates da noite do último sábado (29), pela nona edição do evento Boxing For You, em São Paulo, os atletas voltam a olhar para os cinturões mundiais das respectivas categorias.

“Estava com vontade de ganhar, de mostrar que estou bem preparado e treinando. Respeito meus adversários no ringue. Sempre temos que melhorar um pouco e tenho certeza de que, quando chegar a hora, estarei pronto”, afirmou Robson, que liquidou a luta contra o paulista Eduardo Reis logo aos 28 segundos do segundo round, por nocaute técnico.

Foi a 14ª vitória do baiano, que faz 32 anos em outubro, no boxe profissional. O duelo marcou a volta dele aos ringues após mais de um ano, devido a uma cirurgia nas mãos. Campeão olímpico na Rio 2016, Robson compete na categoria penas (até 57,153kg), que tem os norte-americanos Gary Russell Jr. (Conselho Mundial de Boxe) e Josh Warrington (Federação Internacional de Boxe) e o mexicano Léo Santa Cruz (Associação Mundial de Boxe) como donos dos cinturões.

Já Esquiva precisou apenas do primeiro round para superar Morramad Araújo, paraense radicado em Manaus, e chegar à 27ª vitória como profissional. “Muito feliz pela vitória e pela forma que foi. Os treinamentos foram intensos em Vila Velha (ES) com meu irmão Thomas e me mostraram que estou no caminho certo. Quando for a hora, volto aos Estados Unidos para caçar o cinturão”, disse o capixaba de 30 anos, medalhista de prata na Olimpíada de Londres (2012).

 
 
 

 
 
 
 
 

 
 

 
 
 

Ontem consegui minha 27ª vitória em 27 lutas. Conseguiram nocaute no primeiro round contra um adversário de qualidade, o campeão brasileiro @morramad_araujo a quem agradeço por aceitar a luta em pouco tempo. O @boxingforyou foi disputado em São Paulo e teve quatro lutas. Veja os bastidores na sequência e explico que o vídeo está em preto e branco em memória às vítimas do COVID-19 e ao astro do Pantera Negra. Após a entrada do ringue ao som de Divisa de Fogo, minha música gospel favorita do atleta, eu pude homenagear Chadwick Boseman, que morreu aos 43 anos vítima de câncer. Vídeo da @onboardsports #esquivafalcao #boxingforyou

Uma publicação compartilhada por Esquiva Falcão (@esquivafalcao) em 30 de Ago, 2020 às 6:43 PDT

A conquista do cinturão da categoria até 78 quilos é o grande objetivo de Esquiva. Em março, após a vitória sobre o argentino Jorge Miranda, também em São Paulo, ele voltou a pedir uma luta pelo título mundial do peso médio (até 72,6kg). Na ocasião, o capixaba disse que desejava, principalmente, o cinturão do Conselho Mundial de Boxe, o mesmo conquistado por Éder Jofre e Miguel de Oliveira, e que hoje é do norte-americano Jermall Charlo.

Nas outras duas lutas que movimentaram o Boxing For You, a mineira Lila Furtado conquistou a segunda vitória da carreira como profissional, ao superar a paulista Eduarda Gomes pela categoria super galos (até 55,3kg), no terceiro round. Já Vitor Siqueira bateu Kenes Carneiro em duelo entre pugilistas de São Paulo, por decisão dividida, após oito rounds. A luta foi pelo peso médio-ligeiro (até 69,8kg). O evento foi realizado sem público e seguiu um protocolo de segurança sanitária antes e durante as lutas.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários Facebook
publicidade

esportes

EUA e Reino Unido denunciam Rússia por ciberataques contra Olimpíada

Publicado


O Reino Unido e os Estados Unidos condenaram nesta segunda-feira (19) o que chamaram de ciberataques que teriam sido orquestrados por agentes de serviços de espionagem russos, incluindo tentativas de atingir os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Autoridades britânicas e norte-americanas afirmaram que os ataques foram conduzidos pela Unidade 74455 da agência de espionagem militar russa GRU, também conhecida como Centro Principal de Tecnologias Especiais. O Departamento de Justiça dos EUA afirmou que seis membros da unidade tiveram papéis importantes nos ataques contra alvos que variaram desde a Organização para a Proibição de Armas Químicas às eleições de 2017 na França. As acusações envolvem quatro anos de atividades entre 2015 e 2019.

As autoridades dos EUA não comentaram se o momento da revelação, há poucas semanas da eleição nos Estados Unidos, foi escolhido para alertar sobre a atividade de grupos de hackers apoiados por governos estrangeiros. Já autoridades britânicas afirmaram que os hackers do GRU também conduziram operações de “ciber reconhecimento” contra os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que seriam realizados neste ano, mas acabaram sendo adiado para 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

As autoridades britânicas se recusaram a dar mais detalhes sobre os ataques ou a afirmar se foram bem sucedidos, mas disseram que tinham como alvo os organizadores das Olimpíadas, fornecedores e patrocinadores. O secretário do Exterior do Reino Unido, Dominic Raab, afirmou que as “ações do GRU contra as Olimpíadas são cínicas e imprudentes. Condenamos elas nos termos mais fortes possíveis”.

O vice-diretor da polícia federal dos EUA (FBI) David Bowdich afirmou: “O FBI repetidamente tem alertado que a Rússia é um adversário altamente capaz em ciberataques e a informação revelada neste indiciamento ilustra como as atividades cibernéticas da Rússia são invasivas e destrutivas”.

Em dezembro de 2019, a  Rússia foi banida dos Jogos Olímpicos por quatro anos por causa de acusações de doping de seus atletas.

As autoridades britânicas e norte-americanas afirmaram nesta segunda-feira (19) que os hackers russos se envolveram em outros ataques, como o que comprometeu sistemas de computadores dos Jogos de Inverno em 2018, durante a cerimônia de abertura na Coreia do Sul. Este ataque comprometeu centenas de computadores, derrubou acesso à internet e interrompeu as transmissões de mídia.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana