artigos

Mato Grosso será o novo endereço da indústria mundial

Publicado

Por Ramiro Azambuja

A pandemia do novo coronavírus colocou a globalização num ponto de virada crucial. Foram necessários poucos dias de paralisação para o mundo entender que não é concebível concentrar a produção industrial num só lugar. No amargar de prejuízos gigantescos e atrasos enormes em projetos, os olhos de todos começaram a se voltar para novas possibilidades produtivas.

Nessa redefinição geopolítica, social e financeira, Mato Grosso pode e deve se posicionar como alternativa para a implementação de indústrias de transformação do agro. Somos recordistas na produção de grãos, algodão e carne. Com a abundância de matéria prima aqui, podemos recepcionar as indústrias de alimentos, a produção química, a produção têxtil, energia, biodiesel ou transformação de madeira.

Nosso potencial produtivo é imenso e não é de hoje que os olhos do mundo estão voltados para nós. Se éramos vistos como celeiro, hoje precisamos nos posicionar com infraestrutura e políticas públicas adequadas para receber esses investimentos que vão começar a migrar e se realocar pelo planeta.

Ainda temos um longo caminho pela frente até superarmos o vírus, mas sabemos desde já que a retomada da economia, outro grave problema decorrente dessa pandemia, passa pela geração de empregos.

Leia mais:  Gestores públicos em Mato Grosso: palmas e Palmadas

Novas linhas de crédito já estão no mercado e outras mais virão para que os segmentos de construção civil e imobiliário possam se reaquecer, já que são responsáveis por uma grande fatia do PIB brasileiro e historicamente empregam muita mão-de-obra. Nós não podemos perder essas oportunidades nem deixar de vislumbrar o que está além do horizonte, mesmo que ainda não esteja tão claro e visível hoje.

É fato que haverá um estímulo à indústria nacional em todos os países, assim como é fato que os polos mundiais serão descentralizados e não mais condensados, a exemplo da China.

Mato Grosso tem grandes chances de se tornar o novo endereço da indústria mundial. Isso demanda investimentos em construção civil e coloca o mercado imobiliário em voga.

Investir em imóveis sempre foi um ativo seguro. Os visionários, aqueles que enxergam além, ganham quando tomam decisões acertadas e ganham muito mais quando conseguem ver o que ninguém ainda está vendo. Quem quer ser destinatário de retornos financeiros endereça seus investimentos para onde está o potencial. Olhe para o horizonte e veja as regiões do agro com outros olhos.

Leia mais:  Tenha cautela com as ideias

Ramiro Azambuja é Diretor-Presidente da EMHA Construtora e Incorporadora

Comentários Facebook
publicidade

artigos

Tenha cautela com as ideias

Publicado

Por Francisney Liberato

As pessoas que têm um perfil empreendedor são geralmente criativas, engajadas e formadoras de opinião.

Ter uma ideia é muito bom, pois significa dizer que você está vivo e que pretende lançar novas perspectivas para se manter em um nível de crescimento.

William Shakespeare já dizia: “As ideias das pessoas são pedaços da sua felicidade”. O poeta inglês atrela as ideias à felicidade. Pode ser no mesmo sentido de que somos felizes no percurso rumo aos nossos sonhos. Sonhar é viver, é crescer, é se desenvolver, por isso defendo a tese de que jamais devemos limitar os nossos sonhos.

Desde pequenas ou grandes ideias, temos um cérebro capaz de criar e se desenvolver a cada segundo. Alguns têm mais facilidade e uma tendência natural, já outros, menos.

Toda ideia gera um resultado, que pode ser positivo ou negativo. Nós buscamos bons resultados, pois, do contrário, resultados não satisfatórios promoverão vazio, tristeza, desgaste, perda de tempo, desperdício de dinheiro e, por fim, decepção.

Leia mais:  Tenha cautela com as ideias

Sabendo disso, como podemos usar de maneira inteligente as nossas ideias para que deem resultados positivos? Para que alcancemos bons resultados, é indispensável passar por algumas etapas, ou seja, primeiramente devemos entender que é necessário passar por um processo.

A primeira etapa é a criação de ideias que, naturalmente, podem surgir em nossa mente.

Já com a ideia em mãos, vem a segunda etapa, que é analisar as ideias. Para isso é necessário rever se a ideia é verdadeira. Se tem potencial. Se é possível ser implementada. E como será o desenvolvimento da ideia na prática.

A terceira etapa é a validação da ideia. Uma ideia precisa ser válida, e para isso é necessário que funcione e dê resultados.

A última etapa, depois de percorridas as etapas anteriores, que são indispensáveis, é a execução. Ter milhares de ideias e não as executar é como se não tivesse nada.

Nem tudo que é criado será bem-sucedido. A princípio, você até pode entender que a sua ideia é genial, mas volto a insistir: percorrer todas as etapas evitará o estresse e a frustração.

Leia mais:  Gestores públicos em Mato Grosso: palmas e Palmadas

Não podemos ter medo das ideias, já que elas nos dão sentido de viver. Mas é importante arriscar com cautela, pois de uma ideia você poderá ter sucesso ou fracasso. Napoleon Hill, assessor de Woodrow Wilson e Franklin Delano Roosevelt, presidentes dos Estados Unidos, afirmou: “Não devemos ter medo das novas ideias! Elas podem significar a diferença entre o triunfo e o fracasso”.

Siga as etapas antecedentes e usufrua de sua grande ideia!

Francisney Liberato Batista Siqueira é Auditor Público Externo do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Chefe de gabinete de Conselheiro do TCE-MT, Palestrante Nacional, Professor, Coach, Mentor, Advogado e Contador, Autor dos Livros “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência” e “A arte de ser feliz”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana